18 de Agosto de 2019
17º/33º
NOTÍCIAS » EDUCAÇÃO

Assisense estuda sozinha para vestibular e é aprovada em Engenharia Aeronáutica

Eduarda Maria dos Santos Fernandes sempre estudou em escolas públicas e ficou surpresa com aprovação

A jovem Eduarda Maria dos Santos Fernandes mora em Assis e nesta segunda-feira, 28, recebeu a notícia de sua aprovação no curso de Engenharia Aeronáutica, na Universidade Federal de Uberlândia.

Eduarda tem 19 anos e conta sempre estudou em escolas públicas, tendo concluído o Ensino Médio na Escola Técnica Pedro D’Arcádia Neto em 2017. Desde então, a jovem estudava em casa uma média de seis a 12 horas por dia.

"O tempo de estudo variava bastante, pois trabalho como babá, mas sempre que podia estava estudando. Sempre me preparei para prestar o vestibular do Instituto Tecnológico de Aeronáutica – ITA e no começo eu estudava sozinha. Depois assinei um cursinho on-line e estava nos preparativos para este ano me mudar para São José dos Campos, onde iria trabalhar para poder pagar um cursinho melhor e tentar o vestibular do ITA no final do ano novamente”, relata.
Segundo a jovem, a aprovação foi uma surpresa.
"Eu não esperava ser aprovada e fiquei surpresa com o resultado. Quando fiquei sabendo que minha nota no Enem de 740 pontos foi suficiente para o ingresso no curso, fiquei em choque. Minha família também está muito feliz. O curso terá duração de cinco anos e o início é em março. Os veteranos do curso já me acharam na internet e estão me dando várias dicas sobre lugares onde posso morar, pois não conheço nada da cidade”, afirma.

Eduarda agradece aos professores da ETEC Pedro D’Arcádia Neto, que sempre a motivaram a não desistir, continuar estudando e se preparando. Ela também agradece aos pais e familiares que sempre a apoiaram, e aos professores do Centro de Desenvolvimento do Potencial e Talento.

"Sempre me dediquei, mas o apoio e a motivação deles foi o que me incentivou a não desistir. Graças a este apoio eu vou realizar um grande sonho, que é cursar Engenharia Aeronáutica”, conclui.


Eduarda estudava de seis a 12 horas por dia e foi aprovada na Universidade Federal de Uberlândia


Redação AssisCity/ Fotos: Divulgação
+ VEJA TAMBÉM