25 de Abril de 2019
17º/33º
ENTRETENIMENTO » BLOG

Mulher pede ajuda para castrar gatas em Cândido Mota

Márcia conseguiu castrar a mãe das gatinhas

A moradora de Cândido Mota, Márcia Durcelia Honorato, pede ajuda para castrar duas gatinhas, que atualmente tem três meses.

Ela conta que está desempregada e não tem condições de castrar as gatinhas, mas que durante quatro meses juntou dinheiro e conseguiu castrar a mãe das gatinhas.

"Eu não tenho condições de castrar as gatinhas, e não gostaria de doa-las pois cuido delas desde que nasceram, por isto peço ajuda da comunidade”, conta.

Quem puder ajuda-la, pode entrar em contato pelo telefone (18) 99821-1019, ou pessoalmente na rua Mariana Alves Borges, 242, bairro Alvorada.


As gatinhas tem três meses


Dois filhotes de cachorro abandonados estão para adoção responsável em Paraguaçu

Os animais estão agora no Corpo de Bombeiros

Em pleno mês de Abril Laranja, quando se trabalha a prevenção de maus tratos contra animais, o Departamento de Agricultura, Meio Ambiente, Urbanismo e Habitação da Prefeitura registra quase que diariamente pedido de ajuda para o encaminhamento ou divulgação de filhotes abandonados de cachorro que precisam de adoção responsável.

Dessa vez, trata-se de dois filhotes de cachorro que foram recolhidos pelo Corpo de Bombeiros de Paraguaçu Paulista. Quem quiser adotar ou ajudar no encaminhamento para adoção responsável, o telefone do Corpo de Bombeiros, sem ser a linha de emergência, é o (18) 3361-6600.

Chamado de Abril Laranja, este mês é dedicado à prevenção de maus tratos contra animais, especialmente aqueles em situação de rua. No caso da posse responsável, o futuro dono deve observar se está preparado para ter um animal em casa e considerar alguns fatores como: o tempo de vida do animal; as despesas com alimentação e tratamentos de saúde; a adequação do espaço físico disponível para a criação; tem que ter tempo para passear e/ou interagir com o animal; tem que ter alguém para alimentá-lo durante eventuais ausências prolongadas do dono.


Filhotes de cachorro foram recolhidos pelo Corpo de Bombeiros de Paraguaçu Paulista


Ambos estão disponíveis para adoção responsável


Movimento Salva Patas de Cândido Mota promove Noite Festiva nesta sexta-feira, 5

Os voluntários querem arrecadar recursos para a castração de animais de rua

Nesta sexta-feira, 5, o Movimento Salva Patas de Cândido Mota promove uma Noite Festiva na cidade. O objetivo do evento é arrecadar recursos para a castração de animais e pagamentos de dívidas já existentes.

A voluntária Mallu Parra explica que o grupo não possui um abrigo, porém promove a castração de animais de rua e busca pessoas que queiram adotá-los de forma responsável.

"A castração é um método seguro realizado pelo veterinário de sua confiança e, além de evitar a superpopulação dos animais de rua, comum em nosso país, onde há mais de 30 milhões nas ruas, segundo dados da OMS, traz benefícios para os bichinhos. O procedimento também aumenta a longevidade, reduz a agressividade, reduz demarcação, reduz risco de câncer e reduz fugas”, conta.

A Noite Festiva será realizada no Salão do Clube da Terceira Idade de Cândido Mota, a partir das 19h30.

As cartelas serão vendidas no local e com antecedência podem ser adquiridas a R$ 10, em Assis na Anjo Ki Late e em Cândido Mota na Agromotta.


Noite Festiva será em prol da castração de animais de rua assistidos pelo Movimento Salva Patas


Movimento Salva Patas de Cândido Mota promove Noite Festiva no dia 5 de abril

Os voluntários querem arrecadar recursos para a castração de animais de rua

No dia 5 de abril, sexta-feira, o Movimento Salva Patas de Cândido Mota promove uma Noite Festiva, em Cândido Mota. O objetivo do evento é arrecadar recursos para a castração de animais e pagamentos de dívidas já existentes.

A voluntária Mallu Parra explica que o grupo não possui um abrigo, porém promove a castração de animais de rua e busca pessoas que queiram adotá-los de forma responsável.

"A castração é um método seguro realizado pelo veterinário de sua confiança e, além de evitar a superpopulação dos animais de rua, comum em nosso país, onde há mais de 30 milhões nas ruas, segundo dados da OMS, traz benefícios para os bichinhos. O procedimento também aumenta a longevidade, reduz a agressividade, reduz demarcação, reduz risco de câncer e reduz fugas”, conta.

A Noite Festiva será realizada no Salão do Clube da Terceira Idade de Cândido Mota, a partir das 19h30.

As cartelas serão vendidas no local e com antecedência podem ser adquiridas a R$ 10, em Assis na Anjo Ki Late e em Cândido Mota na Agromotta.

Voluntárias de Assis pedem ajuda para castrar cachorra abandonada

As doações podem ser feitas na clínica São Francisco, onde o animal está internado

Um grupo de voluntários que moram no Parque Colinas e na Avenida Perimetral, em Assis, realiza uma campanha para arrecadar fundos para a castração de uma cadelinha que vive na rua e é alimentada pelos moradores.

A cachorra passa a maior parte do tempo embaixo de uma figueira no final da avenida e, segundo os voluntários, é um pouco arisca e já teve diversas crias.

"Ela precisa ser cadastrada com urgência pois já tem certa idade e está internada na clínica São Francisco. Ela ficará lá até que esteja totalmente recuperada após a castração. Todo o tratamento custará R$ 300, devido aos medicamentos que serão usados depois da castração", contam.

Os voluntários pedem que, quem puder colaborar, leve sua doação até a Clínica São Francisco, na Avenida Perimetral, 115, informando que a doação é para a 'cadelinha da figueira'.


A cadelinha vive na rua e precisa ser castrada com urgência


Rata 'gordinha' é resgatada após ficar entalada em bueiro na Alemanha

Houve quem questionasse tal esforço para salvá-la, mas especialista em resgates do tipo diz que 'mesmo os animais mais odiados merecem respeito'

Na cidade alemã de Bensheim, no sudoeste do país, equipes de resgate receberam um telefonema incomum: uma rata gordinha precisava de ajuda depois de ficar presa em um bueiro de esgoto.

"Ela tinha engordado no inverno e ficado presa pelo quadril, não tinha como sair ou voltar", disse à imprensa local Michael Sehr, especialista em salvamento de animais que auxiliou na operação.

Um esforço razoável foi feito para livrar a rata, o que levou algumas pessoas a questionarem por que se dar a esse trabalho para tirar um rato de um bueiro. "Mesmo os animais que são odiados por muitos merecem respeito", disse Sehr.

Voluntários entraram em ação após uma chamada ser feita na tarde de domingo, informou o Corpo de Bombeiros da cidade. Sehr, que faz parte da equipe de resgate de animais, já estava lá, mas não conseguia libertar o roedor da tampa do bueiro.

Com a ajuda de bombeiros, a tampa do bueiro foi elevada enquanto Sehr tentava soltar o animal. A rata foi libertada diretamente no esgoto, mas não antes que algumas fotos fossem tiradas.

O caso foi divulgado na página da equipe de resgate de animais no Facebook, onde centenas de comentários parabenizaram o cuidado dado a um animal que é frequentemente alvo de extermínio.

Por sua vez, Sehr recebeu um desenho da rata cercada por corações feito pela menina que primeiro encontrou o animal em apuros.


A rata era pequena, mas não o suficiente para passar pela tampa de um bueiro


Foram necessários oito bombeiros e um especialista em resgate de animais para retirar a rata da tampa do bueiro


Como cuidar dos cães no verão e evitar a hipertermia

Em dias quentes, é preciso redobrar a atenção para proteger e manter a saúde dos pets

Assim como nós, os cães também sofrem com os efeitos do calor excessivo no verão. O principal risco para eles é a hipertermia, que ocorre quando a temperatura corpórea passa dos 40ºC. Os sintomas, que normalmente podem parecer corriqueiros, são identificados por uma respiração ofegante, vômitos, diarreias, salivação abundante, tonturas e, em casos extremos, confusão mental, desmaios e convulsões.

"Além do calor excessivo, esse contratempo está relacionado também a exposição solar em altas temperaturas, excesso de exercícios físicos e a obesidade, sendo que é normal no verão os cães terem um comportamento menos ativo durante o dia”, explica o veterinário Jorge Morais, fundador da Animal Place. Donos de raças como Pug, Buldogues e Shih Tzu, provavelmente já se depararam com essa situação, que segundo o especialista, pode levar o bicho a uma parada cardíaca se não tomadas as precauções necessárias.

Ainda segundo o Dr. Morais, a tosa como medida de prevenção ao calor pode ser um risco, visto que os pelos protegem o pet tanto do frio quanto do calor. Os cães regulam sua temperatura através da língua, diferente dos humanos que possuem glândulas sudoríparas, e, em determinadas situações, a falta deles podem superaquecer o animal, gerar queimaduras solares dolorosas e aumentar o risco do câncer de pele. Cães de pelo curto, como labradores, rottweilers e pit bull, e os de pelo médio, como goldens, corgis e pastores, não devem ser tosados, pois esse procedimento prejudica o mecanismo natural de compensação térmica deles.

Outra dica é evitar passear com o animal nas horas mais quentes do dia, optando por locais arejados para que ele possa descansar e oferecer petiscos gelados para refrescar. Andar com água e vasilhame é também fundamental durante as caminhadas. "Caso perceba algum dos sintomas de hipertermia no seu pet, coloque sobre ele uma toalha molhada para que a temperatura corpórea diminua e o leve imediatamente ao veterinário”, finaliza Dr. Morais.

Coisa de Bicho realiza bazar neste final de semana, dias 9 e 10

Peças serão vendidas com o preço único de R$1,00

O grupo de apoio ao animal de rua Coisa de Bicho realiza neste final de semana, dias 9 e 10 de fevereiro, mais um bazar em Assis.

O evento será realizado no sábado dia 9, das 9 às 17 horas e no domingo, dia 10, das 9 às 12 horas, e serão vendidas peças de roupas, sapatos, acessórios, artigos de cama, mesa e banho e brinquedos.

Todas as peças custarão R$1,00 e a renda será revertida para os trabalhos realizados voluntariamente pelo grupo, como compra de ração, medicamentos, castrações, vacinações e vermífugos.

O bazar acontece na rua Londrina, 17, no Jardim Paraná, nas dependências da escola Léo Pizzato.



A renda será destinada para a manutenção dos trabalhos prestados pelo grupo


Quais cuidados que devemos ter ao passear com os cães em dias mais quentes?

*Por René Rodrigues Júnior

Para aqueles que possuem um pet em casa, passear com o animalzinho acaba virando um hábito diário. Porém, com o calor que ultrapassa os 30 graus nos últimos tempos, alguns cuidados devem ser tomados, principalmente com os cães, no passeio na cidade, praia ou parque.

Um dos primeiros pontos que se deve ter cuidado é com a temperatura do piso, seja do asfalto, do concreto e até mesmo da areia da praia, já que os cães podem sofrer ferimentos graves nos coxins, ou seja, nas almofadinhas das patas. O ideal é sempre realizar o passeio em horários mais frescos como no início da manhã ou no fim da tarde. Além disso, a hidratação do animal não deve ser esquecida. Ofereça água constantemente ao cão durante o passeio.

Além de todos esses cuidados, é preciso ficar atento também o quanto seu parceiro consegue passear. Pode ser que ele não esteja adaptado para passear a quantidade de tempo que queremos. Um detalhe importante é checar a coloração da língua do animal. O ideal é que ela esteja sempre com um tom rosado - se estiver muito escura ou arroxeada, é sinal de que ele fez muito esforço, para evitar isso mantenha seu cãozinho sempre com a respiração tranquila, evitando que ele fique ofegante e com excesso de salivação.

E para aqueles donos que gostam de praticar exercícios físicos como corrida ao ar livre, junto com o cão, é muito importante fazer uma adaptação e um aquecimento de início, correndo primeiro alguns minutos no dia e nunca de uma vez só.

Para se ter um passeio efetivo, a duração pode variar de acordo com o tamanho do cão. Para os de pequeno porte, o ideal é realizar a caminhada até uma hora por dia. Já para os maiores, o tempo pode se estender um pouco mais, principalmente para aqueles animais que possuem muita energia e são mais elétricos.

Não podemos esquecer que é preciso ficar de olho em cães braquicefálicos, ou seja, aqueles de focinho achatado como o Bulldog Francês ou Boxer. Essas raças contam com uma capacidade respiratória menor, por isso, o cuidado com a prática de exercícios físicos deve ser redobrado.

Levando-se em consideração todos esses cuidados, você poderá aproveitar muito mais a companhia do seu cão!


É preciso ficar atento também o quanto seu parceiro consegue passear


Saiba como proteger seu animal de estimação no momento da queima de fogos de artifício

*Por René Rodrigues Júnior

Para os seres humanos, fogos de artifício representam alegria, festa e celebração. Porém, para alguns animais de estimação, a situação é bem diferente. Tanto que, para esse fim de ano, a Prefeitura de São Paulo aprovou uma lei que proíbe o uso de fogos de estampidos. Será a primeira vez que a comemoração de Réveillon na avenida Paulista terá fogos silenciosos. O motivo? O barulho que é produzido no momento do estouro e a maneira repentina que acontece pode causar medo em alguns animais e muitas vezes até sintomas de pânico.

Como identificar se seu cão ou gato está com medo? Um dos indícios é o ato de tentar se esconder, andar ou correr pela casa em busca de um local seguro ou com menos barulho, ficam ofegantes (respiração acelerada) e em alguns casos com taquicardia (coração acelerado). Animais com predisposição ou com algum problema no coração podem apresentar até crises de inconsciência. Para aqueles que já estão com uma idade avançada ou que possuem algum tipo de doença, principalmente cardíaca, o efeito pode ser fatal. A descarga de substâncias no organismo causadas pelo medo em excesso pode fazer com que tenham uma parada cardíaca ou desencadeie um ataque de epilepsia.

Para amenizar o sofrimento desses animais no período da queima de fogos, o ideal é seguir algumas dicas como:

· Oferecer um estímulo positivo – no caso de filhotes, fazer brincadeiras como jogar uma bolinha ou oferecer um petisco, ajuda a acalmar. O importante é tentar disfarçar o barulho e o medo dele com algo positivo para que se distraia enquanto acontece a queima, até que não ligue mais para os fogos.

· Manter-se junto ao animal - se já houver um histórico de medo ou pânico causado pelos fogos de artifícios, o ideal é sempre manter o animal próximo ao tutor, assim ele se sentirá mais protegido e seguro.

· Evitar locais perigosos - algumas residências possuem portas de vidro e muitos animais, no momento do medo, acabam atravessando o vidro e se machucam com a quebra, o que pode levar a óbito por lesões mais graves. Outro local a ser evitado são as sacadas de apartamentos ou sobrados, já que eles podem pular.

·Uso de medicamentos – o uso de medicamentos tranquilizantes pode ser usado, mas somente quando for necessário e sempre sob a supervisão e prescrição do médico veterinário.


Um dos indícios de medo é o ato de tentar se esconder, andar ou correr pela casa em busca de um local seguro ou com menos barulho


* René Rodrigues Júnior é médico veterinário da Magnus, fabricante de alimentos para cães e gatos.

Cachorra é resgatada após atropelamento e busca por seus tutores em Assis

Ela foi encontrada na Avenida Otto Ribeiro nesta terça-feira, 11

Uma cachorrinha foi resgatada nesta terça-feira, 11, após ser atropelada na Avenida Otto Ribeiro, em Assis.

Segundo Michele Amaro, ela viu a cachorra já machucada e fez de tudo para conseguir pagar seu tratamento.

"Eu saí com a minha família para comer pastel e vi ela se arrastando na avenida, que é super movimentada e onde os carros andam em alta velocidade. Coloquei ela na calçada e fui perguntando se alguém sabia de quem era, até que o pessoal foi me dizendo que ela já tinha sido atropelada há uma semana, mas ninguém fez nada para atendê-la. Eu não conseguiria ir embora e deixar ela lá, então liguei para três amigas e fizemos uma mobilização para conseguir pagar seu tratamento”, afirma.

A cachorra estava bastante assustada e com dor, mas com carinho conseguiu ser acalmada e levada até a clínica veterinária.

"Foi difícil fazer o resgate, porque ela estava muito assustada. Mas ela percebeu que seria cuidada e por isso deu tudo certo. Levamos ela até uma clínica e pagaremos pelo atendimento mesmo sem condições, mas porque temos respeito pela vida. Percebemos que ela estava com uma coleira que parece ser uma alça de bolsa e esperamos que isso ajude a chegarmos até os tutores dela”, salienta.

Caso alguém reconheça a cachorrinha, que é de pequeno porte e tem a pelagem marrom clara, pode entrar em contato pelo telefone (18) 99744-5610.


Cachorra foi resgatada na Avenida Otto Ribeiro, em Assis


Ela está se recuperando após atendimento veterinário


Coleira é uma alça de bolsa e pode ajudar a identificação dos tutores


Cães abandonados pedem presentes de Natal em campanha realizada por voluntários de Assis

Padrinhos poderão doar ração, vacinas, cobertores e outros itens

O clima natalino mexe com os corações das pessoas, estimulando a solidariedade e as boas ações. Para tornar o final de ano ainda mais especial, os voluntários da SOS Pets de Assis iniciaram uma campanha de Natal para arrecadar doações aos animais abandonados assistidos pela entidade.

"Por um Natal melhor” é o tema da campanha que mostra, em imagens, o que os cachorrinhos mais precisam neste momento. As fotos de cada um dos animais mostra uma plaquinha com seus nomes e o que eles pedem para o Papai Noel.

As publicações também contam como os pets foram resgatados e um pouco do histórico de cada um. A Mila, por exemplo, foi abandonada com outros filhotes em um milharal de Cândido Mota. Os demais foram adotados, mas ela não conseguiu uma família até o momento e seria muito importante que, além de uma adoção responsável, ela também pudesse ganhar vacinas e castração.

Já a Vitória foi atropelada e não recebeu socorro após o acidente. Por conta disso, a cachorrinha ficou com uma limitação da cintura para baixo e chegou a ser adotada, mas foi devolvida. Na campanha de Natal, ela pede um lar com muito amor, além de ração, vacina e fraldas.

Se você deseja ajudar estes ou outros animais abandonados, confira todos os pedidos na página da SOS Pets de Assis.

Veja abaixo alguns dos pedidos e participe:



Como escolher o alimento ideal para o seu cachorro?

*Por René Rodrigues Júnior

Animais de estimação são vistos como amigos e, até mesmo, membros de uma família. O cão, por exemplo, é considerado o melhor amigo do homem. São inteligentes, trazem alegria para o lar, lidam bem com as crianças, além de serem companheiros fiéis. Porém, para cuidar de um cão é preciso muita responsabilidade, já que exige cuidados. Assim como os seres humanos, eles sentem frio, ficam doentes, precisam de banho, de passeio e, principalmente, de uma alimentação muito bem balanceada.

Aliás, você sabia que a alimentação pode interferir no desenvolvimento do seu animalzinho? Diante disso, a primeira pergunta que vem à cabeça é: como escolher o melhor alimento? Essa é uma questão muito importante, principalmente para donos de primeira viagem que nunca tiveram um cachorro. O primeiro ponto é procurar sempre por uma marca idônea. O segundo é escolher o produto ideal para a fase de vida em que o animal se encontra.

Normalmente, os alimentos para cães são divididos em duas categorias: filhotes e adultos. A principal diferença deles é que os filhotes estão em fase de crescimento e precisam de mais nutrientes, energia e proteínas para se desenvolverem de maneira adequada. Já o adulto precisa se manter no peso ideal. Para isso, é necessário um alimento com nutrientes apropriados à raça, porte, nível de atividade física entre outros fatores.

E você sabe do que é feito o alimento do cão? Dependendo do segmento, existem alguns ingredientes diferentes, mas a base feita é sempre composta por proteínas, carboidratos, vitaminas e minerais. O alimento é completo e balanceado, ou seja, contém todos os nutrientes que o animal precisa e em quantidade adequada. É importante reforçar que não se deve suplementar ou misturar restos de comida, como arroz, fubá, carne etc., pois existe o risco de desbalancear a quantidade de nutrientes que o cão precisa.

No mercado, existem inúmeros tipos de alimento, entre eles, os Premium e os Super Premium. E qual a diferença entre os dois? Alimentos Premium são aqueles de excelente qualidade, com todos os nutrientes necessários e que possuem ingredientes funcionais, que melhora a saúde intestinal do animal e a absorção de nutrientes. Já a categoria Super Premium conta com uma densidade energética maior, na qual os nutrientes estão concentrados para dar mais energia e proteína. Além disso, o volume de alimento dado ao cão deve ser menor, ou seja, quanto menor o volume de alimento, menos fezes.

Outro ponto importante que devemos alertar é que não se deve dar um alimento Super Premium como Premium, pois existe uma diferença na quantidade servida ao cão e isso pode gerar um déficit ou um excesso na alimentação. Portanto, oferecer a quantidade e o alimento correto ao animal é de extrema importância para a manutenção da sua saúde.

Além de todas as questões já abordadas, é necessário falar também sobre o armazenamento, pois o alimento deve ser guardado em um lugar fresco e em um recipiente com tampa fechado, para evitar a entrada de umidade, insetos e criação de bolor. Não se deve colocar na lavanderia ou deixar o saco aberto diretamente no chão.

Na dúvida, consulte sempre um médico veterinário. Ele poderá indicar a quantidade e o melhor tipo de alimento que se adeque ao seu amigo, já que cada porte de cão possui um metabolismo diferente.


* René Rodrigues Junior é médico veterinário da Magnus, fabricante de alimentos para cães e gatos.



Alimentação pode interferir no desenvolvimento do seu animalzinho

Tutores buscam por Pitbull desaparecida em Tarumã

Luna, como é chamada, está desaparecida desde segunda-feira, 19 de novembro

Uma cachorra da raça Pitbull e que atende pelo nome de Luna está desaparecida desde segunda-feira, 19, em Tarumã.

Seus tutores estão desolados com seu sumiço e pedem ajuda para conseguirem localizá-la. Luna tem porte médio, a pelagem marrom e olhos verdes. Ela é dócil e bastante brincalhona, o que os leva a acreditar que ela possa ter sido abrigada.

"Se alguém estiver com a Luna, pedimos que nos devolva porque ela tem um lar, uma família e é muito amada. Além disso, ela precisa tomar os medicamentos, que são imprescindíveis devido ao tratamento que ela faz, pois ela tem um problema genético que causa alergia na pele. Já tivemos alguns alarmes falsos, mas temos fé e pensamento positivo que ela será encontrada e poderá finalmente voltar para casa”, afirma sua tutora.

Caso alguém tenha informações, pode entrar em contato pelo telefone (18) 99608-5992 (falar com Nathália).


Luna está desaparecida desde segunda-feira, 19, em Tarumã


Tutores estão desolados e pedem ajuda para localizá-la


Dicas para melhorar a relação das crianças com os pets

Interação tende a trazer só benefícios para ambos, mas supervisão e cuidados preventivos são necessários para garantir a segurança

Em algum momento você já deve ter sido impactado por um vídeo fofo de uma criança interagindo com um pet. A relação entre os pequenos com os animais de estimação é comprovada por vários estudos como benéfica para ambos os lados, desde que alguns cuidados sejam adotados. Segundo a veterinária e gerente de serviços técnicos Pet da MSD Saúde Animal, Tatiana Braganholo, é importante estabelecer limites – tanto para a criança, como para o pet – e atentar-se a prevenção de doenças no animal.

"As crianças, principalmente as menores, podem não entender muito bem a fragilidade e a necessidade de respeitar o espaço do pet. Por isso é importante ensinar a elas que o animal nem sempre está disposto a interagir”, aponta a veterinária. A veterinária ressalta ainda que dependendo do tempo de convivência (se for recente) e da personalidade do animal, o contato precisa ser supervisionado para evitar que o pet reaja negativamente a alguma ação.

Para as famílias que estão pensando em adquirir um animalzinho, vale lembrar que é preciso avaliar alguns fatores para evitar possíveis dores de cabeça no futuro: veja se a sua criança tem alergia a pelos - que assim como a saliva do animal, pode causar reações - e avalie o animal que melhor se adequaria à família. Sempre lembrando que o pet precisará de atenção – incluindo brincadeiras e passeios externos – e cuidados com seu bem-estar, que requerem a supervisão de um adulto. Por outro lado, destinar algumas tarefas relacionadas ao animal pode ajudar no senso de responsabilidade e organização da criança.

Cães tendem a ser mais agitados e brincalhões, e têm mais dificuldade de se adaptar à solidão. Portanto, são mais indicados para crianças enérgicas e que passam mais tempo em casa. Já os gatos são mais introspectivos e reservados, tendo menos problemas em ficar sozinhos. Crianças mais tranquilas têm mais facilidade para se adequar aos bichanos.

Amizade para toda a vida

Permitir à criança a convivência com um pet pode estimulá-la a desenvolver o amor e respeito pelos animais, que serão levados com ela ao longo de toda sua vida. Quando bem inserido na rotina da casa, o animal também pode ser um elo para as atividades em família.

"Os animais costumam estabelecer uma boa relação com as crianças. Acredito que esse contato ensina muito aos pequenos, já que com o pet aprendem a perceber os sentimentos do outro e a ter responsabilidade, principalmente quando são incluídos nos cuidados diários com o animal”, destaca Tatiana, que finaliza "com responsabilidade, todos saem ganhando com essa relação”.

Saúde em dia

Como é crescente o número de brasileiros que consideram o pet um membro de suas famílias - segundo levantamento do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), somente no Brasil, há cerca de 132 milhões de pets -, vem crescendo também os cuidados preventivos com a saúde desses animais, evitando assim a transmissão de doenças a todos, principalmente as crianças.

"Sabemos que, tanto os gatos como os cachorros, vêm passando mais tempo dentro de casa, muitas vezes dormindo com os seus tutores. Portanto, para manter a saúde de todos é preciso tomar alguns cuidados. A higiene dos animais é essencial, bem como a vermifugação e a prevenção de parasitas externos, pulgas e carrapatos”, afirma Tatiana, que complementa "é preciso oferecer a esses animais soluções preventivas de longo prazo, diminuindo assim as chances do ciclo da pulga e do carrapato se reiniciar e infestar a casa e seus moradores”.

Pode parecer exagero, mas as pulgas e carrapatos quando dentro de casa podem transmitir diversas doenças para os humanos, como Doença de Lyme, Babesiose, Febre maculosa, entre outras. A prevenção é fundamental, e deve ser feita nos pets desde filhotes.


O animal também pode ser um elo para as atividades em família


Afinal, castração animal é mutilação?

A veterinária Carolina Rocha traz explicações sobre o tema e dicas úteis para a saúde dos pets

Para conscientizar a população e desmistificar todo o preconceito que há em torno da castração, a veterinária Carolina Rocha, mestre em comportamento animal e fundadora da Pet Anjo, traz explicações no que diz respeito ao falso conceito de mutilação do animal e também à violação de escolha dele em procriar. "Há milhares de anos, os cães e gatos foram domesticados. Todas as escolhas desses animais são feitas pelo tutor, seja na alimentação, no estilo de vida e inclusive, sobre ter ou não filhotes", afirma.

A veterinária destaca que não se trata de mutilação, se o procedimento é realizado de modo correto, com profissionais capacitados, toda a higienização, esterilização, analgesia e os cuidados pós-operatórios necessários. "A cirurgia em nada tem a ver com maus tratos, ao contrário, evita enfermidades e a superpopulação de animais nas ruas", completa. Abaixo ela lista mais detalhes:

Principais benefícios da castração


Para a sociedade

Alternativa mais adequada para o controle populacional de animais abandonados e é claro, para a saúde e bem estar dos bichinhos. Segundo a veterinária, o número de cães e gatos em situação de abandono no Brasil não é exato, mas está próximo dos 30 milhões, que não têm alimentação, cuidados com a saúde, proteção, moradia e até sofrem abusos;

Diminuição da incidência de doenças transmitidas de animais para humanos, como a raiva.

Para todos os cães e gatos

A expectativa de vida do animal aumenta, alguns estudos apontam que animais castrados vivem cerca de 10 ou 15% a mais, do que os não castrados;

Nos cães machos

Evita tumores nos testículos, diminui a incidência de câncer de próstata e problemas urinários;

Diminui as chances de contrair o TVT (tumor venéreo transmitido), propagado durante o coito com animais já infectados;

Diminuição da marcação de território (urinar em vários lugares da casa), isso quando o procedimento é feito com o animal ainda jovem.

Nas cadelas

Diminui os índices de doenças transmitidas por meio do coito (cruzamento entre animais), protege da "piometra", infecção no útero comum naquelas que não passaram pelo procedimento. A prática de castrar também impede tumores de mama e infecções uterinas.

Nos gatos de ambos os sexos

Diminuição da incidência do vírus da imunodeficiência felina (AIDS felina), transmitida por meio de mordidas e arranhões de animais portadores do vírus, que em geral são ocasionados por brigas nas ruas. Quando castrados, eles tendem a sair menos de casa e ficam mais calmos.

Nas fêmeas (cadelas e gatas)

Ausência do cio, que levaria à irritabilidade nas cachorras e miados intensos durante à noite para a gatas.

Quando castrar?

O ideal é que a castração seja feita antes do animal alcançar a maturidade sexual. Nos cães machos, por exemplo, antes dos seis meses, tendo a certeza de que os testículos já desceram até a bolsa escrotal, essa certificação é fundamental, pois quando o filhote macho é muito novo, os testículos ficam localizados na cavidade abdominal. Nas fêmeas, a castração deve ser efetuada antes do primeiro cio. "Existe um mito de que devemos deixar a cadela ter o primeiro cio, por causa do desenvolvimento, mas não há necessidade. Falamos cada vez mais sobre a castração precoce, então, com 3 ou 4 meses, as fêmeas já podem ser operadas", detalha.

Castração gratuita

Acessar o site do Centro de Controle de Zoonoses do município e seguir todas as recomendações citadas. Após esse primeiro passo, o tutor receberá informações sobre o local para onde será direcionado. É necessário levar os dados do pet, como nome, data de nascimento (ou pelo menos uma referência) e o comprovante de residência do tutor, para que seja feito o documento de identificação do animal e posteriormente, o agendamento da cirurgia.

Diagnóstico precoce de Alzheimer garante bem-estar aos pets

Com o aumento da expectativa de vida, cada vez mais bichinhos de estimação apresentam a degeneração cognitiva, doença que causa mudança no comportamento

Os pets estão vivendo mais e enfrentam os riscos de doenças crônicas e degenerativas. A síndrome da disfunção cognitiva é um dos problemas que têm sido frequentes entre os cãezinhos idosos. Assim como o Alzheimer nos humanos, a doença é caracterizada pelo envelhecimento das células do cérebro.

"Apesar de não ter cura, quando diagnosticada no início é possível retardar o seu avanço e controlar os sintomas, proporcionando cuidados para garantir melhor qualidade de vida aos bichinhos de estimação”, afirma a veterinária Carolina Dias Jimenez, especialista em neurologia da Petz.

Por isso, o Dia Mundial de Conscientização do Alzheimer, em 21 de setembro, é importante também para alertar sobre os riscos nos bichinhos de estimação. Com o envelhecimento, ocorre a deposição de uma proteína chamada amiloide nos neurônios e em todo tecido cerebral, que causa a morte gradual das células.

Sinais

A doença se manifesta geralmente a partir dos 10 anos, com a desorientação (envolve momentos de agitação e/ou de sonolência), redução de atividade física, mudanças no padrão do sono, perda de memória visual e alteração nos hábitos de higiene. "Eles começam a olhar para o nada, se perdem atrás de móveis, não reconhecem o dono, dormem mais tempo durante o dia e, à noite, ficam zanzando pela casa compulsivamente”, explica a veterinária.

Com a evolução do problema, eles passam a não saber mais como beber água ou comer, não conseguem mais deglutir, podem parar de andar, perder a atividade locomotora, com uma série de consequências à saúde.

Tratamento

Além do acompanhamento veterinário, o tratamento é feito com antioxidantes, que vão retardar o envelhecimento celular e, consequentemente, a liberação da substância amiloide. Também é usada medicação que aumenta a vascularização no cérebro, melhorando o seu funcionamento. "É uma doença degenerativa, como no ser humano. O acompanhamento veterinário poderá retardar os sintomas e minimizar os efeitos, mas vai continuar evoluindo”, esclarece a Dra. Carolina.

Quando o animal começa com os sinais neurológicos, é importante fazer uma ressonância magnética ou algum outro tipo de exame mais apurado para excluir problemas como tumor cerebral, que tem tratamento oposto ao Alzheimer. Mas o diagnóstico é clínico, pois nenhum exame mostra as alterações.

Prevenção

Além de ter uma alimentação equilibrada e praticar atividades físicas frequentemente, a indicação é começar com antioxidantes e vitaminas o mais precoce possível, por exemplo, a partir dos 8 anos. Outra opção são rações ricas em antioxidantes que auxiliam no combate aos radicais livres e, por sua vez, combatem o envelhecimento.

Normalmente, as raças pequenas como yorkshire, maltês e schnauzer são mais predispostas à doença, principalmente porque a expectativa de vida delas é maior. Para que o pet fique bem, no entanto, a compreensão e atenção dos donos são ótimos tratamentos. Veja abaixo algumas dicas da veterinária.

1 - Não deixar o pet sozinho por longos períodos, já que eles podem ficar confusos ao se enfiarem em lugares restritos da casa e não conseguirem sair, como embaixo de móveis, atrás de portas.

2 - Eles vão dormir por mais tempo. Isso acontece não só pela doença, como pelo envelhecimento. O ideal é levá-los mesmo dormindo para fazer as necessidades ou recorrer às fraldas descartáveis (mas nem todos se adaptam).

3 - Se possível, deixar o espaço livre onde eles ficam para que possam caminhar, quando desejarem, sem acidentes. Manter a caminha higienizada e respeitar a lentidão nos momentos de passeio.

4 - Como podem ocorrer também mudanças no apetite do pet, que troca o dia pela noite, deixe a ração disponível e a água por tempo indeterminado. Converse com o veterinário para indicar opções pastosas para facilitar a mastigação do cão.

5 – Faça check-up e acompanhamento veterinário de seis em seis meses para garantir bem-estar e controlar os efeitos da doença.


A doença se manifesta nos pets geralmente a partir dos 10 anos


Mitos e verdades da castração dos pets

Procedimento simples traz maior qualidade de vida e longevidade para cães e gatos

É sabido que a relação com os pets tem ganhado um novo significado. Hoje muitos animais são considerados membros da família e, por isso, têm mais espaço e cuidados nos lares brasileiros. Segundo levantamento do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), o Brasil tem a segunda maior população de animais domésticos do mundo, com 22,1 milhões de gatos e 52,2 milhões de cachorros.

Nesse cenário, a castração é essencial no controle do crescimento populacional dos pets. O procedimento evita crias indesejadas, que contribuem para o aumento do número de cães e gatos abandonados. De acordo com levantamento feito pela Organização Mundial da Saúde (OMS), no Brasil há cerca de 30 milhões de animais sem um lar. Mesmo assim, muitos tutores ainda resistem a realizar o procedimento devido a alguns mitos.

Segundo Marcio Barboza, gerente técnico Pet MSD Saúde Animal, a castração traz muitos benefícios à saúde do pet, já que melhora sua qualidade de vida e, consequentemente, pode aumentar sua longevidade. "O procedimento da castração é muito simples e garante quase nenhum risco aos animais saudáveis. O indicado é que seja realizado ainda no primeiro ano de vida do pet, antes da sua maturidade sexual”, afirma Marcio.

Abaixo esclarecemos algumas dúvidas comuns relacionadas à castração:

· Animais castrados têm menos riscos de desenvolver doenças como o câncer – Verdade. A castração reduz a variação hormonal sofrida pelos pets ao longo de suas vidas. Sendo assim, reduz as chances do aparecimento de tumores de testículo, ovário, mama e útero.

· Fêmeas castradas podem desenvolver incontinência urinária – Verdade. O problema acontece em uma pequena parcela dos animais castrados devido à ausência do hormônio estrogênio. "Hoje o mercado já disponibiliza medicamentos seguros e avançados que reduzem os sintomas da incontinência e evitam o desconforto no animal, sem gerar acúmulo no organismo em longo prazo”, destaca Marcio.

· Pets castrados tendem a ganhar peso – Mito. A obesidade nos pets é reflexo de uma alimentação rica em calorias aliada ao sedentarismo.

· A castração diminui as chances de fuga dos pets - Verdade. A castração diminui as respostas a estímulos reprodutivos, que incluem fugas, agressividade com outros animais e até latidos excessivos.

· Fêmeas devem ter ao menos uma cria antes de castrar – Mito. Os benefícios da castração precoce - àquelas feitas antes do primeiro cio – são inúmeros e benéficos à saúde da fêmea. O principal entre eles é a diminuição da incidência do câncer de mama ao longo da vida do animal.


Castração é essencial no controle do crescimento populacional dos pets


Assisense procura por gata desaparecida

Mimi, como é chamada, fugiu nesta terça-feira, 7

Uma gata que atende pelo nome de Mimi está desaparecida desde a noite desta terça-feira, 7, em Assis.

De acordo com sua tutora, ela fugiu na Rua Pedro Álvares Cabral, nas proximidades do Pronto Atendimento do Maria Isabel.

Mimi tem a pelagem em tons de cinza e branco, olhos azuis e usava uma coleira rosa no pescoço.

Caso alguém tenha informações sobre seu paradeiro, pode entrar em contato pelo telefone (18) 99604 5212.


Gata Mimi fugiu nas proximidades do Pronto Atendimento do Maria Isabel, em Assis


Mimi usava uma coleira rosa no pescoço


Cachorro está desaparecido na Vila Nova Assis

Ducke, como é chamado, fugiu nesta quarta-feira, 8

Um cachorro que atende pelo nome de Ducke está desaparecido desde quarta-feira, 8, em Assis.

De acordo com seus tutores, ele fugiu por volta das 18h30 na Vila Nova Assis. Quando era pequeno, o cachorro levou uma mordida no maxilar, passou por cirurgia, mas desde então ele precisa de cuidados especiais para conseguir comer.

Ducke é de porte médio/grande, tem a pelagem amarelada e é muito dócil. Os tutores afirmam que ele nunca saiu de casa e por isso estão preocupados com seu bem estar.

Caso alguém tenha informações sobre ele, pode entrar em contato pelos telefones (18) 99781-2013 ou (18) 99630-9689.


Ducke é de porte médio/grande, tem a pelagem amarelada e é muito dócil


Proteja seu pet contra a raiva

Embora a raiva seja considerada uma doença controlada no Brasil, a vacinação anual é essencial para a sua prevenção; Primeira dose deve ser aplicada a partir dos três meses do pet

Se você tem um cachorro ou gato em casa, com certeza já ouviu falar na importância da prevenção da raiva. A doença é fatal e acomete todos os mamíferos, podendo inclusive afetar os humanos. A vacinação é a principal medida para o controle da doença no meio urbano, devendo ser feita anualmente em todos os animais saudáveis a partir dos três meses de idade.

A campanha de vacinação gratuita em cães e gatos contra a raiva costuma ser promovida em agosto, mas os tutores que não puderem levar o seu pet durante o mês podem fazer a aplicação posteriormente com seu médico veterinário. Embora seja considerada praticamente erradicada no Brasil, a doença tem uma taxa de mortalidade para os animais perto dos 100%.

Entre os principais transmissores da raiva estão morcegos, macacos e gambás, animais silvestres que quando em contato com cachorros, gatos e humanos podem infectá-los com o vírus da doença, principalmente, através de mordidas, pois a saliva dos animais infectados contém o vírus rábico.

O vírus vai da ferida, por meio da corrente sanguínea, até o cérebro, provocando inflamação ou inchaço que causam os principais sintomas da doença, que são: mudanças no comportamento do pet, nervosismo, isolamento, ansiedade, febre, vômitos e diarreia.

Os sintomas da raiva nos animais variam de acordo com a fase da doença, e aparecem após o período de incubação, que pode levar de três a seis semanas. Ao notar qualquer alteração no comportamento do pet, o tutor deve isolar o animal do contato humano e de outros animais e procurar auxílio veterinário.

Segundo Andrei Nascimento, médico veterinário e gerente de produtos da unidade Pet da MSD Saúde Animal, mesmo sendo rara no país, a raiva é a doença infecciosa com a taxa de mortalidade mais alta entre os pets e deve ser prevenida por meio da vacinação. "O número de animais e pessoas infectadas no mundo diminuiu drasticamente devido ao aumento da conscientização sobre a importância da vacinação periódica. Nesse sentido, é fundamental que os tutores tenham atenção ao calendário de vacinação e sigam as orientações de um colega veterinário”, afirma Nascimento.


Vacinação deve ser feita em todos os animais saudáveis a partir dos três meses de idade


Tatuador promove Pet Day solidário nos dias 18 e 19, em Assis

Evento será realizado em parceria com a SOS Pets

Nos dias 18 e 19 de agosto, sábado e domingo, será realizado um evento especial para ajudar os animais abandonados, em Assis.

Em parceria com a SOS Pets, o tatuador Gabriel Andrade irá arrecadar doações de ração e em troca você poderá fazer uma tatuagem.

A cada saco de ração para cães (15 quilos) ou gatos (10 quilos), você terá direito a uma tatuagem de até 4 centímetros ou desconto de 50% para uma tattoo personalizada de até 10 centímetros do seu pet.

Todas as doações serão entregues para a SOS Pets, que cuida de animais abandonados na cidade. É a oportunidade de ajudar os bichinhos e ainda gravar na pele o amor pelo seu animal de estimação!

"Lembrando que serão válidas apenas tattoos temáticas e, no caso da troca pela ração, serão feitas apenas tatuagens já disponíveis no painel. As tatuagens não poderão ser agendadas previamente, sendo assim, serão escolhidas por ordem de chegada. Uma vez feita, nenhuma tatuagem poderá ser repetida. Portanto, cheguem cedo!”, afirma Gabriel.

Aqueles que não quiserem tatuar, também poderão contribuir. Todas as doações são bem-vindas.

O evento será realizado no Zero18 Estúdio, cujo endereço é Rua Fadlo Jabur, 159. Para mais informações, acesse o link do evento.



Cachorro está disponível para adoção, em Assis

Fred, como é chamado, é de pequeno porte e muito carinhoso

O pequeno Fred está em busca de um lar onde possa ganhar muito amor e carinho, em Assis.

Ele foi resgatado com uma das patas machucadas, passou pelo veterinário, tomou a medicação e agora está pronto para uma adoção responsável.

Ele é de pequeno porte, sem raça definida e muito carinhoso.

Caso alguém tenha interesse em adotá-lo, pode entrar em contato pelo telefone (18) 99627-6249 (Teresa Cristina).


Fred está disponível para adoção responsável, em Assis


Coisa de Bicho e Paróquia São Judas Tadeu promovem ação beneficente, em Assis

Evento será realizado no dia 17 de agosto, a partir das 20h

No dia 17 de agosto, sexta-feira, será realizada a primeira Ação Beneficente da entidade Coisa de Bicho, em parceria com a Paróquia São Judas Tadeu, em Assis.

As cartelas já estão sendo vendidas por R$10,00 e os participantes poderão participar do sorteio de cerca de 50 brindes, além de prêmios em dinheiro e o prêmio máximo de R$1 mil. Serão vendidas diversas opções de comidas e o estacionamento é gratuito.

O evento tem como objetivo ajudar os pets mais necessitados. Todo o lucro será destinado para castrações, compra de ração, casinhas, mantimentos, pagamento das clínicas veterinárias e PetShops, realização de mutirões, cobertas, medicamentos, consultas e procedimentos clínicos veterinários dos animais assistidos e resgatados pela entidade, que é mantida por voluntários.

Todos os amantes da causa animal e a comunidade em geral estão convidados! A Ação Beneficente será realizada a partir das 20h, no salão da Paróquia. O endereço é Rua São Carlos, 563, na Vila Progresso.

Mais informações podem ser obtidas pelos telefones (18) 99608-3418 e (18) 99726-2181 ou ainda pela página da Coisa de Bicho Assis.



Baixa umidade do ar prejudica a saúde dos pets

O clima seco favorece a propagação de vírus e bactérias, desenvolvendo infecções nos animais

O tempo seco não afeta apenas a saúde dos humanos. A baixa umidade do ar, típica dessa época do ano, prejudica também a saúde dos pets.

Nesse período, a predisposição para as doenças alérgicas e respiratórias aumenta. De acordo com Caroline Mouco Moretti, médica veterinária e diretora clínica do Grupo Vet Popular, a baixa umidade relativa do ar favorece a propagação de vírus e bactérias - que sobrevivem por mais tempo em ambiente seco - e acaba desenvolvendo infecções de intensidade variada nos animais.

"Os dias secos e frios podem debilitar a saúde dos pets, já que o clima prejudica o revestimento das mucosas, aumentando os riscos de sintomas típicos de doenças respiratórias, como a respiração rápida, superficial e ofegante, desânimo, falta de apetite, tosse seca e corrimento nasal”.

Animais que ficam mais ofegantes acabam dificultando a passagem dor ar, por isso é muito importante que os tutores proporcionem condições para que eles não adoeçam como manter os seus animais hidratados, deixando água fresca e limpa disponível o tempo todo, e diminuir a secura do ambiente.

"Para melhorar o clima dentro de casa, os responsáveis dos pets podem espalhar pelos ambientes bacias e recipientes com água, além de usar sem excesso e com cautela o umidificador. Toalhas molhadas também são ótimas para melhorar a secura e beneficiar o local”.

Manter o calendário de vacinação do animal em dia também é fundamental, já que as vacinas auxiliam a reforçar o sistema imunológico dos pets e previnem diversas doenças.


Baixa umidade do ar, típica dessa época do ano, prejudica também a saúde dos pets


10 dicas para deixar seu cachorro feliz

Por que não transformar as ações rotineiras em atividades que os deixam felizes?

Assim como nós, os cães também precisam de horários e regras para o bom convívio social, mas nem por isso essas ações precisam ser chatas. Aliás, eles curtem muito fazer qualquer coisa com seus tutores, então, por que não transformar as ações rotineiras em atividades que os deixam felizes? Os cães adoram:

1. Música: Por conta da audição sensível, os cães adoram ouvir música. Canções provocam estímulos emocionais e sensoriais que trazem calma e segurança ao animalzinho;

2. Atenção: Quem é que não gosta de ser cuidado por quem ama? Cachorros, em sua maioria, são animais sociáveis, sentem emoções e elas influenciam diretamente em seu bem-estar. Tire um tempo para dedicar exclusivamente ao seu animalzinho;

3. Estímulo mental: Sabe aquela brincadeira de jogar a bolinha e seu cãozinho trazer? É a atividade mais antiga do mundo para quem tem um pet e não sai de moda nunca. Com esses exercícios mentais, o cão sente-se estimulado e feliz;

4. Boa alimentação: Todo mundo é mais feliz quando come bem, e com os cães não é diferente. Mantenha uma rotina de horário com uma dieta equilibrada e, eventualmente, adicione alguns petiscos de boa qualidade;

5. Brinquedos: Um objeto novo é sempre bem-vindo e traz felicidade. Principalmente aqueles jogos que soltam pedaços de ração/petisco, em que a recompensa é imediata ou, em caso de cães mais despertos, brinquedos que façam barulho. Pets, mesmo mais idosos, gostam bastante de serem estimulados com brincadeiras;

6. Exercício: Cada raça tem suas características, e é preciso estar atento antes de levar seu cão para fazer atividades físicas. Mas, após o aval do veterinário, coloque essa programação na agenda. Exercícios regulares fortalecem a musculatura e trazem sensação de bem-estar ao animal;

7. Socializar: Permitir que seu cãozinho tenha contato com pessoas que não sejam da casa e principalmente com outros cães auxilia para que não tenha medo ou problemas de comportamento. É importante começar a fazer isso desde que são filhotes, logo que estiverem liberados para passear;

8. Conforto: Quer coisa mais gostosa do que deitar em um ambiente aconchegante depois de um dia intenso de atividades? Eles também adoram. Deixe sempre a área de descanso limpa, com os objetos, tapetes ou cobertas favoritos do animalzinho e longe do local onde comem e de onde fazem suas necessidades fisiológicas;

9. Viajar: Ao contrário do que muitos pensam, cachorros adoram viajar e acham que são parte da família – e têm toda razão! Lembre-se de que você tem amigos e conhecidos. O cão tem apenas você. Por isso, leve-o consigo sempre que possível. Eles gostam muito de estar em companhia das pessoas que ama e vão se divertir muito, mas não esqueça de consultar o veterinário antes da viagem;

10. Dormir com você: Isso mesmo! Cães sabem que aquele espaço é íntimo, pessoal e "seu cantinho”. Quando você permite que ele faça parte desse mundo, vai se sentir amado e muito querido. Não precisa ser todas as noites, mas, eventualmente, permita esse carinho.



SOS Pets realiza feira de adoção neste sábado, em Assis

Evento acontece das 10h às 16h

A SOS Pets realiza neste sábado, 28, mais uma feira de adoção, em Assis. Estarão disponíveis cães e gatos resgatados pela entidade e que buscam um novo lar.

O público também poderá aproveitar os brinquedos de recreação, pipoca, brindes e ofertas especiais nas linhas Max Total Alimentos.

Aqueles que adotarem algum dos pets disponíveis irão ganhar um brinde especial! Lembrando que a adoção deve ser feita de maneira responsável.

O evento será realizado no estacionamento do Avenida Max, localizado na Avenida Dom Antônio, 1600, na Vila Tênis Clube. O horário é das 10h às 16h.

Para mais informações, acesse a página da SOS Pets.



Inverno: seu pet necessita de cuidados redobrados

A médica veterinária Caroline Mouco Moretti dá dicas para proteger cães e gatos na estação mais fria do ano e prevenir doenças relacionadas ao inverno

No inverno os pets precisam de atenção e cuidados redobrados. Devido à queda da temperatura e a diminuição da umidade do ar, é nesse período que muitos cães e gatos podem sofrer com doenças relacionadas ao inverno como, por exemplo, a gripe canina para os cães e rinotraqueite felina para os gatos: ambas são doenças respiratórias.

De acordo com Caroline Mouco Moretti, médica veterinária e diretora clínica do Grupo Vet Popular, as vacinas são importantíssimas para manter o animal saudável durante o ano todo e principalmente no inverno.

Evitar passeios nos dias muito frios e banhos muitos frequentes principalmente nos animais mais idosos é importantíssimo. "O ideal é passear com os cães em horários que estejam mais quentes entre as 11h e às 15h, por exemplo”, explica a veterinária.

Na hora de dormir, é importante que o tutor deixe o cantinho do seu animal bem aquecido. "A dica é colocar um cobertor ou colchão para ele dormir, evitando contato direto com o chão”, ensina a especialista. A médica veterinária destaca ainda que com o frio, os pets bebem menos água e correm risco de ficar desidratados, por isso aconselha aos donos que coloquem mais potes de água pela casa, facilitando assim a hidratação deles.

Para os animais que possuem pelos ralos ou curtos e que estão acostumados com tecidos, a roupinha é uma boa opção para mantê-los aquecidos.. "Caso opte por roupas, dê preferência a peças com as quais o seu cão esteja acostumado e se sinta livre para brincar e fazer suas necessidades”, ressalta Caroline.

Já os animais que possuem pelos grandes e longos, segundo a médica veterinária, é preciso que o tutor tome muito cuidado com roupas, já que para esse tipo de pet, o tecido pode atrapalhar ao invés de ajudar. "O animal com pelos longos que utiliza roupa desenvolve nós, que não secam direito no banho, gerando fungos e bactérias, causando inclusive uma dermatite”. Caroline reforça ainda que caso os nós ocorram, o cachorro deverá ser tosado, o que o deixará mais exposto ao frio.

Além do cuidado especial no inverno, os animais de estimação merecem atenção redobrada durante o ano todo já que os cães e gatos estão suscetíveis a uma gama muito grande de doenças infecciosas virais, bacterianas, parasitárias, autoimunes e as doenças adquiridas. Segundo a diretora clínica do Grupo Vet Popular, algumas delas são chamadas de zoonoses, doenças que são transmitidas para o homem através dos animais como leptospirose, toxoplasmose, dipilidiose, raiva, salmonelose e dermatomicoses. "Para evitarmos que nossos cães e gatos não tenham doenças que possam ser transmitidas a nós e nossos familiares temos que manter a vacinação, vermifugação, antipulga, anticarrapaticida e as visitas ao médico veterinário em dia.”, finaliza.


Na hora de dormir, é importante que o tutor deixe o cantinho do seu animal bem aquecido


Animais de estimação tem regras em viagem nos ônibus intermunicipais em SP

Existem regras no transporte do animal que devem ser cumpridas

Bicho também sai de férias. Com a chegada do inverno a programação de viagem de muitos turistas inclui os animais de estimação. Atenta aos direitos dos amiguinhos do nosso cotidiano, a Artesp (Agência de Transportes do Estado de São Paulo) disciplina o transporte de animais domésticos no Transporte Rodoviário de Passageiros no Estado de São Paulo. Cada ônibus intermunicipal pode transportar até dois bichinhos e, como são realizadas aproximadamente 5 mil viagens diárias no Estado, os pets podem ocupar 10 mil vagas nos ônibus intermunicipais.

Mas existem regras no transporte do animal que devem ser cumpridas (veja no link a portaria completa: http://goo.gl/VPeDPT). A primeira delas diz respeito à saúde do bicho. É obrigatória a apresentação, no ato do embarque, do Atestado Sanitário, que tenha sido emitido em no máximo 03 (três) dias antes da viagem, por médico veterinário devidamente registrado no Conselho Regional de Medicina Veterinária da Unidade Federativa de origem do animal, com destaque para a comprovação de imunização anti-rábica.

Outras condições também devem ser obedecidas. Animais que por seu tamanho, ferocidade, peçonha ou saúde prejudiquem os demais passageiros de alguma forma, são impedidos de embarcar. O pet, com no máximo, 8 quilos de peso, deve ser acondicionado em recipiente apropriado para o transporte, isento de dejetos, água e alimentos. Ou seja, ele deve estar em segurança e confortável, para garantir também a tranquilidade e segurança dos passageiros. Este recipiente, chamado de contêiner, específico para o transporte, tem características técnicas que devem ser observadas no ato de sua aquisição. Deve ser feito de fibra de vidro ou material similar resistente, sem saliências ou protuberâncias, à prova de vazamentos e com dimensão máxima de 41x36x33 centímetros. Nas paradas, o dono deve providenciar a higienização do contêiner.

O pet deverá ocupar um assento ao lado do seu dono. Assim, o proprietário do animal tem de comprar uma passagem adicional. Segundo a Portaria Artesp, são autorizados dois animais a bordo por viagem. A exceção é feita aos cães-guia. É direito do deficiente visual viajar com seu cão-guia independentemente do peso e do pagamento de tarifa. Esses animais devem ser transportados entre as pernas de seu dono.

No caso de animais silvestres, da fauna brasileira ou exótica, é necessário que seja apresentada autorização de trânsito do IBAMA, nos termos da lei.



SOS Pets convida para Cãominhada neste domingo, em Assis

Concentração terá início a partir das 8h

Para celebrar o início das férias escolares, em parceria com o Colégio Einstein, a entidade SOS Pets convida a população de Assis para participar de uma Cãominhada neste domingo, 8.

A concentração terá início a partir das 8h. Trata-se de uma oportunidade na qual os tutores e passeadores poderão levar seus animais para se exercitar em um dia de passeio e diversão.

A organização reforça que o uso de guia é obrigatório, assim como da sacolinha, já que não é legal deixar sujeira pelo caminho. Por conta do tempo seco, não esqueça sua garrafinha com água e o potinho para o seu cãozinho.

Para participar basta doar a partir de um quilo de ração para cães ou gatos, que serão doados para famílias assistidas e animais sob responsabilidade dos voluntários. As inscrições serão feitas no local, cujo endereço é Avenida Nove de Julho, 651, no Centro.

Para mais informações, acesse a página oficial da SOS Pets.



Coisa de Bicho participa de arraiá com feira de adoção neste sábado, em Assis

Evento será realizado a partir das 9h

Neste sábado, 30, a partir das 9h, a Coisa de Bicho participa de um arraiá com feira de adoção de cães e gatos, em Assis.

Os animais estarão em busca de um novo lar e de novos tutores que os adotem com responsabilidade. A entidade informa que a castração será garantida para seis felinos adotados.

Além da feira de adoção, haverá também comidas típicas para o público. O evento acontece na Policlínica Reino Animal, cujo endereço é Rua Sebastião da Silva Leite, 585.

Para mais informações, acesse a página da Coisa de Bicho.



SOS Pets realiza feira de adoção neste sábado, em Assis

Iniciativa acontece a partir das 10h

A SOS Pets realiza neste sábado, 23, mais uma feira de adoção, em Assis. O evento acontece das 10h às 16h, no estacionamento do supermercado Avenida Max.

Cães e gatos resgatados pela entidade estarão em busca de um novo lar e, quem adorar um pet com responsabilidade, irá ganhar um sachê de Pedigree ou Whiskas.

Também haverá recreação, pipoca, brindes e ofertas especiais nas linhas Pedigree e Whiskas.

O endereço do Avenida Max é Avenida Dom Antônio, 1600, na Vila Tênis Clube. Para mais informações, acesse a página da SOS Pets.



Você sabia que seu pet também pode doar sangue?

Estar com as vacinas em dia, não ter pulgas e carrapatos e ser dócil estão entre os pré-requisitos para ação que pode salvar a vida de outros pets

Muita gente não sabe, mas a doação de sangue é também um ato de amor entre os pets. Cães e gatos saudáveis podem ser doadores e ajudar a salvar a vida de outros pets – claro, desde que atendam a alguns pré-requisitos, como estar com a saúde, vacinação e vermifugação em dia, ter pulgas e carrapatos controlados e ser um animal dócil. Assim como acontece com a doação de sangue humano, os bancos de sangue de animais sofrem com os baixos estoques.

Segundo Tatiana Braganholo, médica veterinária e gerente de serviços técnicos Pet da MSD Saúde Animal, além de anemias, doenças crônicas e perdas de sangue causadas por acidentes, um dos principais problemas que podem levar a transfusão de sangue são as doenças transmitidas pelo carrapato, que muitas vezes atingem a medula óssea do pet. Por isso, o cuidado com a saúde do animal deve incluir consultas periódicas com um veterinário e adoção de medidas preventivas prolongadas contra parasitas – como comprimidos ou coleiras -, essenciais para evitar casos que exijam uma transfusão sanguínea.


"Cada animal requer um tipo diferente de doação. Alguns precisam de sangue total, outros, apenas de alguns dos seus componentes (hemácias, plasma, plaquetas, albumina, leucócitos, fatores de coagulação etc). Por isso é importante que os centros de doação tenham um bom estoque”, afirma Tatiana, que complementa "o procedimento ajuda na recuperação e em muitos casos é essencial para que o animal não perca a vida”.

Antes da doação, o veterinário realiza alguns exames e avalia os requisitos básicos para confirmar a viabilidade do procedimento, que não causa nenhum prejuízo à saúde dos pets saudáveis. A quantidade de sangue extraída de cães de grande porte, por exemplo, não ultrapassa 450 mililitros. Muitas vezes, o animal recebe um sedativo leve para que se mantenha tranquilo durante a extração.

"É importante ressaltar que os animais, assim como nós, também têm diferentes tipos sanguíneos. Por isso a importância de haver mais pets doadores”, afirma Tatiana, que complementa "Temos visto muitos casos de tutores que recorrem às redes sociais para conseguir doadores para seus bichinhos. Muita gente não tem a informação de que é possível doar sangue do pet, por isso a conscientização é fundamental”.

Normalmente, hospitais veterinários universitários realizam o procedimento de coleta e mantêm em suas estruturas bancos de sangue.

Vale lembrar que cães e gatos têm pré-requisitos diferentes para a doação. Confira abaixo quais são e saiba se seu pet pode ajudar a salvar outras vidas:

Cachorros



· Pesar mais de 27 kg

· Vacinação e vermifugação em dia

· Estar com o controle de pulgas e carrapatos em dia

· Ter entre um e oito anos

· Ausência de doenças e transfusões prévias

· Fêmeas não devem estar prenhas, amamentando ou no cio



Gatos



· Pesar mais de 4 kgs

· Vacinação e vermifugação em dia

· Estar com o controle de pulgas e carrapatos em dia

· Ter entre um e sete anos de idade

· Ausência de doenças e transfusões prévias

· Fêmeas não devem estar prenhas, amamentando ou no cio

SOS Pets realiza bazar neste sábado, em Assis

Evento acontece na escola Carolina Burali

Neste sábado, 16, será realizado mais um bazar da entidade SOS Pets, em Assis. Desta vez, o evento acontecerá na Escola Carolina Burali, das 9h às 16h.

Serão vendidas diversas peças de roupas e acessórios, em parceria com o Programa Escola da Família.

A renda será destinada para a entidade SOS Pets, com o objetivo de quitar algumas contas adquiridas durante os diversos resgates de animais abandonados em Assis.

A escola Carolina Burali fica localizada na Rua Santa Cruz, 958, no Centro. Para mais informações, acesse a página da SOS Pets.



Labrador resgatada em posto de Tarumã volta para família

Matéria do AssisCity e publicações nas redes sociais ajudaram a saber de seu paradeiro

A família da labrador fêmea Hanna está feliz. Após iniciar uma campanha para reencontrá-la, a cachorra finalmente voltou para casa na manhã desta quinta-feira, 7, em Tarumã.

Hanna se perdeu no dia 1º de junho. Perdida, a cachorra conseguiu chegar a um posto de combustíveis próximo à rodovia. O que ninguém previa é que um casal, que não sabia que o animal estava perdido, acabaria levando a cachorra embora.

"A Hanna é minha labrador e tem 11 anos de idade. Ela está conosco desde que nasceu e é muito querida pela família. No dia 1º, ela fugiu e acabou se perdendo em Tarumã. Conseguimos imagens das câmeras do posto e foi quando descobrimos que ela havia sido levada pelo casal, que parou para abastecer e acreditou que ela estivesse abandonada. Conversei inclusive com a funcionária do posto, ela disse que eles ficaram um tempão fazendo carinho na Hanna, disseram que tinham um labrador também e que havia morrido há três dias. Só o que sabíamos é que o carro é um IX35, da marca Hyundai, cor branca, com placas de Assis”, explica Maiza Paitl, tutora da cachorra.

Após publicação nas redes sociais e também no site AssisCity, Hanna finalmente conseguiu voltar para casa.

"Encontramos a Hanna. Muito obrigada pela ajuda. O senhor que a levou me ligou e fui buscá-la de manhã. Ele contou que alguém viu a publicação e passou para ele. Agradeço de coração a ajuda e felizmente ela já está em casa”, conclui.


Hanna já está em casa com a família


Imagens mostraram carro de casal que resgatou a cachorra, em Tarumã


Os pets devem usar roupa durante o inverno?

Entenda quando você pode ou não colocar roupinhas no seu cão ou gato

O inverno chegou e as temperaturas já caíram em diversas cidades brasileiras. Nesta época do ano, os animais podem precisar de cuidado extra para não sofrer com o frio e ficarem doentes. Julia Oliveira de Camargo, médica veterinária da Dog Saúde, clínica veterinária localizada em Jundiaí-SP, afirma que é aconselhável colocar roupinhas nos pets, pois eles também sentem frio, principalmente os de pelo curto.

Mas a especialista alerta que é preciso ficar atento ao escolher o tipo de roupa, pois ela pode provocar problemas de pele em alguns animais. "Há cães que são alérgicos e começam a se coçar, gerando um grande incômodo, além de outras consequências negativas, como o aparecimento de feridas e sangramentos.”

Filhotes sofrem mais com o frio

Os filhotes, por serem mais frágeis e terem menos gordura corporal, sentem mais frio. Eles precisam de uma proteção ainda maior, pois são muito sensíveis e suscetíveis a ter o sistema imunológico enfraquecido no inverno. "Os filhotes não podem sentir frio de jeito nenhum já que correm o risco de ficar gravemente doentes”, destaca.

Toda pelagem protege do frio?

Segundo Julia, tudo depende do tipo de pelagem. Existem cachorros que têm uma pelagem própria que os protegem.

As raças de países frios, como por exemplo Husky Siberiano e Akita, possuem pelagens que ajudam a mantê-los aquecidos. "De fato, eles acabam sofrendo no verão e não no inverno”, explica. Por outro lado, os cães Poodle e Maltês são raças mais sensíveis, que naturalmente sentem mais frio.

Nem todo pet se dá bem com qualquer tecido

A veterinária conta que alguns animais apresentam sensibilidade ao algodão ou outros tecidos. "Nesses casos, o animal pode demonstrar sinais de que algo está errado, ele pode começar a se coçar, o pelo pode cair bastante”, esclarece. Caso isso ocorra, recomenda-se tirar imediatamente a roupa do animal.

No entanto, essa rejeição nem sempre acontece. "Também existem animais que usam as roupinhas e não têm problema nenhum”, lembra Julia.

Animais feridos ou com alergia: nada de roupinha!

A roupinha não é indicada quando o animal apresenta feridas na pele. Para que a cicatrização não demore mais, o local da ferida precisa estar aberto, para que haja oxigenação.

Além disso, cães e gatos que tenham alergia, devem ficar longe das roupinhas, pois eles podem ter muita coceira e há casos em que eles se coçam tanto que a pele chega a sangrar. "Para protegê-los contra o frio, vale deixá-los em um ambiente mais aquecido, junto com almofadinhas e cobertinhas”, sugere a médica veterinária da Dog Saúde.


Veterinária Julia Oliveira de Camargo



Sobre a veterinária

Julia Oliveira de Camargo (CRMV 38.373) é Médica Veterinária pela Universidade Anhembi Morumbi e proprietária do Hospital Veterinário Dog Saude (http://dogsaudejundiai.com.br)

Para 91% dos gestores em RH, animais no trabalho intensificam lealdade de funcionários

Os bichinhos têm ganhado espaço em lugares públicos e isso não é novidade, mas a permissão em locais de trabalho ainda deixa muitas empresas receosas. Uma pesquisa realizada pela Banfield, rede de hospitais norte americana, revela que 91% dos diretores de Recursos Humanos apoiam a atividade e dizem que os funcionários podem se tornar mais leais diante na presença do amigo peludo.

O levantamento também revela que 82% dos funcionários são a favor dos pets no ambiente corporativo. Além desses dados, o estudo também mostra os benefícios: 86% afirmam redução do estresse e 67% identificaram aumento na produtividade.

"Com todas essas impressões positivas, a ideia é incentivar organizações a adotarem essa prática, já que podem ser aplicadas uma vez por mês, a cada quinze dias, uma vez por semana ou diariamente. A decisão depende do perfil da empresa", diz Carolina Rocha, médica veterinária especialista em comportamento animal e fundadora da Pet Anjo, plataforma de serviços pet como dogwalker, pet sitter e hospedagem familiar. Ela separou algumas dicas para ajudar as empresas a se tornarem Pet Friendly.

Obter o apoio dos diretores e funcionários;

Avaliar os cães e seus temperamentos e utilizar coleiras codificadas com cores que indiquem o comportamento daquele cão, por exemplo, verde para animais que permitem qualquer interação e vermelho para animais tímidos. Lembrando que não é recomendado cães agressivos nos locais de trabalho;

Treinar os funcionários para saberem o que significa cada cor da coleira;

Garantir um espaço com água fresca para o animal e caminhadas regularmente, como na hora do almoço e café;

Colocar regras para latidos, corridas e brincadeiras que atrapalhem o funcionamento dos serviços;

Deixar claro quem é o responsável do animal;

Carolina ainda comenta como os bichos auxiliam na interação entre os colegas de trabalho. "É muito mais fácil se aproximar de alguém quando ele está com um animal, além disso, os níveis de fofoca podem diminuir já que eles passam a falar mais dos cães do que das pessoas", explica.



Inverno: seu pet necessita de cuidados redobrados

Médica veterinária dá dicas para proteger cães e gatos na estação mais fria do ano e prevenir doenças relacionadas ao inverno

O frio está chegando e os pets precisam de atenção e cuidados redobrados. Devido à queda da temperatura e a diminuição da umidade do ar, é nesse período que muitos cães e gatos podem sofrer com doenças relacionadas ao inverno como, por exemplo, a gripe canina para os cães e rinotraqueite felina para os gatos: ambas são doenças respiratórias.

De acordo com Caroline Mouco Moretti, médica veterinária e diretora clínica do Grupo Vet Popular, as vacinas são importantíssimas para manter o animal saudável durante o ano todo e principalmente no inverno.

Evitar passeios nos dias muito frios e banhos muitos frequentes principalmente nos animais mais idosos é importantíssimo. "O ideal é passear com os cães em horários que estejam mais quentes entre as 11h e às 15h, por exemplo”, explica a veterinária.

Na hora de dormir, é importante que o tutor deixe o cantinho do seu animal bem aquecido. "A dica é colocar um cobertor ou colchão para ele dormir, evitando contato direto com o chão”, ensina a especialista. A médica veterinária destaca ainda que com o frio, os pets bebem menos água e correm risco de ficar desidratados, por isso aconselha aos donos que coloquem mais potes de água pela casa, facilitando assim a hidratação deles.

Para os animais que possuem pelos ralos ou curtos e que estão acostumados com tecidos, a roupinha é uma boa opção para mantê-los aquecidos.. "Caso opte por roupas, dê preferência a peças com as quais o seu cão esteja acostumado e se sinta livre para brincar e fazer suas necessidades”, ressalta Caroline.

Já os animais que possuem pelos grandes e longos, segundo a médica veterinária, é preciso que o tutor tome muito cuidado com roupas, já que para esse tipo de pet, o tecido pode atrapalhar ao invés de ajudar. "O animal com pelos longos que utiliza roupa desenvolve nós, que não secam direito no banho, gerando fungos e bactérias, causando inclusive uma dermatite”. Caroline reforça ainda que caso os nós ocorram, o cachorro deverá ser tosado, o que o deixará mais exposto ao frio.

Além do cuidado especial no inverno, os animais de estimação merecem atenção redobrada durante o ano todo já que os cães e gatos estão suscetíveis a uma gama muito grande de doenças infecciosas virais, bacterianas, parasitárias, autoimunes e as doenças adquiridas. Segundo a diretora clínica do Grupo Vet Popular, algumas delas são chamadas de zoonoses, doenças que são transmitidas para o homem através dos animais como leptospirose, toxoplasmose, dipilidiose, raiva, salmonelose e dermatomicoses. "Para evitarmos que nossos cães e gatos não tenham doenças que possam ser transmitidas a nós e nossos familiares temos que manter a vacinação, vermifugação, antipulga, anticarrapaticida e as visitas ao médico veterinário em dia.”, finaliza.



SOS Pets realiza feira de adoção neste sábado, 19, em Assis

Evento acontece das 10h às 16h

A SOS Pets, entidade voluntária que realiza o resgate de animais abandonados em Assis, realiza neste sábado, 19, mais uma feira de adoção.

Estarão em busca de um novo lar cães e gatos adultos, que precisam de tutores para adotá-los e amá-los, sempre com muita responsabilidade.

Além da vantagem de ganhar muito carinho dos peludinhos, os animais adultos são ótimos para donos de primeira viagem e com a rotina agitada. Eles amam iguais aos filhotes, além de aprenderem mais rapidamente e fazerem menos bagunça.

Também haverá recreação, pipoca e brindes para os presentes, bem como ofertas especiais nas rações da Linha Max.

A feira de adoção acontece das 10h às 16h, no estacionamento do Supermercado Avenida Max. O endereço é Avenida Dom Antônio, 1600, na Vila Tênis Clube. Para mais informações, acesse a página da SOS Pets.



Cachorra está desaparecida na Vila Santa Cecília, em Assis

Ela atende pelo nome de Tequila

Os tutores da pequena Tequila estão buscando informações sobre ela desde o seu desaparecimento, em Assis. Tequila é uma fêmea sem raça definida e que fugiu no início do mês de abril, na região da Vila Santa Cecília.

Desde então, os tutores não desistiram de buscar notícias sobre seu paradeiro. Segundo eles, Tequila estava tosada quando fugiu, mas como ela tem várias raças misturadas, já deve estar com o fucinho mais peludo.

Quem tiver informações sobre ela, pode entrar em contato com os tutores pelo telefone (18) 99705-3152.


Tequila desapareceu no início do mês de março


Tutores acreditam que ela esteja mais peluda