10 de Dezembro de 2019
17º/33º
ENTRETENIMENTO » COLUNISTAS

Meus parabéns e boa sorte, senhorita!

COLUNISTA - Isabella Nucci

Um dos piores antagonistas da democracia, Nicolás Maduro, é nossa mais convicta certeza de que o caos na Venezuela é um aspecto muito semelhantes às prioridades sanguinárias dos péssimos desgovernos cubanos. Detalhe: Cuba foi e ainda vem sendo um bom ou mal exemplo de que a ditadura serve, e muito bem, para matar e não aliviar o sufoco agravante do socialismo.

Fidel Castro e, em seguida, Hugo Chavez, só fizeram aumentar a matança no País que, independente de Miguel Díaz-Canel (atual representante) não ser militar nem ter participação na antiga Revolução Cubana, ora! - não deixa de ser, até nos dias de hoje, uma nação massacrada pelo macro-presídio político e econômico. Mas a caótica situação dos venezuelanos vai além de tudo isso aqui até então ressaltado...

Em resumo, o fechamento das fronteiras elevou muitíssimo o clima tenso entre os países vizinhos. Aliás, Bolsonaro e o presidente dos EUA, Donald Trump, estavam prestes a fornecer mantimentos e remédios quando as divisas foram cerradas por decreto do psicopata. Eis que o tirano está sob ameaças de Ruan Guaidó, líder da oposição que se declarou presidente interino.

As pessoas estão famintas e não têm acesso aos produtos de necessidade básica porque Nicolás está pedindo guerra: caminhões queimados, tiros disparados e seres humanos, desde os mais pobres até os mais "bem de vida”, na total miséria. O trânsito da Venezuela foi suspenso para evitar a ação dos opositores e os aeroportos tiveram que cancelar a rota dos voos. As fronteiras permanecem fechadas e, no decorrer deste drama, os manifestantes entraram em confronto com as forças armadas. Alguns mortos e bastante feridos marcaram o dia de ajuda humanitária.

Enquanto isso, Eduardo Bolsonaro - deputado federal pelo Estado de São Paulo e filho do líder brasileiro - recentemente afirmou: "Maduro só sai à base do tiro”. E aí? Será que uma suposta terceira guerra mundial resolve mesmo?! Infelizmente, caríssimos leitores, talvez isso seja a única alternativa para que o filme de terror vivido por milhares de inocentes termine sob um desfecho menos pior do que o possível remanescente roteiro.

Afinal, se o comandante da involução mais diabólica permanecer irredutível e principalmente vivo, o PT (Partido dos Terroristas), vai continuar considerando a missão dos opositores como um "golpe de Estado”. Em outras palavras, para vocês terem uma ideia deste absurdo, dou-me ao luxo de transcrever o que a "ilustríssima” Gleisi Hoffman publicou em nota. "Incapaz de lidar com os problemas reais do Brasil, o governo de Jair Bolsonaro intrometeu-se nos assuntos internos de um país vizinho, a Venezuela, submetendo-se de forma humilhante à política externa do presidente dos Estados Unidos, Donald Trump.”

Espera aí! Ela disse "humilhante”? Gente, o que obviamente é desprezível e que de fato humilha a moral de qualquer um se dá com o envolvimento desta gangue de bandidos em casos de extrema preocupação global. Pior: Hoffman ainda teve uma gigantesca cara de pau quando se atreveu a dizer que a América Latina, de acordo com as "forças democráticas”, precisa "retomar o diálogo político”.

Ah sim, claro né, queridinha! Quem sabe se o que você e o restante de sua quadrilha construíram neste século, ou seja, uma alta muralha de corrupção e um significativo índice de sem-vergonhice, num passe de mágica resolva tudo em consequência de suas retóricas requentadas? Não é mesmo?

Vixi, tenho uma ideia ainda melhor porque "as palavras valem mais que as atitudes”. Certo? Então, que tal reunir todos os presidentes, inclusive o seu fetiche que é o Maduro, para tentar persuadí-lo e, depois de muito "diálogo”, fazer com que ele mude seus planos e ideais? Saiba que realmente, senhorita, isso vale muito a pena para quem tentou dar o Nobel da Paz ao chefe da quadrilha petista condenado desde 7 de abril do ano passado... Meus parabéns e boa sorte!



Isabella Nucci - Poeta, Jornalista e Compositora 💫
Isabella Nucci
Isabella Nucci 💫 Jornalista, poeta e compositora
+ VEJA TAMBÉM