09 de Dezembro de 2019
17º/33º
ENTRETENIMENTO » COLUNISTAS

O Preço do Petróleo

Por Prof. Me. Thiago Hernandes de Souza Lima

Sabe-se que o petróleo é a mais importante fonte fóssil usada pela humanidade. Dentre suas finalidades de uso, destacam-se: combustível para veículos, para aviões e para termoelétricas, além de uma infinidade de aplicações em vários outros setores como o industrial e o agropecuário.

Entretanto, esta matéria quase "mágica" face as suas múltiplas aplicações, não é composta apenas de "rosas", mas sim, de um complexo contexto de custos sociais, ambientais e econômicos envolvendo poluição do ar, da água, das mudanças climáticas, doenças respiratórias dentre outras adversidades.

Não obstante a estes fatos, nas últimas semanas em praticamente todos os meios de comunicação, os brasileiros estão sendo permanentemente "bombardeados" com informações vinculadas ao maior derramamento de petróleo em águas marítimas a atingir a costa brasileira, cujos responsáveis pelo ocorrido ainda não são oficialmente conhecidos, apesar de que conforme afirmou a Petrobras, a origem do combustível derramado é de poços venezuelanos.

Dentre os efeitos decorrentes deste acidente, cita-se: contaminação de águas oceânicas, poluição das praias, impactos e perdas junto à fauna e flora, reduções da pesca e do turismo.

Por falar em turismo, vale a penas ressaltar que a região Nordeste que é um dos principais destinos de turistas brasileiros e estrangeiros, está neste exato instante entrando em sua principal estação de atração de visitantes, e conforme vários relatos, reservas estão sendo canceladas, fato este que desencadeará um trágico efeito econômico em cascata sobre diversos setores.

Acontecimentos desta ordem evidenciam outro fato bastante complexo, como a baixa eficiência do Estado brasileiro em monitorar áreas costeiras, bem como a precária infraestrutura de prevenção e intervenção em tragédias ambientais.

Diante deste fato, surgem algumas indagações: Quem é o autor responsável pelo derramamento? Até que ponto vale a pena manter o petróleo como a principal matriz energética da humanidade sabendo que há cada vez mais uma crescente oferta de tecnologias renováveis e de baixo impacto socioambiental.

Assim, ante a estes questionamentos e fatos, fica evidente a necessidade de buscar de forma urgente um equilíbrio entre as demandas ecológicas, sociais e econômicas para que tragédias como as que estão assolando o litoral do Nordeste não venham a se repetir.

Divulgação
Prof. Me. Thiago Hernandes
graduado e mestre em geografia, professor de ensino médio e ensino superior. Dono do canal no youtube, GEOEXPLICA
+ VEJA TAMBÉM