21 de Setembro de 2019
17º/33º
ENTRETENIMENTO » BLOG
Bem-Estar

Nutricionista dá dicas de como não engordar ao parar de fumar

Solução pode estar em uma dieta ajustada e com a mandioca como grande protagonista

No dia 29 de agosto é comemorado o Dia Nacional do Combate ao Fumo. A data tem como principal objetivo, conscientizar a população sobre os males do cigarro e de seus componentes, por isso o objetivo é incentivar o abandono do hábito de fumar para quem já aderiu esse costume na rotina.

Apesar da campanha, o Brasil é um dos países que mais reduziu o número de fumantes diários. Segundo uma pesquisa publicada em 2017, pela revista britânica The Lancet, o País teve uma queda de 29% para 12% entre homens e de 19% para 8% entre mulheres. A pesquisa foi feita entre o ano de 1990 e 2015.

Mas o que muita gente não sabe, é que ao parar de fumar, os ex-fumantes têm uma melhora no paladar e no olfato. Junto a isso, existe também uma necessidade de ter algo para fazer com a boca e com as mãos, a única saída: comer.

Dicas da Nutri!

"Ao parar de fumar, os ex-fumantes utilizam os alimentos da mesma forma que eles utilizavam o cigarro, seja para lidar com o estresse, escapar do tédio, da tensão ou como uma ajuda na integração social”, explica Fernanda Alferes, nutricionista e responsável pelo controle de qualidade da Uni Alimentos.

Segundo uma pesquisa feita pelo Hospital Universitário da USP, as pessoas que param de fumar, ganham na maioria das vezes entre 3 e 4 kg e aproximadamente, porém 10% das pessoas que param de fumar ganham uma quantidade avantajada de peso. Além dos novos hábitos, a mudança de metabolismo e a ansiedade são os principais fatores para as pessoas engordarem nesse período.

A nutricionista explica que a alimentação balanceada é o primeiro passo para evitar o ganho de peso durante o período de abstinência. "Para uma alimentação saudável, é preciso consumir alimentos que possuam substancias importantes para o bom funcionamento do organismo, desta forma, o metabolismo do ex-fumante voltará a ter uma normalidade e a dieta não será mais um sacrifício”.

Os principais alimentos na hora de iniciar a dieta são os ricos em vitaminas, nutrientes e carboidratos. "O cigarro geralmente deixa os fumantes sem apetite, por isso eles não possuem uma rotina alimentar. Uma dica legal é ter horários fixos para as refeições e também alimentos saudáveis entre elas. Um alimento que eu gosto bastante é a mandioca, além de ser rica em fibras - substância que transforma o carboidrato em energia, a mandioca também aumenta os níveis de seretonina – o neurotransmissor que age nas regiões do cérebro responsáveis pela sensação do bem-estar”.

A mandioca também pode ser encontrada em diversos alimentos para dar uma quebra na disciplina alimentar. Fundada em 2015, a Uni Alimentos entrou nesse mercado para contribuir ainda mais com a rotina dos brasileiros. Tendo como carro chefe a mandioca, a empresa oferece tapiocas em sachês individuais – para evitar o desperdício – no sabor tradicional e de espinafre, além de uma linha completa de chips de mandioca e batata-doce.

"Este ingrediente tão rico no Brasil, ainda conta com fonte de fibras e é isenta de glúten. Auxilia ainda a regular o funcionamento do intestino e traz saciedade entre as refeições. Além disso, a tapioca pode substituir o pão no café da manhã e os chips de mandioca podem ser o lanche perfeito durante a rotina do dia-a-dia”, conclui a nutricionista.

Ilustrativa - Segundo nutricionista, uma dica legal é ter horários fixos para as refeições e também alimentos saudáveis entre elas
Segundo nutricionista, uma dica legal é ter horários fixos para as refeições e também alimentos saudáveis entre elas


Bem-Estar

Saiba como facilitar a rotina de sono do seu filho e evite problemas futuros

Entre as consequências mais comuns às crianças que não dormem bem estão: queda no desempenho escolar, desatenção, irritabilidade e até mesmo agressividade

A quantidade de sono adequada é sempre alvo de questionamentos. Quanto tempo meu filho precisa dormir? Pesquisa publicada no Journal of the National Sleep Foundation aponta que recém-nascidos precisam dormir de 14 a 17 horas por dia; já entre os bebês de quatro a 11 meses, a indicação é de 12 a 15 horas.

Conforme a idade aumenta, a necessidade de sono diminui; crianças de um a cinco anos precisam de 10 a 14 horas de sono; dos seis aos 13 anos, a recomendação cai para nove a 11 horas. No entanto, não só quantidade é importante, mas também qualidade.

"Dormir bem, seja em quantidade como em qualidade, evita o registro de problemas futuros no desenvolvimento da criança. Se não há sono reparador, pode haver consequências diurnas como queda no desempenho escolar, desatenção, irritabilidade e até mesmo agressividade”, alerta a Otorrinolaringologista especializada em Medicina do Sono, Dra. Sandra Doria Xavier.

O problema é que, muitas vezes, os pais têm dificuldades para impor essa necessidade e fazer com que os filhos sigam as orientações, resultando em noites mal dormidas e com um tempo menor do que o recomendado. "Estabelecer uma rotina antes da hora de dormir ajuda a criança a entender que aquele é o momento de desacelerar. O que fazer para mostrar isso à criança varia de família para família. Um exemplo é adotar uma sequência de atividades, como tomar banho, escovar os dentes, colocar o pijama, cantar ou ler uma história”, orienta Sandra.

Segundo a médica, uma das principais causas da qualidade inadequada de sono são os distúrbios respiratórios do sono, como a apneia do sono, caracterizada por roncos, respiração pela boca, babação no travesseiro, entre outros problemas.

Vida normal durante o dia e cuidados especiais no período da noite, essa é a indicação da profissional para ajudar a estabelecer uma rotina à criança. "Ensiná-los o que é dia e o que é noite é uma tarefa que deve começar desde cedo, de preferência já na segunda semana de vida. Não precisa mudar a rotina da casa durante o dia, ou seja, a família deve mantê-la iluminada e não evitar barulhos da rotina doméstica, como o telefone, as conversas, as visitas, o liquidificador ou o aspirador de pó. Porém, quando estiver próximo ao horário de dormir, evite brincadeiras agitadas, aparelhos eletrônicos, barulhos e diminua as luzes. Quanto mais calmo o ambiente estiver, melhor para a criança, que entenderá que aquele é o momento de descansar”, revela a Otorrinolaringologista.

A mudança de rotina é outro complicador. Aos finais de semana é comum as crianças acordarem e dormirem mais tarde, irem para a casa de coleguinhas ou dos avós, enfim, alterações que mexem com o relógio biológico.

"Durante o final de semana cabe aos pais determinar horários um pouco mais flexíveis, sabendo que o ideal é não fugir muito daqueles habitualmente praticados. Quanto mais exceções a família der aos horários de dormir e acordar, mais difícil é para a criança entendê-los e incorporá-los. Para retomar a rotina semanal é muito importante conversar com as crianças e estabelecer regras, mas isso deve fazer parte de um acordo entre pais e filhos e não uma imposição sem sentido. As crianças, ainda pequenas, devem começar a entender que faz parte da vida ter tarefas e responsabilidades. Diálogo sobre a rotina deve ser incorporado junto com diálogo sobre respeito, empatia, preconceito, entre outros assuntos”, declara a médica membro da Associação Brasileira de Otorrinolaringologia e Cirurgia Cérvico-Facial (ABORL-CCF).

A alimentação também interfere no sono, por isso é importante estar atento ao que as crianças comem em horários próximos de deitar. "Quando se faz uma refeição muito gordurosa, de difícil digestão, isso pode prejudicar o sono. Muito líquido também não é recomendável, já que a vontade de ir ao banheiro irá despertá-los no meio da noite. Por isso, o último copo de água deve ser ingerido, preferencialmente, pelo menos uma hora antes da criança ir para a cama”, explica Sandra Doria Xavier.

Por fim, a especialista em Medicina do Sono esclarece a questão dos cochilos no meio do dia.

"Até os três anos é comum algumas crianças ainda dormirem durante o dia. A partir de cinco anos a maioria já não tem essa necessidade. Porém é importante ressaltar que essa não é uma regra, depende de cada criança e é importante que se observe as características individuais. Os cochilos também devem seguir uma rotina, de preferência sempre no mesmo horário. Geralmente, as crianças preferem fazer isso após o almoço. Evite os horários das 9h ao meio-dia, que pode postergar a soneca da tarde, e o das 17h às 20h, que pode atrapalhar a rotina noturna”, finaliza.

Ilustrativa - Segundo pesquisa, para bebês de quatro a 11 meses, a indicação é de 12 a 15 horas de sono por dia
Segundo pesquisa, para bebês de quatro a 11 meses, a indicação é de 12 a 15 horas de sono por dia


Bem-Estar

Como lidar com a birra das crianças

Segundo especialista, é necessário compreender o que está por trás deles, o que está levando a criança a agir daquela maneira

Toda criança apresenta problemas de comportamento em alguma fase da sua vida, seja ela de desenvolvimento típico ou atípico.

Lidar com esses comportamentos, com as birras e as crises, não é uma tarefa fácil para os pais, e no caso das crianças com atraso no desenvolvimento esse processo tende a ser ainda mais difícil.

Para lidar com os problemas de comportamento é necessário compreender o que está por trás deles, o que está levando a criança a agir daquela maneira.

Para facilitar esse processo, a analista do comportamento Michelli Freitas listou algumas dicas:

Identifique os comportamentos típicos da idade: alguns comportamentos são típicos de qualquer criança, por isso é importante saber diferenciar um problema real, um atraso no desenvolvimento ou na linguagem, de uma reação natural da idade.

Verifique a motivação por trás do comportamento problemático: identifique a razão que está motivando e mantendo o comportamento problemático (chamar atenção, obter um item desejado, escapar ou evitar uma situação, dor, cansaço, fome).

Não ignore o comportamento problemático: não deixe que a dúvida quanto ao nível de compreensão da criança, a vontade de proteger, o sentimento de pena e a dificuldade de lidar com a situação sejam empecilhos para lidar com o comportamento problemático do seu filho.

Lide com o comportamento problemático agora: inicie o processo para combater o comportamento problemático o quanto antes, de preferência quando a criança ainda for pequena, pois nessa fase tende a ser mais fácil lidar com o comportamento inadequado.

Use estratégias para reduzir ou eliminar o comportamento problemático: desenvolva a cooperação com a criança, use reforçadores, siga instruções, substitua o comportamento problemático por outro mais adequado e ensine novos comportamentos.

Deixe claro o que é e não é negociável: esclareça para a criança o que ela pode e não pode fazer, seja firme nas suas decisões, mostre para a criança que não adianta ela protestar com o que não é negociável.

Selecione um comportamento problemático por vez: trabalhe com um comportamento problemático por vez, dê preferência para aquele que não seja tão frequente e muito difícil de monitorar, e selecione outro somente quando o primeiro começar a mudar.

Seja firme para lidar com os protestos: mantenha-se firme e siga com as restrições para lidar com os protestos da criança, use estratégias para evitar os comportamentos inadequados e demonstre ações com tons de voz e expressões.

Verifique a necessidade de buscar ajuda especializada: alguns problemas de comportamento podem prolongam-se por muito tempo ou ter consequências mais sérias, como agressões e autolesão, por isso é importante estar atento para saber identificar quando a criança precisa de ajuda especializada.

*Michelli Miguel de Freitas é Pedagoga, Psicopedagoga Clínica e Institucional, com licenciatura em Letras, Analista do Comportamento e Mestranda em Ciências do Comportamento. É diretora do IEAC (Instituto de Educação e Análise do Comportamento), que ministra cursos para pais, profissionais da educação e saúde.

Ilustrativa - Segundo especialista, é necessário compreender o que está levando a criança a agir daquela maneira
Segundo especialista, é necessário compreender o que está levando a criança a agir daquela maneira


Bem-Estar

Quais os benefícios da amamentação para a saúde bucal?

Higiene bucal também deve ser feita em bebês

O aleitamento materno pode contribuir para a prevenção de diversas doenças, mas você sabia que ele também pode evitar problemas bucais? Estudo sugere que o aleitamento materno exclusivo até os seis meses de idade pode diminuir a prevalência da má oclusão dental, que é quando o contato dos dentes superiores com os dentes inferiores fica desalinhado.

O cirurgião-dentista e diretor de Operações do INPAO Dental, Dr. José Henrique de Oliveira, explica que o ideal é que o arco dentário superior fique ligeiramente encobrindo o arco dentário inferior. "Modificações nesse, digamos, ‘encaixe’ pode causar problemas nos dentes, na musculatura facial e na gengiva, por exemplo”.

Alguns sinais da má oclusão dental são: alterações faciais (queixo muito pequeno ou muito alongado), dentes desgastados, dores de cabeça, zumbido, desconforto ao mastigar e problemas na articulação da mandíbula.

A fala e a respiração também estão relacionadas à amamentação, pois ela estimula o desenvolvimento da musculatura da boca, bochechas e língua da criança.

Higiene bucal do bebê - Os cuidados bucais na infância devem ser pensados desde o nascimento do bebê. "As gengivas precisam ser higienizadas com uma gaze úmida, em movimentos delicados, pelo menos duas vezes ao dia, após a amamentação. Isso contribui para evitar o acúmulo de leite e garantir dentes mais fortes e saudáveis”, conta Dr. José Henrique.

O uso da escova somente é indicado quando surgirem os primeiros dentes de leite. Muita atenção na quantidade usada de creme dental, que deve ser do tamanho de uma ervilha. Também é recomendado o uso de creme dental sem flúor para crianças até os cinco anos de idade.

Ilustrativa - Amamentação estimula o desenvolvimento da musculatura da boca, bochechas e língua da criança
Amamentação estimula o desenvolvimento da musculatura da boca, bochechas e língua da criança


Bem-Estar

As 12 melhores profissões para quem gosta de viajar

Saiba como decidir e em qual curso investir

Para definir a carreira certa, é necessário ponderar três itens essenciais antes de tomar qualquer decisão:

- Quais são as profissões que pedem habilidades que a pessoa domine?
- Como as profissões pré-escolhidas estão no mercado de trabalho atualmente?
- Em quais profissões é possível, na maior parte do tempo, exercer tarefas que a pessoa goste?

Ao unir os três pontos de observação acima, o candidato provavelmente terá um leque de carreiras bem mais restrito e que ajudará a decidir em qual curso investir.

Para aqueles cujo sonho é uma profissão que permita conhecer outras cidades ou países (e ainda receber para isso), o site Quero Bolsa fez uma lista com as 12 profissões ideais para quem gosta de viajar:

1 - Arqueologia

A pessoa que é formada em arqueologia analisa objetos e materiais encontrados no solo para descobrir como sociedades antigas viveram e colaboraram para desenvolvimento humano e o mundo que vivemos atualmente. Por isso, é possível que um arqueólogo viaje o mundo, para diversos sítios arqueológicos, atrás dessas informações.

2 - Comércio Exterior

Esse profissional é responsável por mediar a relação entre vendedores e compradores dos mais diversos países. Assim, essa carreira pode exigir que o profissional viaje constantemente.

3 - Fotógrafo

Sendo um profissional autônomo ou trabalhando em uma redação de um jornal, o fotógrafo possui muitas oportunidades para ir atrás dos seus cliques, inclusive realizar a cobertura fotográfica de acontecimentos importantes em outros países.

4 - Jornalismo

Assim como o fotógrafo, alguns jornalistas podem trabalhar em áreas mais especializadas que demandam muitas viagens.

5 - Produção de Eventos

Dependendo do estilo de negócio no qual o produtor de eventos trabalha, ele pode precisar viajar frequentemente para auxiliar na realização dos eventos sob sua responsabilidade.

6 - Piloto de aviação

Bom, não é preciso falar muito sobre um piloto, não é mesmo? Afinal, ele é um dos responsáveis por fazer com que as suas viagens para outras cidades e países aconteçam, ou seja, um piloto de aviação viaja muito!

7 - Comissário de Bordo

Assim como o piloto de aviação, os comissários de bordo são responsáveis por auxiliar aqueles que estão no trajeto de uma viagem.

8 - Turismo

Responsável pela elaboração, organização e divulgação de viagens e eventos. Um turismólogo precisa fazer algumas viagens para realizar o planejamento dos eventos sob a sua supervisão.

9 - Diplomata

O diplomata é o representante oficial em um país em outras embaixadas. Por isso, ele pode trabalhar em escritórios, consulados ou embaixadas de outros países.

10 - Tradutor

Um tradutor pode ser responsável por fazer a tradução de eventos, palestras, discursos, reuniões e conversas. Assim, em muitos casos, ele precisa acompanhar empresários ou governantes em eventos internacionais.

11 - Professor de Idiomas

Se o profissional souber mais de um idioma, é possível se aventurar em outros países para ensiná-lo. Entretanto, é importante lembrar que é preciso ter metodologias de ensino para conseguir ensinar outras pessoas.

12 - Au Pair

A pessoa que é Au Pair trabalha como cuidadora de crianças em outros países e, além do salário, ganha moradia e alimentação. Na maioria dos casos, o Au Pair é considerado um intercâmbio de trabalho, no qual você aprimora o seu conhecimento em uma língua, além da remuneração.

Divulgação - Fotógrafo possui oportunidades para ir atrás dos seus cliques, inclusive realizar a cobertura fotográfica de acontecimentos importantes em outros países
Fotógrafo possui oportunidades para ir atrás dos seus cliques, inclusive realizar a cobertura fotográfica de acontecimentos importantes em outros países


Bem-Estar

Confira os dez erros na hora de retirar a fralda do bebê

Esse deve ser um momento tranquilo que exige muita paciência e dedicação

O início do desfralde sempre gera grandes dúvidas nos pais. Esse deve ser um momento tranquilo que exige muita paciência e dedicação.

Retirar a fralda das crianças é um processo que exige muita paciência. "Algumas crianças levam poucas semanas para aprender a usar o banheiro, enquanto outras podem demorar até seis meses e precisar de maior atenção, ” informa Drª Loretta Campos. Conheça os 10 erros mais comuns.

1) Começar antes da hora - o ideal é a partir dos dois anos pois nesta fase as crianças têm autonomia para andar, tirar a roupa e expressar que estão incomodadas com o cocô.

2) Expor a criança em lugares públicos - ir ao banheiro é algo privado, portanto, tente utilizar o sanitário com a porta fechada e penico sempre no banheiro, nunca na sala, quarto.

3) Delegar a tarefa unicamente para a escola - tente começar a retirada das fraldas em casa, de preferência nas férias, sem muito estresse. A escola deve ser só um apoio.

4) Pressionar a criança para ser rápida - o desfralde requer tempo e paciência. Leve livrinhos, joguinhos para tornar o momento prazeroso.

5) Não providenciar itens de apoio - precisa providenciar um penico ou redutor de vaso sanitário. A criança precisa de conforto. E se faz necessário o apoio para os pés!

6) Esperar a criança pedir para ir ao banheiro - comece retirando a fralda do dia e pergunte ou leve a criança ao banheiro a cada duas horas.

7) Dar bronca se a criança não consegue se segurar - nunca diga você se sujou de novo ou você não aprende.

8) Fazer cara de nojo quando acontece um escape - os escapes, principalmente os noturnos, são frequentes. Pode durar em média até os quatro anos e algumas crianças até seis anos de idade.

9) Colocar roupas difíceis de tirar - se a criança pede para ir ao banheiro os pais têm de agir rápido.

10) Escolher um momento de estresse para tirar a fralda - toda paciência é pouca.

Loretta Campos

Pediatra pela Universidade de São Paulo (USP), Consultora Internacional em Aleitamento Materno (IBCLC), Consultora do sono, Educadora Parental pela Discipline Positive Association e membro das Sociedades Goiana e Brasileira de Pediatria. A médica aborda temas sobre aleitamento materno com ênfase na área comportamental da criança e parentalidade positiva.

Ilustrativa - Segundo especialista, algumas crianças levam poucas semanas para aprender a usar o banheiro, enquanto outras podem demorar até seis meses
Segundo especialista, algumas crianças levam poucas semanas para aprender a usar o banheiro, enquanto outras podem demorar até seis meses


Bem-Estar

Mobilidade urbana está relacionada à qualidade de vida, diz estudo

A pesquisa constatou ainda que pessoas que caminham e pedalam como forma de deslocamento diário são mais saudáveis

Os problemas de mobilidade urbana podem afetar negativamente o bem-estar e a qualidade de vida dos cidadãos, de acordo com pesquisa levantada pela Universidade de Brasília (UnB) em parceria com as Universidades Federais Rio Grande do Sul e Santa Catarina e a Oxford Brookes University, da Inglaterra. A publicação foi intitulada de Projeto Mobilidade Urbana Saudável e teve como objetivo entender o impacto da malha urbana nas comunidades de baixa e média renda.

No Brasil foram analisadas três cidades: Brasília, Porto Alegre e Florianópolis. Já no Reino Unido, mais especificamente na Inglaterra, a escolhida foi a cidade de Oxford. Em todas elas foram relatadas queixas, mesmo com realidades econômicas e sociais totalmente diferentes.

O estudo apontou, por exemplo, a necessidade de se reduzirem os deslocamentos dentro das cidades. A solução seria aumentar o número de alternativas possíveis de atividades que possam ser feitas dentro da cidade, investindo em ciclovias e pistas para caminhada - ou ainda melhorar as condições das calçadas. Isso não só permitiria que as pessoas ficassem mais saudáveis, como também diminuiria os custos com tratamentos pela saúde pública.

A pesquisa constatou ainda que pessoas que caminham e pedalam como forma de deslocamento diário são mais saudáveis. Já as que utilizam o automóvel, são propensos a desenvolver doenças como diabetes, hipertensão e depressão. Para os pesquisadores, a gestão pública precisa investir em estruturas que promovam a caminhadas ciclismo e transporte público.

Os dados coletados e analisados pelas equipes brasileiras e do Reino Unido foram: o mapeamento espacial para entender o ambiente no qual ocorre o deslocamento; pesquisa social para obter perfis de saúde e bem-estar das comunidades selecionadas; entrevistas, para entender as razões que levam à escolha do meio de transporte; uso de recursos como GPS e câmeras e a participação ativa das comunidades locais na identificação de problemas e soluções para a mobilidade urbana saudável e bem-estar social.

O resultado da pesquisa foi apresentado recentemente em uma conferência sobre Mobilidade Urbana Saudável, promovida pela Comissão de Desenvolvimento Urbano da Câmara dos Deputados, em conjunto com a Universidade de Brasília (UnB).

Solução para o trânsito

O uso de bicicleta para se deslocar para o trabalho já foi adotado como hobby por algumas pessoas. A escolha economiza o dinheiro de transporte e gasolina, evita o estresse dos congestionamentos e falta de estacionamento, além de fazer muito bem à saúde e ser uma solução para diminuir a quantidade de automóveis na rua. A melhor escolha do equipamento depende de quem for usar, pois opções não faltam e vão desde as bicicletas comuns, até as inovadoras como as bicicletas dobráveis e elétricas.

Ainda que alguns ainda insistam na atividade e se arrisquem pelas ruas disputando espaço com os carros, de acordo com os profissionais envolvidos, são muitos os que até querem caminhar e pedalar, mas não vão em frente por não confiar na estrutura existente.

Os cidadãos estão mais conscientes sobre os benefícios tanto no corpo quanto para o meio ambiente, mas a infraestrutura atual das cidades ainda não as permite utilizar desses meios com a devida segurança.

Pixabay - Pesquisa constatou ainda que pessoas que caminham e pedalam como forma de deslocamento diário são mais saudáveis
Pesquisa constatou ainda que pessoas que caminham e pedalam como forma de deslocamento diário são mais saudáveis


Cachorra que foi atropelada precisará passar por cirurgia na bacia em Assis

A cachorrinha Nina está sob os cuidados de uma voluntária

Na manhã desta sexta-feira, 9 de agosto, a cachorrinha Nina foi atropelada na rua Leonor na vila Progresso, um grupo de voluntárias a recolheram e levaram ao veterinário, onde foi constatado que a cachorra havia fraturado a bacia.

Nathalia Soares que está cuidando de Nina, conta que ela precisa passar por cirurgia com urgência, pois quanto mais demorar para que a cirurgia seja feita, menores as chances de recuperação.

"Ela está em minha casa, recebendo as medicações, mas a cirurgia ficará em R$ 1,5 mil, e precisamos da ajuda de todos para que ela tenha a chance de se recuperar”, considera Nathalia.

Uma campanha para a arrecadação de recursos para a cirurgia de Nina é feita pela internet () , quem puder colaborar pode ainda entrar em contato com Nathalia pelo telefone (18) 99633-7373, ou procurar pelas voluntárias da SOS Pets ou ainda diretamente na clínica Vitrine Animal, informando que a doação é para auxiliar na cirurgia da Nina.

divulgação - Nina foi atropelada na manhã desta sexta-feira, 9 de agosto
Nina foi atropelada na manhã desta sexta-feira, 9 de agosto


Tutora busca por cachorra desaparecida no Parque das Flores em Assis

A cachorra foi vista perto do Parque Buracão

A tutora da cachorra Lolinha está a sua procura desde a semana passada, quando o animal fugiu de casa.

Lolinha é bem cuidada e já foi castrada. Tanto sua tutora, como o outro cachorrinho da família estão muito preocupados e tristes com a falta dela.

Lolinha foi vista pela última vez perto do Parque Buracão.

É solicitada que, caso alguém tenha informações que ajudem a localizá-la, que entre em contato pelo número (18) 99749-3550 ou na página da SOS Pets.

divulgação - Lolinha está desaparecida desde a semana passada
Lolinha está desaparecida desde a semana passada


Bem-Estar

Meu filho não sai do celular, o que fazer? Especialista responde

Segundo especialista, é necessário em primeiro lugar ensinar a criança a lidar com o tédio

Em 2018, o canal da Galinha Pintadinha ultrapassou em visualizações até mesmo grandes nomes da música mundial como Rihanna e Justin Bieber, ficando no ranking entre os mais populares do YouTube, e isto não foi à toa. Uma pesquisa divulgada em setembro de 2018 pelo Comitê Gestor da Internet no Brasil mostrou que 85% das crianças e adolescentes com idades entre 9 e 17 anos são usuárias de internet, o equivalente a 24,7 milhões que estão nesta faixa etária em todo o País. Se em 2012, 21% das crianças acessaram a rede por meio do celular, em 2018 são 93%. O aumento impressionante do acesso tem preocupado cada vez mais os pais e profissionais que lidam com os pequenos e coloca em questão o possível vício infantil em celulares. O que fazer?

A neuropsicóloga Roselene Espírito Santo Wagner é uma das especialistas que tem estudado esta guinada no comportamento infanto-juvenil: "Precisamos considerar que a tecnologia, já está incorporada à vida. O celular hoje é mais que uma ferramenta, tornou-se uma dimensão humana muito frequentada. O smartphone hoje é mais que televisão, é "biblioteca”, é jornal, cinema, é playlist, dicionário. Estamos reféns dele. No entanto, embora seja inevitável a presença e o uso do celular no cotidiano, é necessário explicar e fazer a criança entender que a tecnologia é um meio para um fim, e não o contrário”.

Transações bancárias, notícias, imagens, e até consultas médicas. Tudo está ali na palma da mão. Basta um toque. Não temos mais como desconectar. Mas até onde isto é saudável para a criança e o adolescente? A Dra. responde: "Todos nós devemos aprender a usar a tecnologia com parcimônia. Isto é, encarar como uma ferramenta de resolução de problemas de ordem prática, rápida e superficial. Esta ferramenta tecnológica pode ser usada inclusive com fins recreativos, porém, nós não devemos usá-la abusivamente, para não virarmos dependentes. A dependência é uma "doença comportamental” em todos os seus aspectos, logo retirando o comportamento, retiramos também a doença. Mas a facilidade de se adquirir o hábito e transforma-lo em vício não condiz com a dificuldade de sair desta armadilha”.

A Dra. Roselene Espírito Santo Wagner traz algumas dicas para retirar as crianças do celular e evitar o vício dos pequenos. Confira:

Ensinar a criança a lidar com o tédio

É necessário em primeiro lugar ensinar a criança a lidar com o tédio, para que comecem a entender e trabalhar algo que acontecerá na vida, que é a frustração. Aprender a lidar com frustrações é pedagógico e terapêutico. Nosso cérebro se devolve de trás para frente. Portanto, não tenha medo de conversar e explicar as formas de lidar com a rotina e disciplina dentro dos sistemas familiares. A área de Wernicke responsável pela compreensão, interpretação da fala, fica pronta antes da área de Broca, responsável pela emissão da fala.
As crianças mesmo não falando tudo corretamente, compreendem tudo o que lhes é explicado (de forma simples).

Explique, converse e estabeleça limites

Dar limites é dar amor. Crianças precisam compreender o funcionamento do mundo. Cabe aos adultos, pais, cuidadores, explicar.

Observar a natureza de seu filho, as inclinações naturais, os gostos, as habilidades, a estrutura do corpo para perceber onde ele "caberia melhor”. No âmbito de uma atividade física, isso significa dizer que o corpo já vem "talhado” com características que facilitariam uma atividade. Identificar no seu filho para quais atividades que ele tem pré disposição, gosto ou aptidão pode ajudar muito a produzir uma rotina onde ele possa se adequar. E ter prazer nesta atividade.

Ensinar que um bom dia começa com a organização do seu espaço, o quarto em que dorme, produzir uma convivência de união familiar, onde todos os sistemas (sistema conjugal, parental, etc.) devem ser tido como uma "equipe”. Onde cada um pode colaborar com uma tarefa, colocar a mesa, retirar as louças, levar o lixo. Tudo isto tem a ver com limites e educação.

Dê atividades para o seu filho

Crianças gostam de ar livre. Leve seu filho para atividades ao ar livre, como pedalar, passear, caminhar, praia, piscina. Ter lazer, atividades intelectuais, responsabilidades e até mesmo bom sono.

Crianças gostam de estar com outras crianças, em acampamentos, noite do pijama, sessão de cinema, piquenique.

Crianças amam animais. Visitar o zoológico, dar de presente um animal de estimação que ele possa "cuidar”, dentro de suas possibilidades iniciais. Conforme vai crescendo, vai se apropriando e tomando mais responsabilidades sobre este "ser vivo” que exige cuidados e carinho.

Todas essas atividades irão retirando o "tempo de uso” do smartphone. Claro que a retirada total é quase que impossível, pois, há uma "necessidade " do uso da tecnologia, inclusive por ser uma forma rápida, prática de "estudar”, fazer trabalho de aula e afins.

Qual a melhor forma de prevenção do vício em celular?

A Dependência Digital é de difícil tratamento, mas a melhor prevenção é a Psicoeducação, no sentido de desenvolvermos uma rotina saudável desde crianças, pois, os "nativos digitais”, nascidos na era "virtual” são mais propensos a tornarem-se "adictos virtuais”. Então ainda que as crianças não sejam capazes de emitir, falar todas as palavras de forma correta. Elas estão aptas a compreender quase tudo, por isso, é preciso acompanhá-las em todas as fases de seu desenvolvimento. Ensinando, preparando, guiando e amando.

Ilustrativa - Segundo especialista, é necessário em primeiro lugar ensinar a criança a lidar com o tédio
Segundo especialista, é necessário em primeiro lugar ensinar a criança a lidar com o tédio


Voluntárias de Assis pedem doação de medicamentos para cadela de rua

A cadela foi recolhida na manhã desta terça-feira, 23, com um anzol no focinho

Voluntárias do grupo Pets Feliz, pedem a doação dos medicamentos doxiciclina 100 ml e Hemolitan comprimidos, para o tratamento de cadela Lili, recolhida na rua na manhã desta terça-feira, 23 de julho, com um anzol preso ao focinho.

A voluntária Eliane, conta que é cada vez mais comum o salvamento de animais ferido com anzol.

"Algumas pessoas são muito maldosas e colocam a carne presa ao anzol, quando o cachorro vai comer a carne fica com o anzol ferindo seu focinho, isto é muito perigoso”, considera.

Ela conta que a cadelinha foi recolhida e está em uma clínica veterinária, mas que os exames indicam que ela está com as plaquetas muito baixas, sendo necessário os medicamentos para sua plena recuperação.

divulgação - A cadela Lili está internada e precisa dos medicamentos
A cadela Lili está internada e precisa dos medicamentos


Filhotes abandonados em Assis estão à procura de um lar

Os filhotes foram abandonados na vila Carvalho neste sábado, 20 de julho

Moradores da vila Carvalho em Assis, encontraram neste sábado, 20 de julho, dois filhotes de cachorro de aproximadamente 30 dias, abandonados nas proximidades das ruas Vicente Mercadante e São Sebastião.

Com medo de que os filhotes fossem atropelados, os moradores os recolheram até um terreno na rua São Sebastião, e estão se revezando para da água e comida aos animais, porém não podem ficar com eles.

Eles pedem que quem puder adotar os filhotes de forma responsável quem entre em contato pelo número (18) 99680-3020.

divulgação - Os filhotes aparentam ser de porte pequeno
Os filhotes aparentam ser de porte pequeno


Bem-Estar

Em tempos de redes sociais, como manter uma amizade real?

Tiago Marcon é missionário celibatário da Comunidade Canção Nova, apresentador do programa de TV "Revolução Jesus” e autor de livros

Sou um jovem, entre milhares, que está continuamente conectado e usufrui das redes sociais para se relacionar, interagir, reencontrar pessoas, trocar experiências. O Papa Francisco nos mostra que "emails, mensagens de texto, redes sociais podem ser formas de comunicação totalmente humanas. A internet pode ser usada para construir uma sociedade saudável e aberta” (Mensagem do Papa Francisco para o Dia Mundial da Comunicação Social).

Sim, é possível fazer e estreitar amizades por meio das redes sociais, contudo, sem fecharmos os olhos para os riscos, por isso, a prudência e a cautela sempre precisam estar presentes. Já me aproximei, estabeleci relacionamentos de amizade, fortaleci aquelas que já existiam, mas não posso negar que, mesmo com todos esses benefícios, a presença física continua sendo indispensável. Porque mesmo que as novas tecnologias nos aproximem a ponto de termos a sensação de quase tocarmos fisicamente, o contato direto, onde podemos olhar nos olhos, e não por uma tela, devemos abraçar, ter a presença física, primordial para que os laços de amizade se fortaleçam e se estreitem.

Corremos o risco de viver uma certa "substituição”, tentando suprir virtualmente aquilo que é indispensável fisicamente, pois somos seres com necessidade de contato, de relação e comunhão profunda.

A questão está em entendermos que os "meios” são "meios” e não fim, o objetivo final. Se temos, hoje, esses meios propícios e eficazes, que colaboram para que nossas relações de amizade cresçam, é desperdício não fazermos uso deles. Ao mesmo tempo, não podemos cair no extremo de achar que as redes sociais são suficientes para construirmos uma amizade verdadeira, pois esta sempre vai precisar ser cultivada e regada e, para isso, é preciso ir além dos cliques, visitar e estar. Que tal, pelos cliques, combinar um bom encontro com aquele amigo que, há tempo, você não vê?

Certo dia, impressionei-me ao perceber que estava me sentindo um tanto perdido, sem jeito, quando tive contato com alguns amigos que, há tempos, não estavam juntos presencialmente. É como se eu tivesse desaprendido de estar presente fisicamente. Achei estranho, fiquei incomodado com isso; então, comecei a retomar o estar com o outro, isto é, estar inteiro, até fazendo o exercício de deixar o smartphone de lado e olhar nos olhos, perguntar, escutar, falar… Gestos tão comuns, mas dos quais precisei redescobrir a riqueza e o valor.

O conceito da verdadeira e duradoura amizade não pode se perder! Amigos a gente não conquista somente baseado em cliques, aceitação de amizade no perfil, em seguimento, curtidas e compartilhamentos. Os stories me ajudam a contar minhas histórias, mas meus amigos esperam que eu as conte pessoal e presencialmente. Fazendo esses ajustes, tomando esses cuidados, preservando o essencial, penso que as redes sociais se tornam mais eficazes na arte de fazer e cultivar amizades.

Bem-Estar

Julho Amarelo: diagnóstico precoce de câncer ósseo aumenta em até 3 vezes a chance de cura

Medicina Nuclear conta com dois exames que identificam as metástases de câncer ósseo, antes das alterações anatômicas Campanha visa conscientizar a população sobre a doença e o diagnóstico precoce para um tratamento mais efetivo

Os tumores ósseos, apesar de raros, acometem crianças, adolescentes e adultos e têm alta taxa de mortalidade. Eles podem atingir qualquer osso do corpo, mas são mais comuns em ossos como os dos braços, pernas, coluna e bacia. Além disso, estes tumores podem surgir diretamente no osso (primário) ou decorrer de câncer em outro órgão, com metástase nos ossos (secundário). Entre os sintomas estão dor nos ossos, inchaço e sensibilidade na área afetada, ossos quebradiços, fadiga, perda de peso e febre.

O mês de julho, denominado Julho Amarelo, foi escolhido para conscientizar a população sobre a doença e a importância do diagnóstico precoce para um tratamento mais rápido e efetivo, já que a doença não pode ser prevenida. O diagnóstico precoce aumenta em duas ou três vezes a chance de cura em comparação com um paciente que descobre tardiamente, pois é possível determinar o melhor tratamento (cirurgia, radioterapia, quimioterapia ou uma combinação delas). A Medicina Nuclear conta com dois exames que identificam as metástases câncer ósseo, antes das alterações anatômicas, ou seja, antes que elas estejam visíveis. Conheça:

Cintilografia Óssea

O exame avalia o funcionamento dos órgãos e apresenta um diagnóstico por imagem, gerado pela injeção intravenosa do radiofármaco 99mTc-MDP, que é captado pelo tecido ósseo remodelando decorrente da presença da lesão - visualizados por meio de equipamento especial que cria uma imagem do esqueleto, além de indicar possíveis metástases - se a doença se disseminou para outros ossos, e avaliar o dano causado no osso acometido.

A Cintilografia Óssea pode também diagnosticar uma fratura, quando ela não pode ser vista no raio X. Além disso, o exame pode diagnosticar também infecção óssea (osteomielite) e distúrbios metabólicos, como osteomalacia, hiperparatiroidismo primário, osteoporose, síndrome de dor regional complexa e doença de Paget. Esta técnica permite detectar lesões com até quatro meses de antecipação em relação à radiografia simples.

A quantidade de radioatividade utilizada é baixa, não oferecendo risco para o paciente ou para pessoas próximas.

PET/CT

O PET/CT é um exame que utiliza traçadores (radiofármacos) que são captados pelas células cancerígenas. Com isso, o PET/CT consegue localizar os sítios de concentração do câncer, pela incidência do radiofármaco no organismo.

Neste exame, injeta-se um radiofármaco na veia do paciente, que se concentra nas lesões tumorais, localizando os focos de metástases. Uma análise do corpo inteiro é realizada com alta precisão. De acordo com o médico nuclear e vice-presidente da Sociedade Brasileira de Medicina Nuclear, George Barberio Coura Filho – responsável clínico da Dimen SP (www.dimen.com.br), o PET scan pode ajudar a diagnosticar se a doença evoluiu para determinar qual o melhor tratamento para combater o câncer e garantir maior qualidade de vida ao paciente. "Esta tecnologia nos permite conhecer a localização exata do câncer e determinar sua extensão, o que possibilita escolher o tratamento correto para o tipo de lesão", explica o especialista.

Voluntárias de Assis organizam bazar em prol aos animais de rua neste sábado

O bazar começa às 9 horas na rua Cruz e Souza, 145

Um grupo de voluntárias de Assis realiza neste sábado, 20 de julho, um bazar com a oferta de peças de roupas, calçados, acessórios e utensílios domésticos, em prol aos animais abandonados.

De acordo com a voluntária Elaine Souza Freira, o bazar terá início às 9 horas, na rua Cruz e Souza, 145 na vila Xavier, e as peças serão a partir de R$ 1.

"O valor arrecadado será utilizado no tratamento dos animais de rua que cuidamos, com a compra de medicamentos, pagamento de consultas veterinárias e compra de ração”, explica.

Elaine lembra que o grupo de voluntárias cuida de mais de 100 animais de rua, oferecendo diariamente alimentos a eles, e pedem que quem puder colaborar com doações de ração tanto para gato quanto para cães podem levar os alimentos até o bazar.

Aplicativo doará R$ 1 de cada compra para a ONG SOS Pets de Assis

A campanha ocorre entre os dias 15 e 21 de julho

O aplicativo Delivery Much de Assis está promovendo a campanha de Ração Solidária, em benefício à ONG SOS Pets.

Durante a ação, que ocorre entre os dias 15 e 21 de julho, a cada compra realizada através do aplicativo, será doado R$ 1 para a ONG, que investirá o valor na aquisição de ração para animais de rua.

A campanha é válida para pedidos feitos através do aplicativo e também no site.

divulgação - Cartaz da campanha que ocorre entre os dias 15 e 21 de julho
Cartaz da campanha que ocorre entre os dias 15 e 21 de julho


Tutores buscam por casal de Boxers em Assis

Cachorros fugiram na manhã desta sexta-feira, 28, na Vila Palhares

Na manhã desta sexta-feira, 28, um casal de cachorros da raça Boxer fugiu de uma casa na Rua Joaquim Galvão de França, em Assis.

Os tutores estão em busca dos animais, que desapareceram por volta das 9h, na Vila Palhares.

A fêmea atende pelo nome de Bambina e tem a pelagem branca, enquanto o macho atende pelo nome de Brack e tem uma mancha no olho esquerdo.

Os tutores dizem que ambos são muito dóceis e não sabem se estão juntos. Eles também pedem para que, caso alguém tenha visto ou resgatado os animais, que entre em contato pelos telefones (18) 99609-0912 (Ariana) e (18) 99743-3290 (Junior).


Bambina


Brack


Na evolução, cachorros passaram a levantar sobrancelhas para ter atenção dos humanos

Movimento dos músculos acima dos olhos não ocorre com a mesma intensidade em lobos. Ao erguer as sobrancelhas, cães atraem os cuidados dos donos

Seu cachorro faz, de vez em quando, uma carinha especialmente fofa, que desperta sua atenção? Esse comportamento pode ser proposital, justamente para atrair mais cuidados dos seres humanos. Pesquisadores dos Estados Unidos e do Reino Unido descobriram que, ao longo do processo evolutivo, esses animais desenvolveram novos músculos faciais. Com isso, conseguem elevar as sobrancelhas intencionalmente e imitar os olhos arredondados de filhotes.

Essa expressão desencadeia, instantaneamente, uma resposta nos humanos. "Quando cachorros fazem esse movimento, despertam um desejo mais forte de cuidarmos deles. Isso deu aos que conseguiam mexer a sobrancelha uma vantagem maior em relação aos demais. Essa característica foi transmitida para as gerações seguintes", explica um dos pesquisadores.

Os autores do estudo, liderados pela psicóloga Juliane Kaminski, da Universidade de Portsmouth, na Inglaterra, compararam lobos e cães. Os primeiros não conseguem movimentar a sobrancelha, porque não desenvolveram esses mesmos músculos acima dos olhos. Ao que parece, foi uma diferença decisiva entre as espécies - cachorros têm uma capacidade maior de interação social com humanos.



Ao erguer as sobrancelhas, cachorros ficam mais parecidos com filhotes e atraem a atenção dos humanos


Assisense pede ajuda para encontrar cavalo que fugiu

Animal desapareceu nas proximidades do Jardim Santa Amélia, em Assis

Os tutores de um cavalo estão em busca do paradeiro do animal, após ele fugir em Assis.

Segundo Lucas Almeida, ele deu o cavalo para seu irmão menor e a criança está muito triste, já que o animal fazia parte da família.

O animal estava em um pasto no Jardim Santa Amélia, nas proximidades do antigo colégio Diocesano. Ele atende pelo nome de Juvenal, tem a pelagem marrom escura e uma mancha branca entre a boca e a testa.

Caso alguém tenha informações do cavalo, pode entrar em contato com a família pelo telefone (18) 99690-3588.


Cavalo atende pelo nome de Juvenal e tem uma mancha branca que pode ajudar na identificação


Animais enxergam as cores de maneira diferente do ser humano

Para que um animal possa perceber as inúmeras cores, precisa ter pelo menos duas classes diferentes de células sensíveis à cor em seu olho

A retina das pessoas capta três tipos de cores: o azul, vermelho e verde, o que permite enxergar uma variedade enorme de cores. Existem dois tipos de células sensíveis à luz no olho: os cones e os bastonetes. Os humanos possuem até seis milhões de cones na retina. Enquanto os bastonetes respondem à intensidade luminosa (níveis baixos ou altos de luz), os cones leem as frequências da luz, permitindo que as cores sejam identificadas, informa Vininha F. Carvalho, editora da Revista Ecotour News.

Assim, os bastonetes permitem ver de noite ou com pouca luz e os cones possibilitam perceber distintas cores. Tanto nos bastonetes como nos cones, existem moléculas de um tamanho relativamente grande que absorvem os fótons que chegam a elas e que são as que produzem finalmente impulsos elétricos no nervo óptico.

O cérebro dos animais interpreta a combinação das frequências de uma forma diferente. Para que um animal possa perceber as inúmeras cores, precisa ter pelo menos duas classes diferentes de células sensíveis à cor em seu olho, os cones, e uma capacidade cerebral que possa entender as mensagens que recebe destas células.

Os gatos reagem apenas às cores violeta, azul, verde e amarelo. Como resultado dessa condição, a visão deles é embaçada e eles não conseguem ver os detalhes de objetos. Apesar de não terem uma visão capaz de distinguir muitas cores, eles são capazes de detectar qualquer movimento. Isto também é reflexo do campo de visão dos gatos, que é de 200°. O do ser humano é de 180°. Tal característica permite que o animal tenha uma visão panorâmica mais ampla.

"O gato enxerga no escuro cerca de seis a oito vezes melhor do que os humanos, e isso se deve a presença de diversos bastonetes na visão, que é um componente da retina responsável pela recepção de luz no escuro", salienta Vininha F. Carvalho.

O cão pode ver em cor, mas não tantas cores como os humanos, já que possui só dois tipos distintos de cones. Ele consegue distinguir o azul do amarelo, do vermelho ou do verde, mas não diferencia o vermelho do verde. Os caninos veem na escuridão de quatro a cinco vezes melhor do que o ser humano.

A pomba possui até cinco tipos diferentes de cones, logo percebe mais cores do que um ser humano. A borboleta possui quatro tipos diferentes de cones. Um tipo de camarão tem pelo menos doze classes de células sensíveis à cor e provavelmente seja o animal que mais cores percebam.

Há casos de animais que não possuem cones e só disponha de bastonetes em seu olho. Eles não poderão perceber cor alguma, apenas mudanças de intensidade de luz. Seu mundo é um mundo de sombras, no qual as sombras menos escuras correspondem a mais luz e as menos escuras, a menos luz. Este é o caso, por exemplo, das salamandras.

Também não verá a cor um animal que, além de bastonetes, só possua um tipo de cone (são necessários dois, no mínimo, para distinguir cores). Assim, seu mundo não será em escala de cinzas como, no caso da salamandra, mas na escala da única cor que percebam seus cones. Isso é que acontece com o polvo.

Ainda há o caso de animais que possuem células sensíveis a frequências que ficam em faixa do espectro eletromagnético não visível para os olhos humanos. É o caso das abelhas, que veem a luz ultravioleta (UV), uma frequência que é invisível para os humanos. "As abelhas usam esta visão em UV para ver os padrões das pétalas florais, os quais lhe indicam onde se encontra o néctar", conclui Vininha F. Carvalho.


Gatos enxergam no escuro cerca de seis a oito vezes melhor do que os humanos


O que é e como fazer Marketing Cross Channel

Utilizar esse método é planejar as suas campanhas tendo em mente todas as formas e canais de contato que a sua empresa tem disponível para o cliente

Na hora de elaborar uma campanha de Marketing Digital muitos pensam em utilizar isoladamente as redes sociais e criar um blog ou site. No entanto, a variedade de canais online – e até offline – é tanta, que manter o foco apenas em um é um erro.

Por conta disso é que o Marketing Cross Channel surge como uma maneira inteligente e planejada para você utilizar mais de um canal disponível, afinal, em uma época em que Youtube, Facebook, e-mail e blogs são importantes, por que não fazê-los andar de mãos dadas?

O Cross Channel, em bom português, significa "cruzar canais”. Utilizar esse método é planejar as suas campanhas tendo em mente todas as formas e canais de contato que a sua empresa tem disponível para o cliente, seja ele via website, e-mails, vídeos, enfim, todas alternativas de mídia.

Sendo assim, um exemplo de cross channel é fazer uma campanha de divulgação de um pet shop na Rede Display do Google apontando para o landing page onde o usuário pode concorrer a uma promoção na loja física.

Outro exemplo seria convidar o usuário a seguir o pet shop no Facebook e, em seguida, com os seus dados, elaborar uma campanha publicitária no Instagram para lhe mostrar um produto anti-pulgas. Por fim, o usuário clica no anúncio e assim efetua uma compra.

Tudo isso pode ser considerado como uma campanha de Marketing Cross Channel, pois há o "cruzamento” de vários canais em prol de uma única ação.

Como fazer uma campanha Cross Channel

Vale lembrar que para o Marketing Cross Channel ter o êxito que você espera, todos os canais utilizados devem estar preparados. Pense, por exemplo, se o blog não contar com uma boa hospedagem de site. É provável que ele fique lento diante de tantos acessos.

Uma maneira para contornar isso é utilizar uma hospedagem cloud que disponibiliza vários recursos importantes para o seu projeto web e escalabilidade para você ter crescimento sustentável.

Além disso, não dá para pensar em Marketing Cross Channel sem conhecer o perfil do seu público. Não importa se o seu negócio é um e-commerce, blog pessoal ou um salão de beleza. Conhecer bem o seu cliente é o passo inicial para saber quais canais você vai utilizar.

Afinal, "cruzar canais” não significa fazer bagunça. Cada mídia utilizada possui o seu propósito e saber como e quando utilizá-la é o que separa uma campanha bem feita de uma cheia de equívocos.

A necessidade da sua empresa é o que vai nortear o planejamento da sua campanha. Talvez a necessidade seja a conversão de leads, ou quem sabe a divulgação de uma promoção, ou talvez seja fortalecer a imagem da marca.

Vamos para um exemplo prático: você tem uma loja online voltada para o público geek, certo? O seu objetivo é divulgar o lançamento de um novo action figure.

Com o objetivo em mente e conhecendo bem os interesses e perfis do seu público de clientes, você vai ter condições para escolher quais canais serão utilizados nessa sua campanha.

As características dos canais existentes

Talvez seja comum as pessoas pensarem que multicanal e cross channel são sinônimos. Ledo engano, ainda que os dois envolvam a utilização de vários canais, o cross channel envolve o cruzamento dos canais, já o multicanal não.

Além disso, é importante conhecer as características básicas dos diversos canais existentes. Veja alguns dos mais utilizados e conhecidos.

E-mail Marketing

Se o seu objetivo é efetuar a conversão de leads, o e-mail marketing veio para salvar o seu dia. O e-mail marketing é personalizável, fala diretamente e individualmente com o seu cliente em potencial.

Porém, para ele ser eficiente, conte com uma ajudinha de algumas ferramentas feitas especialmente para o disparo das mensagens. O E-goi e o Mailchimp são algumas delas.

Redes Sociais

Não dá para deixar de lado o Facebook, Twitter, o Instagram e a sua turma. Hoje em dia mais de 90% da população fazem parte de uma ou até mais redes sociais.

Além disso, mais da metade dos usuários seguem marcas nas redes sociais, por isso uma campanha de Marketing Cross Chanel não pode dispensar esses canais.

Vídeos no Youtube

A tecnologia streaming e os dispositivos móveis possibilitam que boa parte do conteúdo na web seja acessado via smartphones e iPhones. Os vídeos captam com mais facilidade a atenção do consumidor e são versáteis para divulgar qualquer tipo de conteúdo.

Falando em estratégias cross channel, as plataformas de vídeos são ferramentas essenciais para complementar as estratégias e impulsionar a suas ações.

Blog

Em se tratando de espaço para gerar conteúdo, os blogs continuam firmes e fortes. Eles conseguem agregar o melhor de todas as mídias, tais como vídeos, textos, podcasts e fotos.

Lembre-se que para gerar conteúdo relevante e de qualidade para o seu público, é importante utilizar alguma ferramenta apta para avaliar as palavras-chaves das suas postagens. Uma delas é o Google Keyword Planner.

Conclusão

O Marketing Cross Channel é o reflexo do atual modelo de empreendedorismo, onde a tecnologia e as ferramentas web se mostram peças fundamentais para fisgar a atenção e o interesse do público.

Portanto, abrace as técnicas do Marketing Cross Channel no seu negócio, pois se um canal já é eficiente, a união deles é a jogada certa.

Bem-Estar

"Golpe do Motoboy": fraude atinge aposentados e correntistas de bancos

Orientação é para sempre que o consumidor tiver que inutilizar o cartão, corte ao meio, inutilizando a tarja magnética

É crescente o número de correntistas de instituições financeiras, principalmente aposentados e idosos, que têm sido vítimas da fraude popularmente conhecida como o "Golpe do Motoboy”. Nesse golpe, "falsos” funcionários do banco entram em contato com o correntista e informam que o sistema detectou uma suposta compra com características fraudulentas em sua conta bancária e questionam a sua veracidade. Por se tratar de uma "falsa” compra, o cliente informa que não a realizou, assim o suposto funcionário do banco explica que houve uma fraude no cartão e sugere o seu cancelamento através do telefone da central de atendimento localizado atrás do cartão.

Os estelionatários mencionam na ligação os dados pessoais da vítima como nome, CPF e instituição financeira. Após esse primeiro passo, o golpista, se passando por funcionário do banco, orienta o aposentado a realizar uma ligação posterior na qual confirmará alguns dados e questionará de fato as compras realizadas indevidamente em seu cartão. Então, neste intervalo de tempo, do término de uma ligação para a discagem de uma nova, estes criminosos "prendem" a linha de seu telefone, de forma que a ligação posterior, que o correntista acredita ser direcionada ao banco, fica novamente sob o controle dos golpistas. É também neste momento que é solicitado que a vítima digite a senha de seu cartão. Desta forma, todos os dados ficam expostos permitindo que os golpistas façam transações comerciais em seu nome.

E os próprios golpistas realizam um "falso” cancelamento do cartão e "por motivos de segurança” solicitam ao cliente que envie o cartão à agencia bancária, mantendo o chip, junto com uma carta escrita a próprio punho acerca do ocorrido, para que seja realizada uma sindicância, disponibilizando um motoboy para a retirada. Ocorre que, o cancelamento de fato não ocorreu e o motoboy que retira o cartão na residência do correntista é o próprio golpista, que na sequencia realiza diversas compras, empréstimos e saques na conta bancária.

Ao descobrir que caiu no "Golpe do Motoboy”, o correntista solicita ao banco o bloqueio de fato do cartão, bem como o cancelamento das compras realizadas pelos golpistas. Contudo, na maioria dos casos, a instituição bancária rejeita a solicitação e o consumidor tem que arcar com o prejuízo.

Dessa forma, muitos correntistas estão recorrendo à Justiça para pleitearem o cancelamento das compras e empréstimos realizados pelo golpista, bem como a devolução de valores sacados ou pagos. É possível também solicitar, liminarmente, a suspensão das cobranças até o término da ação, não correndo durante esse período, caso seja deferida a liminar, juros sobre o débito.

Na maioria dos casos, a liminar é deferida, sendo confirmada ao final do processo, condenando o banco a cancelar o valor cobrado e a devolver os valores pagos ou debitados da conta do correntista. Ainda existe a possibilidade de condenação em danos morais, tendo em vista todo transtorno passado pelo correntista, o abalo psicológico sofrido, além de ter todos os seus dados pessoais e bancários expostos a terceiros que o utilizam de má-fé.

Não obstante tudo isso, a orientação é para sempre que o consumidor tiver que inutilizar o cartão, corte ao meio, inutilizando a tarja magnética e também, quando possuir, corte ao meio o chip, adotando tal procedimento as chances de qualquer fraude diminuem consideravelmente. E também é recomendável nunca entregar seu cartão para qualquer funcionário. E caso tenha sido vítima do golpe, registrar de imediato um Boletim do Ocorrência (BO) na delegacia mais próxima. O "Golpe do Motoboy" é o mais utilizado por quadrilhas especializadas em aplicar golpes em pessoas da terceira idade.

*Isabela Perrella é advogada do escritório Aith, Badari e Luchin Advogados

Cães e gatos também passam pela adolescência, explica especialista

Preguiça, desobediência e desejo de liberdade são algumas das características desse período

Acredite: animais também têm adolescência e passam por essa fase difícil com rebeldia. Preguiça, desobediência e desejo de liberdade são algumas das características desse período após a infância para as crianças, mas cães e gatos também apresentam os mesmos sintomas.

O médico veterinário Cleiton Rupolo, especialista da Nutrire – indústria de alimentos de alta performance para pets, explica o que ocorre nessa fase e de que forma os tutores devem agir para garantir bem-estar ao animal.

Cães

Tal e qual acontece com as crianças, os cães também saem da infância para aquela mais conhecida como "fase da rebeldia". Além das mudanças físicas, alterações comportamentais acontecem e saber como lidar nesse período é muito importante.

"A adolescência de um cão surge no começo dos seis meses de idade e vai até os 18 meses, no máximo. A produção maior de hormônios acarreta nas mudanças de interesses e podem complicar a relação dos pets com seus tutores”, explica. Mas, afeto e determinação vão auxiliar a passar etapa de forma tranquila e feliz com seu pet.

Nessa fase, o treinamento do cachorro requer mais paciência, consistência e persistência. "É bom que todos utilizem as mesmas palavras de comando e compreendam que tudo o que o animal aprender agora, vai levar para a fase adulta”, acrescenta. Quando o cão já é adestrado, pode acontecer dele não obedecer como antes, por isso, a paciência é o segredo da comunicação eficiente. "A fase da adolescência não é fácil para o animal e a rebeldia vai passar com o tempo”, diz.

Além disso, o cachorro pode ficar mais corajoso e instigado a novas descobertas. O ideal é não abrir mão da coleira na hora do passeio, por exemplo, principalmente porque eles desejarão explorar novos lugares e há perigos iminentes se o pet sair correndo pela rua. "O animal adolescente pode desejar a presença de outros companheiros, mas as brincadeiras não devem passar do limite. Muitas fêmeas, por exemplo, não aceitarão a companhia de outras fêmeas - o que pode gerar confrontos”, alerta Dr. Rupolo.

Os machos costumam se interessar pelas fêmeas nesse período e também tendenciam a marcar o território, o que também pode gerar brigas com outros machos. Todo cuidado é pouco. "Não se esqueça de deixar sempre claro quem é o líder, mas evite punições, gritos e xingamentos - isso só afasta seu cãozinho de você. Afeto é sempre a melhor forma lidar com a rebeldia do seu pet”, avalia.

Gatos

Aprender e brincar são os lemas de um gato adolescente. Além de mais carinhoso, o pet nessa fase da vida é cheio de energia e precisa se divertir bastante para gastar tudo isso. Ao mesmo tempo, os felinos também costumam dormir mais do que quando eram filhotes. "Portanto, não estranhe se o animal descansar por 15 ou 16 horas no dia”, diz o especialista.

Dr. Rupolo também alerta para os incômodos de móveis estragados. "Se você não deseja ter sofás e poltronas arranhadas, o ideal é investir em um arranhador, pois o gatinho adolescente é extremamente curioso e qualquer ambiente pode ter coisas interessantes e atrativas para afiar as unhas”, sugere.

Apesar das brincadeiras ainda serem a grande atração do gato adolescente, outra questão importante é a demarcação do território - feito tanto por machos como pelas fêmeas. "O xixi fora da caixa de areia é a forma mais comum do animal demonstrar que aquele ambiente é dele e de mais ninguém”, diz.

A castração é a forma mais segura de evitar esse comportamento - além de ser importantíssimo para a saúde do felino. Uma gata no cio pode incomodar os vizinhos e é muito desconfortável para o bichano. Por isso, é sempre indicado pedir orientação sobre o procedimento com um veterinário de confiança. "Tendo em vista que a superpopulação de animais domésticos é um caso de saúde pública, a castração auxilia a evitar o abandono de filhotes, impede as ninhadas não desejadas e prolifera a cultura da posse responsável”, diz.

"Independente de o seu companheiro ser filhote, adolescente, adulto ou idoso, seja paciente e afetuoso com ele. Há muitos mitos em torno dos gatos, um deles é de que não são tão apegados às pessoas”, completa o especialista. Porém, esses animais também sentem-se acolhidos, cuidados e seguros quando estão com seus tutores. Um gatinho adolescente só precisa de atenção e interação para que cresça saudável e se torne um adulto feliz.


Além das mudanças físicas, alterações comportamentais acontecem e saber como lidar nesse período é muito importante


Doença silenciosa: especialista alerta para a doença renal nos gatos

50% dos felinos com mais de 12 anos são acometidos por alguma doença renal

50% dos felinos com mais de 12 anos são acometidos por alguma doença renal e, infelizmente, os sintomas podem aparecer quando os rins já estão com mais de 75% das funções comprometidas. Quem alerta é o médico veterinário Thiago Marçal, especialista técnico da Nutrire.

"A doença renal crônica (DRC) é um mal silencioso e progressivo, que afeta os gatos mais velhos, mas pode aparecer em qualquer idade. As complicações variam de acordo com o estágio da doença e a prevenção ainda é o melhor remédio”, explica o veterinário. Como a DRC não tem cura, o que se faz com os tratamentos disponíveis é garantir qualidade de vida aos pacientes. "Todos os animais precisam ir ao médico ao menos duas vezes ao ano, os pets acima dos oito anos necessitam de acompanhamento médico a cada quatro meses”, conta.

São essas idas ao veterinário que garantem a descoberta precoce da doença”, diz Dr. Thiago. Segundo o especialista, é preciso estar atento às reações dos felinos, como o emagrecimento repentino e a perda de apetite. O aumento do consumo de água é um dos sintomas mais comuns em gatos com problemas renais. Consequentemente, é possível verificar também o aumento do volume da urina. "Se o animal apresenta letargia, depressão e se movimenta pouco também pode ser que esteja desenvolvendo a doença”, explica.

Os vômitos aparecem em estágios mais avançados e podem definir o tipo de tratamento, que vai desde medicamentos até internação com hemodiálise. "Se o animal faz exames de sangue e de imagem regularmente, muito dificilmente chegará de surpresa ao estágio avançado da DRC, visto que os níveis da creatinina, aliados a outros fatores, normalmente apresentam elevação. Além disso, as ecografias e ressonâncias mostram perfeitamente o estado de preservação dos rins e se os mesmos apresentam algum sinal de desgaste. O conjunto desses dois elementos é a segurança de que o pet está sendo monitorado constantemente", alerta.

Além das idas frequentes ao veterinário, Dr. Thiago indica que o tutor fique de olho no consumo de água e na alimentação do seu felino. "A ingestão da água é uma das formas de retardar a doença. Vasilhas ou fontes em diferentes locais da casa podem motivar o pet a beber mais ainda quando jovem - o que faz toda diferença na fase adulta e idosa do animal. A alimentação precisa ser balanceada, com fonte de proteína de alta qualidade e níveis controlados de fósforo, magnésio e sódio”, conta.


Vasilhas ou fontes em diferentes locais da casa podem motivar o pet a beber mais ainda quando jovem


Tutor procura por éguas que desapareceram entre Maracaí e Paraguaçu Paulista

As éguas estavam em um pasto arrendado

Duas éguas desapareceram de um pasto arrendado próximo ao Posto São Mateus, na estrada que liga Maracaí a Paraguaçu Paulista.

O proprietário dos animais acredita que elas foram roubadas, pois o local é cercado e não teria como os animais saírem de lá.

Ele pede que, se alguém souber do paradeiro das éguas, que entre em contato com Gustavo pelo número (18) 99652-8998.


As éguas estavam em um pasto arrendado e sumiram do local



Cavalo morre picado por cobra e mãe pede ajuda para conseguir outro animal para o filho, em Assis

Guilherme Henrique vendia latinhas para conseguir comprar a ração do seu cavalo

Lusiani Inácio, moradora do Jardim Santa Clara em Assis, pede a ajuda da comunidade para conseguir a doação de um cavalo para seu filho Guilherme Henrique, de 12 anos.

Ela conta que Guilherme ganhou um cavalo, batizado de Maverick, há cerca de dois anos, e sempre cuidou do animal da melhor forma possível.

"Ele vendia latinhas para conseguir juntar dinheiro para comprar ração, aveia e o que mais o cavalo pudesse precisar. Ele sempre cuidou dele com muito carinho, mas há cerca de 15 dias, o cavalo foi picado por uma cobra e morreu. O Guilherme ficou muito triste, fizemos até um velório para o cavalo, e agora ele me pede um outro cavalo, mas não tenho como comprar um cavalo pra ele. Por isto peço que quem puder, nos doe um cavalo”, conta.

Ela relata que, na internet, conhecidos da família estão fazendo uma campanha para comprar um novo cavalo para Guilherme.

Quem puder colaborar com Lusiani, pode entrar em contato através do telefone (18) 99706-8281.


Guilherme Henrique e seu cavalo Maverick


Mulher pede ajuda para castrar gatas em Cândido Mota

Márcia conseguiu castrar a mãe das gatinhas

A moradora de Cândido Mota, Márcia Durcelia Honorato, pede ajuda para castrar duas gatinhas, que atualmente tem três meses.

Ela conta que está desempregada e não tem condições de castrar as gatinhas, mas que durante quatro meses juntou dinheiro e conseguiu castrar a mãe das gatinhas.

"Eu não tenho condições de castrar as gatinhas, e não gostaria de doa-las pois cuido delas desde que nasceram, por isto peço ajuda da comunidade”, conta.

Quem puder ajuda-la, pode entrar em contato pelo telefone (18) 99821-1019, ou pessoalmente na rua Mariana Alves Borges, 242, bairro Alvorada.


As gatinhas tem três meses


Dois filhotes de cachorro abandonados estão para adoção responsável em Paraguaçu

Os animais estão agora no Corpo de Bombeiros

Em pleno mês de Abril Laranja, quando se trabalha a prevenção de maus tratos contra animais, o Departamento de Agricultura, Meio Ambiente, Urbanismo e Habitação da Prefeitura registra quase que diariamente pedido de ajuda para o encaminhamento ou divulgação de filhotes abandonados de cachorro que precisam de adoção responsável.

Dessa vez, trata-se de dois filhotes de cachorro que foram recolhidos pelo Corpo de Bombeiros de Paraguaçu Paulista. Quem quiser adotar ou ajudar no encaminhamento para adoção responsável, o telefone do Corpo de Bombeiros, sem ser a linha de emergência, é o (18) 3361-6600.

Chamado de Abril Laranja, este mês é dedicado à prevenção de maus tratos contra animais, especialmente aqueles em situação de rua. No caso da posse responsável, o futuro dono deve observar se está preparado para ter um animal em casa e considerar alguns fatores como: o tempo de vida do animal; as despesas com alimentação e tratamentos de saúde; a adequação do espaço físico disponível para a criação; tem que ter tempo para passear e/ou interagir com o animal; tem que ter alguém para alimentá-lo durante eventuais ausências prolongadas do dono.


Filhotes de cachorro foram recolhidos pelo Corpo de Bombeiros de Paraguaçu Paulista


Ambos estão disponíveis para adoção responsável


Bem-Estar

Meu filho é viciado em tecnologia? Conheça os principais sinais

Pesquisa mostra que 50% dos pais acham que os filhos usam o smartphone mais do que deveriam

Os smartphones já estão no dia a dia das crianças. De acordo com pesquisa do Panorama Mobile Time/Opinion Box, 85% das crianças brasileiras - de 0 a 12 anos - têm acesso a dispositivos móveis, sejam em celulares e tablets próprios ou emprestados dos responsáveis. Em contrapartida, 50% dos pais acham que seus filhos usam os aparelhos mais do que deveriam.

Além do diálogo, o controle parental pode ser uma alternativa para monitorar a garotada na web. O AppGuardian - app de controle parental que conecta pais e filhos - pode ser um aliado, pois permite que os pais organizem o tempo dos filhos online - seja em celulares ou tablets. Indicado para crianças de 7 a 14 anos, a tecnologia ajuda a administrar o tempo nas redes sociais, verificar a localização das crianças em tempo real, bloquear o acesso aos aplicativos instalados, organizar a rotina de uso dos aparelhos por dia e hora e até travar todas as funcionalidades dos dispositivos móveis.

Como saber se meu filho é viciado em tecnologia

De acordo com um estudo publicado no periódico científico Cyberpsychology, Behavior and Social Networking, que avaliou 89 mil pessoas em 31 países, a dependência da internet afeta cerca de 6% da população mundial. A condição apresenta alguns sintomas. A especialista Luiza Mendonça, psicoterapeuta e criadora do app de controle parental listou 3 sinais para os pais ficarem de olho, veja:

Abstinência

Se a criança fica estressada, agitada, ansiosa ou mesmo zangada quando longe dos eletrônicos ou sem conexão com a internet, este pode ser um sintoma de dependência. Principalmente se ela se acalmar imediatamente com o acesso.

Falta de interesse pela vida off-line

Se o seu filho parar de demonstrar interesse em atividades offline, como brincar, correr e passear é preciso prestar atenção. Essa falta de interesse pode inclusive prejudicá-lo na escola.

Alteração de humor e brigas

Crianças nesta situação não costumam lidar bem com a simples menção ao consumo excessivo e a limites. Tendem a acusar os pais e outros de implicância e a não respeitarem os limites. Se isto estiver acontecendo, o sinal vermelho foi aceso.


Além do diálogo, o controle parental pode ser uma alternativa para monitorar a garotada na web


Movimento Salva Patas de Cândido Mota promove Noite Festiva nesta sexta-feira, 5

Os voluntários querem arrecadar recursos para a castração de animais de rua

Nesta sexta-feira, 5, o Movimento Salva Patas de Cândido Mota promove uma Noite Festiva na cidade. O objetivo do evento é arrecadar recursos para a castração de animais e pagamentos de dívidas já existentes.

A voluntária Mallu Parra explica que o grupo não possui um abrigo, porém promove a castração de animais de rua e busca pessoas que queiram adotá-los de forma responsável.

"A castração é um método seguro realizado pelo veterinário de sua confiança e, além de evitar a superpopulação dos animais de rua, comum em nosso país, onde há mais de 30 milhões nas ruas, segundo dados da OMS, traz benefícios para os bichinhos. O procedimento também aumenta a longevidade, reduz a agressividade, reduz demarcação, reduz risco de câncer e reduz fugas”, conta.

A Noite Festiva será realizada no Salão do Clube da Terceira Idade de Cândido Mota, a partir das 19h30.

As cartelas serão vendidas no local e com antecedência podem ser adquiridas a R$ 10, em Assis na Anjo Ki Late e em Cândido Mota na Agromotta.


Noite Festiva será em prol da castração de animais de rua assistidos pelo Movimento Salva Patas


Movimento Salva Patas de Cândido Mota promove Noite Festiva no dia 5 de abril

Os voluntários querem arrecadar recursos para a castração de animais de rua

No dia 5 de abril, sexta-feira, o Movimento Salva Patas de Cândido Mota promove uma Noite Festiva, em Cândido Mota. O objetivo do evento é arrecadar recursos para a castração de animais e pagamentos de dívidas já existentes.

A voluntária Mallu Parra explica que o grupo não possui um abrigo, porém promove a castração de animais de rua e busca pessoas que queiram adotá-los de forma responsável.

"A castração é um método seguro realizado pelo veterinário de sua confiança e, além de evitar a superpopulação dos animais de rua, comum em nosso país, onde há mais de 30 milhões nas ruas, segundo dados da OMS, traz benefícios para os bichinhos. O procedimento também aumenta a longevidade, reduz a agressividade, reduz demarcação, reduz risco de câncer e reduz fugas”, conta.

A Noite Festiva será realizada no Salão do Clube da Terceira Idade de Cândido Mota, a partir das 19h30.

As cartelas serão vendidas no local e com antecedência podem ser adquiridas a R$ 10, em Assis na Anjo Ki Late e em Cândido Mota na Agromotta.

Plantas protetoras x arquitetura

Existem muitas plantas que são consideradas protetoras - arruda, comigo-ninguém-pode, aroeira e, claro, a espada-de-são-jorge ou espada-de-ogum pois, consagrada a São Jorge da Capadócia e ao orixá Ogum é uma proteção astral para a sua casa.

Qual é a Espada-de-São-Jorge?
Espada-de-são-jorge é a Sansevieria trifasciata, uma erva usada ritualisticamente nas religiões afro-brasileiras (Umbanda, Candomblé e suas variações regionais) tanto na liturgia como medicinal.

Esta é uma erva comum nas entradas das casas e em seu interior pois resiste bem à meia-sombra.

E na arquitetura como podemos unir proteção x beleza. Confira algumas fotos:





Bem-Estar

Ano Novo Astrológico: agora 2019 começa para valer!

Quando o relógio apontar exatamente para as 18 horas e 59 minutos do próximo dia 20 de março, o ano de 2019 começará no astral. Nesse momento, o Sol cruzará o Equador celeste, em um fenômeno astronômico e astrológico denominado Equinócio. Para a Astrologia, esse ponto no céu marca o ingresso do Sol no signo de Áries, o primeiro do zodíaco. Assim, astrologicamente, teremos o início de mais um ciclo solar que dura, em média, 365 dias.

O fato de o ano astrológico começar com o Equinócio de Primavera, no Hemisfério Norte – e do Outono, no Hemisfério Sul –, remonta às origens da Astrologia. O zodíaco astrológico descreve um ciclo de fertilidade que se estende ao longo do caminho aparente que o Sol faz em volta da Terra. Assim, cada signo tem uma simbologia derivada do planejamento da agricultura e da pecuária de antigas civilizações. O ingresso do Sol em Áries, portanto, descreve o início de um ciclo de fertilidade, da necessidade se começar a trabalhar na terra para o plantio, já que as sementes serão enterradas com o Sol no signo de Touro.

Ainda que hoje tenhamos as diferenças de calendário – o início do ano em 1° de janeiro, como temos atualmente, se deu somente a partir de 1582, com a adoção do calendário gregoriano – o mapa do ingresso do Sol em Áries é o que norteia as previsões astrológicas anuais. No astral, teremos um momento para reforçar aqueles votos que fizemos na ocasião do Réveillon, aproveitando para revisar o que conseguimos avançar em direção aos nossos projetos desde a virada do calendário.

Mesmo que você não consiga parar exatamente no horário do Equinócio, vale meditar ou refletir sobre seus objetivos para o ano, pois agora é que teremos a regência pelo planeta Marte mostrando sua atuação de maneira mais vigorosa. Para aproveitar essa energia para promover novos começos e a abertura de caminhos, pode-se acender uma vela vermelha lambuzada com mel e azeite. Acrescenta-se a esse pequeno ritual de magia planetária um incenso aceso para simbolizar o elemento Ar, uma taça cheia para representar a Água e, por fim, alguns cristais ou moedas dedicados ao elemento Terra para trazer prosperidade. Mentalize seus desejos e reforce a sua Vontade.

Bem-Estar

Psicóloga dá dicas para lidar com as crianças durante a separação dos pais

Diálogo e sinceridade são essenciais para que os pequenos se sintam seguros nesta etapa

A separação é um momento difícil, principalmente se o casal tiver filhos. Não importa a idade, para eles é sempre complicado aceitar e entender a decisão dos pais de não viverem mais juntos. A psicóloga do Grupo São Cristóvão Saúde, Aline Cristina de Melo, sugere a melhor forma de abordar o assunto e ajudar as crianças a lidarem com o divórcio.

Para a profissional, o melhor momento para informar aos filhos é quando esta decisão está seguramente resolvida pelos pais. "Isso evita gerar angústias desnecessárias para a criança ou adolescente, caso eles mudem de ideia”.

Não existe receita, mas a especialista lembra que a adaptação do discurso para a realidade dos pequenos e a sinceridade são pontos que devem ser levados em conta. "Posicioná-los sobre a separação de forma clara, sincera e verdadeira, transparecendo tranquilidade e segurança, faz com que a criança identifique tais sentimentos e apazigue sua angústia por meio deste acolhimento”, diz. Ela explica que não há necessidade de expor os reais motivos do divórcio, porém é muito importante que fique claro para a criança que ela não teve qualquer culpa ou participação nesta decisão.

Paciência e sensibilidade também são muito importantes diante das dúvidas que surgirão no decorrer deste processo. Segundo a psicóloga, na maioria dos casos, a criança não absorve bem a notícia, pois tal aspecto implica no surgimento de muitas fantasias em suas mentes, que vão desde a culpa e a contribuição delas para a separação dos pais, até a possibilidade de o divórcio afetar o amor que sentem por ela. "Isso sem falar na angústia da ausência do cônjuge que sairá de casa”, complementa.

Aline Melo ressalta que a rejeição da criança pode ser temporária. "Ela dura até que perceba que, embora sua rotina mude, o carinho e amor que recebe dos pais não mudará. Com o tempo, essa reação de rebeldia tende a se dissipar, conforme os filhos forem recuperando a segurança na família e nos laços afetivos”, acrescenta a psicóloga do São Cristóvão.

Em alguns casos, as crianças podem apresentar uma mudança no seu comportamento e no seu rendimento em algumas atividades, inclusive na escola. Quando isso acontece, Aline aponta que é importante que os pais, juntamente com seu filho, reflitam sobre o que pode estar interferindo. Segundo ela, a falta de motivação para as atividades pode estar ligada a aspectos emocionais relacionados à dificuldade em compreender e aceitar o divórcio, "como também uma forma de chamar atenção, mesmo que seja por meio de um aspecto negativo e prejudicial”, diz.

A especialista aconselha que os pais conversem com os educadores sobre ao assunto. "Investiguem se a criança expõe suas insatisfações e angústias perante a separação dos pais em ambiente escolar. Essa é também uma forma de compreender melhor o que ocorre”, explica.

Para a psicóloga, evitar expor os filhos aos conflitos do casal deve ser a maior preocupação dos pais. "É importante tomar cuidado para não acabar usando os filhos para afetar o outro, isso poderá se refletir negativamente na criança”. Ela explica que um cônjuge não pode falar mal do outro para a criança, o ideal é que eles saibam separar a relação deles como casal da relação deles como pais.

A dica da profissional é que os pais mantenham um relacionamento saudável, ou pelo menos, tenham um diálogo cordial. "Ter um bom relacionamento é importante, pois eles precisam dialogar e se organizar quanto aos cuidados, atenção e rotina dos filhos”. Dessa forma, as crianças perceberão que sua família passou por uma grande mudança, mas que isso não afetou no carinho e amor dos pais. "Quando isso acontece, os filhos percebem que não há motivo para sentirem-se abandonados”, reforça.

Em alguns casos a separação traz alívio, principalmente quando as situações de conflitos vivenciados pelo casal eram presenciadas pelos filhos. "Muitos pais depois da separação conseguem até melhorar a convivência com as crianças, gerando uma relação ainda mais próxima”, diz a psicóloga. E, caso a criança tenha dificuldade em lidar com todas as mudanças causadas pela separação dos pais, a profissional explica que a psicoterapia pode ser um auxílio valioso na compreensão dos sentimentos e nas mudanças que serão enfrentadas.


Para a psicóloga, evitar expor os filhos aos conflitos do casal deve ser a maior preocupação dos pais


Bem-Estar

Os riscos das receitas caseiras para produtos de limpeza

A combinação de água sanitária e amaciante, por exemplo, pode resultar na liberação de cloro na forma de gás

O compartilhamento de vídeos com instruções e receitas para a produção de produtos de limpeza a partir de ingredientes caseiros, como vinagre e bicarbonato de sódio, é cada vez mais comum. A tendência do "do it yourself" ou "faça você mesmo" já não se restringe apenas aos trabalhos manuais.

Embora a ideia de receitas com efeitos milagrosos pareça interessante, elas nem sempre possuem a eficácia esperada e, pior que isso, são potencialmente perigosas. Enquanto os produtos de limpeza disponíveis no mercado são o resultado de diversas pesquisas e testes para comprovar performance, compatibilidade e estabilidade; a mistura indiscriminada de ingredientes pode originar subprodutos com efeitos tóxicos e prejudiciais à saúde.

A combinação de água sanitária e amaciante, por exemplo, pode resultar na liberação de cloro na forma de gás, uma substância com efeitos asfixiantes e tóxicos. Com mecanismo semelhante, combinações com limpadores amoniacais levam à formação de cloraminas, também danosas. O vinagre, muito comum nas receitas da internet também apresenta riscos. Quando misturado ao bicarbonato de sódio, há a formação de subprodutos potencialmente prejudiciais à saúde pois, caso inalados ou em contato com a pele, podem levar à irritação, sensibilidade e problemas respiratórios.

Os formuladores responsáveis pelo desenvolvimento de produtos de limpeza realizam inúmeros testes e combinações de ingredientes em várias dosagens para avaliar a efetividade da fórmula, além da sua segurança. Assim, mesmo para usos mais específicos, como a remoção de manchas, existem opções adequadas no mercado. As consequências e os riscos das receitas caseiras não devem ser ignorados, a opção mais segura é utilizar os produtos desenvolvidos por especialistas e de acordo com a recomendação dos fabricantes.


Mistura indiscriminadas de ingredientes podem originar subprodutos com efeitos tóxicos e prejudiciais à saúde


Voluntárias de Assis pedem ajuda para castrar cachorra abandonada

As doações podem ser feitas na clínica São Francisco, onde o animal está internado

Um grupo de voluntários que moram no Parque Colinas e na Avenida Perimetral, em Assis, realiza uma campanha para arrecadar fundos para a castração de uma cadelinha que vive na rua e é alimentada pelos moradores.

A cachorra passa a maior parte do tempo embaixo de uma figueira no final da avenida e, segundo os voluntários, é um pouco arisca e já teve diversas crias.

"Ela precisa ser cadastrada com urgência pois já tem certa idade e está internada na clínica São Francisco. Ela ficará lá até que esteja totalmente recuperada após a castração. Todo o tratamento custará R$ 300, devido aos medicamentos que serão usados depois da castração", contam.

Os voluntários pedem que, quem puder colaborar, leve sua doação até a Clínica São Francisco, na Avenida Perimetral, 115, informando que a doação é para a 'cadelinha da figueira'.


A cadelinha vive na rua e precisa ser castrada com urgência


Rata 'gordinha' é resgatada após ficar entalada em bueiro na Alemanha

Houve quem questionasse tal esforço para salvá-la, mas especialista em resgates do tipo diz que 'mesmo os animais mais odiados merecem respeito'

Na cidade alemã de Bensheim, no sudoeste do país, equipes de resgate receberam um telefonema incomum: uma rata gordinha precisava de ajuda depois de ficar presa em um bueiro de esgoto.

"Ela tinha engordado no inverno e ficado presa pelo quadril, não tinha como sair ou voltar", disse à imprensa local Michael Sehr, especialista em salvamento de animais que auxiliou na operação.

Um esforço razoável foi feito para livrar a rata, o que levou algumas pessoas a questionarem por que se dar a esse trabalho para tirar um rato de um bueiro. "Mesmo os animais que são odiados por muitos merecem respeito", disse Sehr.

Voluntários entraram em ação após uma chamada ser feita na tarde de domingo, informou o Corpo de Bombeiros da cidade. Sehr, que faz parte da equipe de resgate de animais, já estava lá, mas não conseguia libertar o roedor da tampa do bueiro.

Com a ajuda de bombeiros, a tampa do bueiro foi elevada enquanto Sehr tentava soltar o animal. A rata foi libertada diretamente no esgoto, mas não antes que algumas fotos fossem tiradas.

O caso foi divulgado na página da equipe de resgate de animais no Facebook, onde centenas de comentários parabenizaram o cuidado dado a um animal que é frequentemente alvo de extermínio.

Por sua vez, Sehr recebeu um desenho da rata cercada por corações feito pela menina que primeiro encontrou o animal em apuros.


A rata era pequena, mas não o suficiente para passar pela tampa de um bueiro


Foram necessários oito bombeiros e um especialista em resgate de animais para retirar a rata da tampa do bueiro


Bem-Estar

7 dicas para estimular a independência das crianças

É muito comum que os pais sintam saudades da fase em que os filhos eram pequenos ou bebês. Mas, não há como parar o tempo. Por isso, é importante aproveitar ao máximo cada fase do desenvolvimento infantil. Entretanto, também faz parte da maternidade e da paternidade incentivar a autonomia e a independência dos pequenos.

De acordo com a fonoaudióloga e psicopedagoga, Marli Kondo, profissional da equipe de Fisioterapia Neurológica Pediátrica da Clínica Walkíria Brunetti, alguns aprendizados são naturais, por observação e imitação do comportamento dos colegas da escola, dos pais ou irmãos. "Além da imitação, a criança também precisa de vários estímulos para desenvolver as habilidades necessárias para sua autonomia”, reforça a especialista.

Pais não devem fazer tudo pela criança

De acordo Marli, as atividades da vida diária como vestir-se, tomar banho, escovar os dentes, comer, entre outras, estimulam a coordenação motora, a cognição e são fundamentais para o processo de aprendizagem escolar.

"Portanto, quanto mais os pais incentivarem a criança a se independer, melhor. O oposto também é verdadeiro: quando os pais fazem tudo pela criança, podem ocorrer sérios prejuízos ou atrasos no processo de desenvolvimento que podem prejudicar a vida escolar e a vida como um todo”, ressalta Marli.

Cada coisa no seu tempo

Não existe um manual de como ser mãe ou pai ou ainda do que é certo ou errado na criação dos filhos. Assim, o mais importante é que os pais se tornem conscientes e procurem se informar sobre o assunto para aplicar os estímulos certos, de acordo com cada fase do desenvolvimento.

"Os pais devem procurar conhecer o que é esperado para cada idade, o que pode e deve ser estimulado, o que precisa de supervisão, entre outros aspectos”, comenta a psicopedagoga.

Com a ajuda da especialista, preparamos sete dicas para ajudar os pais a incentivarem a autonomia dos filhos, de acordo com as fases do desenvolvimento infantil. Confira.

Hora da comida: Hoje há diversos métodos para a introdução alimentar. Deixar a criança comer com as mãos no início pode ser muito bom, pois irá incentivar a coordenação motora fina, assim como o tato. Ao longo do processo, é possível introduzir os talheres, como as colheres e os garfos, que já podem ser usados por bebês a partir de um ano. Este aprendizado é longo. Espera-se que por volta dos quatro anos completos a criança já seja capaz de se alimentar sozinha, pelo menos usando a colher.

Com que roupa eu vou? Os atos de vestir-se ou despir-se são atividades da vida diária essenciais. Os pais podem começar a treinar ou a incentivar o interesse depois que a criança completar um ano e meio ou menos. Tirar ou colocar sapatos e meias, tirar as peças íntimas, colocar uma calça, um vestido, etc. Espera-se que ao longo do tempo a criança aprimore essa habilidade. Vale lembrar que para os mais velhos é fundamental que os pais ensinem a fechar e abrir zíperes, amarrar cadarços, abrir e fechar botões. Todas essas habilidades contribuem para o desenvolvimento da coordenação motora fina.

Uma mão lava a outra: Lavar as mãos é um ato altamente recomendado para qualquer pessoa, inclusive para as crianças. Esse aprendizado pode e deve ser feito por volta dos 12 meses. Aos dois anos, espera-se que a criança já saiba lavar e secar as mãos sozinha.

Banho é muito bom: O banho já é uma atividade que necessita de supervisão por mais tempo, por vários motivos. Para as crianças que tomam banho na banheira, a principal razão é prevenir afogamentos. O banho é um momento que exige cuidados para a criança não escorregar, cair, entre outros. Além disso, lavar a cabeça, o corpo e todo o resto são aprendizados que demoram mais tempo. O ideal é que por volta dos seis anos a criança consiga tomar banho sozinha, mas ainda com a supervisão de um responsável. O aprendizado pode começar por volta dos três anos em diante ou antes, de acordo com o perfil de cada criança.

Dentinhos limpos: A higiene bucal deve começar ainda no primeiro ano de vida. Entretanto, escovar os dentes é uma atividade mais complexa, com uma curva de aprendizado mais longa. Aos quatro anos, a criança pode escovar os dentes sozinha, desde que os pais supervisionem a atividade. A autonomia total na higiene oral só ocorre por volta dos sete anos em diante.

Desfralde: O desfralde deve ser iniciado por volta dos dois anos e meio. Espera-se que por volta dos quatro anos a criança já tenha desfraldado, tanto da urina, quanto das fezes. Até por volta dos sete anos, os pais precisam ajudar ou ainda supervisionar os pequenos a fazer a higiene correta na hora de usar o banheiro, para evitar infecções, como a cistite, por exemplo. Crianças com quatro anos completos, que ainda não conseguiram desfraldar, devem ser avaliadas por um especialista. Isto vale tanto para a urina, quanto para as fezes.

Tarefas domésticas: Outra forma de incentivar a autonomia da criança é envolvê-la nas atividades da casa. Lavar a louça, regar as plantas, ajudar a colocar a mesa para o jantar, jogar a roupa suja no devido lugar, guardar os próprios brinquedos. Engajar a criança a participar da vida doméstica estimula a independência e contribui para que se sinta parte da família. Além disso, a participação nas tarefas domésticas ajuda no aprendizado do valor da responsabilidade, do trabalho em equipe, da colaboração e da importância da organização.


"Além da imitação, a criança também precisa de vários estímulos para desenvolver as habilidades necessárias para sua autonomia”, reforça especialista


Bem-Estar

Jovens revelam ter problemas de autoestima

Alguns dizem viver altos e baixos e outros comentam ter grandes dificuldades para se autoafirmar

Segundo a OMS - Organização Mundial da Saúde, o Brasil é o país mais ansioso da América Latina. Ou seja, atinge 5,8% dos habitantes. Nos últimos dez anos, o número de pessoas com depressão aumentou 18,4%, isso corresponde a 322 milhões de indivíduos, ou 4,4% da população da terra. Em meio a dificuldades diárias para se manter bem, o Nube - Núcleo Brasileiro de Estágios realizou uma pesquisa com o seguinte enfoque: "Como é sua autoestima?”. O resultado apontou jovens com bloqueios em manter o equilíbrio quanto ao amor próprio.

O estudo ocorreu com 49.673 jovens entre 15 e 28 anos. Os dados foram colhidos de participantes de todo o Brasil, entre 21 de janeiro e 1º de fevereiro de 2019. Uma parcela relevante exaltou problemas com o tema. Assim, 21,52% ou 10.689 disseram: "vivo altos e baixos”. Outros 3,25% (1.615) ressaltaram: "muito baixa, tenho até dificuldades por isso”. Para Lizandra Bastos, pedagoga e analista de treinamento do Nube, a faixa etária analisada passa por um período da vida, no qual ocorrem grandes mudanças físicas, psicológicas e sociais. Logo, é comum o sentimento de incerteza diante do novo.

"Todavia, a inconstância de emoções pode afetar a vida profissional e pessoal, pois esses picos influenciam a forma de ser e se posicionar diante das situações cotidianas”, enfatiza. Por isso, avaliar como anda a auto percepção também é relevante. "Às vezes, pela velocidade das transformações, não percebemos tais oscilações”, completa. Assim, quem enfrenta desafios com o assunto deve tentar algumas saídas. "Cinco itens auxiliam: se esforçar para ter pensamentos positivos; evitar conviver com quem o deixa mal; parar com as comparações, pois cada indivíduo é único; buscar o autoconhecimento e fazer atividades físicas regulares”, incentiva a especialista.

Na contramão, 53,78% (26.712) afirmaram: "sou bem tranquilo e não tenho embaraços”. Enquanto 21,45% (10.657) confirmaram: "eu me valorizo muito e não deixo ninguém me afetar”. Ou seja, 75% dos respondentes estão bem com a questão proposta. Isso é importante, pois a manutenção do brio pode ser a diferença entre estar ou não saudável. De acordo com Lizandra, há níveis variados de autoestima e quando ela fica muito baixa tende a causar transtornos prejudiciais à saúde. "Pessoas nessas condições sofrem para estabelecer e manter relacionamentos afetivos, se colocam em situações de risco eminente e têm dificuldades para se comprometer e desempenhar tarefas acadêmicas e profissionais”, assegura. Em casos mais sérios é fundamental procurar ajuda.

Afinal, todos têm inseguranças. Entretanto, uma das principais características, capazes de diferenciar os mais confiantes, é o fato deles conseguirem buscar forças em suas próprias qualidades para lidar com tais questões. "Indico não perder tempo lamentando os percalços. Somos únicos, especiais do nosso jeito e, certamente, temos muitos pontos positivos”, finaliza a analista.

A valorização é essencial. Se aceitar e ter uma boa autoimagem influenciará desde pequenas escolhas, até a decisões mais relevantes. Portanto, a dica é evitar excessos e prezar pela saúde mental!

Como cuidar dos cães no verão e evitar a hipertermia

Em dias quentes, é preciso redobrar a atenção para proteger e manter a saúde dos pets

Assim como nós, os cães também sofrem com os efeitos do calor excessivo no verão. O principal risco para eles é a hipertermia, que ocorre quando a temperatura corpórea passa dos 40ºC. Os sintomas, que normalmente podem parecer corriqueiros, são identificados por uma respiração ofegante, vômitos, diarreias, salivação abundante, tonturas e, em casos extremos, confusão mental, desmaios e convulsões.

"Além do calor excessivo, esse contratempo está relacionado também a exposição solar em altas temperaturas, excesso de exercícios físicos e a obesidade, sendo que é normal no verão os cães terem um comportamento menos ativo durante o dia”, explica o veterinário Jorge Morais, fundador da Animal Place. Donos de raças como Pug, Buldogues e Shih Tzu, provavelmente já se depararam com essa situação, que segundo o especialista, pode levar o bicho a uma parada cardíaca se não tomadas as precauções necessárias.

Ainda segundo o Dr. Morais, a tosa como medida de prevenção ao calor pode ser um risco, visto que os pelos protegem o pet tanto do frio quanto do calor. Os cães regulam sua temperatura através da língua, diferente dos humanos que possuem glândulas sudoríparas, e, em determinadas situações, a falta deles podem superaquecer o animal, gerar queimaduras solares dolorosas e aumentar o risco do câncer de pele. Cães de pelo curto, como labradores, rottweilers e pit bull, e os de pelo médio, como goldens, corgis e pastores, não devem ser tosados, pois esse procedimento prejudica o mecanismo natural de compensação térmica deles.

Outra dica é evitar passear com o animal nas horas mais quentes do dia, optando por locais arejados para que ele possa descansar e oferecer petiscos gelados para refrescar. Andar com água e vasilhame é também fundamental durante as caminhadas. "Caso perceba algum dos sintomas de hipertermia no seu pet, coloque sobre ele uma toalha molhada para que a temperatura corpórea diminua e o leve imediatamente ao veterinário”, finaliza Dr. Morais.