25 de Maio de 2022
20º/30º
Notícias - Brasil

INSS altera regras para análise e concessão de aposentadorias e outros benefícios; entenda

Instituto publicou instrução normativa e 10 portarias de apoio para conduzir trabalho de servidores; advogados destacam pontos positivos e negativos.

O Instituto Nacional do Seguro Social (INSS) publicou no final de março novas regulamentações para conduzir o trabalho dos servidores na análise dos requerimentos de benefícios, recursos e revisões. Trata-se de uma tentativa de diminuir a fila de espera de segurados por análise de seus pedidos e reconhecimento de seus direitos previdenciários.

De acordo com Paulo Bacelar, diretor do Instituto Brasileiro de Direito Previdenciário (IBDP), as normas são uma atualização da Instrução Normativa 77, de 2015, para reunir as inúmeras mudanças de leis e reformas na operacionalização dos benefícios no período.

A Instrução Normativa 128/22, publicada em 29 de março no Diário Oficial da União, inclui, em mais de 670 artigos, as regras para a análise minuciosa dos requerimentos. Além disso, foram publicadas 10 portarias complementares. Clique para ver o conteúdo de cada uma:

- Portaria 990 - CNIS
- Portaria 991 - dependentes
- Portaria 992 - manutenção de benefícios
- Portaria 993 - processo administrativo previdenciário
- Portaria 994 - acumulação de benefícios
- Portaria 995 - acordos internacionais no âmbito da área de benefício do INSS
- Portaria 996 - procedimentos e rotinas de recurso no âmbito da área de benefícios
- Portaria 997 - revisão de benefícios
- Portaria 998 - compensação previdenciária
- Portaria 999 - procedimentos e rotinas de reabilitação profissional

Entre as principais mudanças levantadas pelo IBDP nos normativos publicados estão:

Mudança no PPP

Mudança no formulário PPP (Perfil Profissiográfico Previdenciário), principal documento para conseguir aposentadoria especial, que exclui a exigência de monitoração biológica e carimbo com CNPJ e cargo de quem assinou o formulário, desde que tenha nome e CPF do responsável. Isso pode causar o retorno dos PPPs que já foram preenchidos para que sejam retificados.

União estável

Na questão da prova da união estável, antes eram exigidos dois documentos para comprovar a união no intervalo dos 24 meses anteriores ao óbito. Com a mudança, é permitida a apresentação de um documento apenas. Já a segunda prova poderá se dar por meio de justificação administrativa. Ou seja, uma prova é suficiente para que seja feito o procedimento de justificação administrativa que prova a união estável.

A justificação administrativa é um procedimento que tem a finalidade de suprir a falta ou insuficiência de documento ou fazer prova de fato ou circunstância perante o INSS.

Contribuinte individual

O segurado contribuinte individual terá direito à prorrogação do prazo para manutenção da qualidade de segurado por mais 12 meses (além dos 12 que já tem), caso consiga comprovar a situação de desemprego ou impossibilidade de atuar como autônomo.

É o chamado "período de graça", no qual os segurados podem ficar sem contribuir para a Previdência sem perder o direito aos benefícios do INSS.

Benefício entra na contagem

O período usufruído durante a concessão do benefício por incapacidade previdenciário (auxílio-doença ou aposentadoria por invalidez) será contado como tempo de contribuição, caso seja intercalado com períodos de atividade ou contribuições.

De acordo com o IBDP, esse entendimento é mais favorável que o da Justiça, que só aceita período intercalado se for atividade remunerada.

Contagem do auxílio-doença para aposentadoria

O período de afastamento durante o recebimento do auxílio por incapacidade temporária (antigo auxílio-doença) pelo segurado que exercia atividade com exposição a agentes nocivos (atividade especial) não será considerado como tempo especial até 30/06/2020. Isso pode dificultar a obtenção da aposentadoria especial.

De acordo com o IBDP, a decisão contraria o Tema 998, firmado pelo Superior Tribunal de Justiça (STJ), que reconhece esse período como especial.

Manutenção da qualidade de segurado

O prazo de 12 meses de manutenção de qualidade de segurado só será acrescido de mais 12 meses se o segurado tiver mais de 120 contribuições (10 anos). Mas se perder a qualidade de segurado, só tem direito a esse prazo de 12 meses a mais se completar mais de 120 meses (10 anos) de contribuição novamente.

Herdeiros privados de melhorar benefício

Os herdeiros não poderão exercer atos de cunho pessoal do falecido, ou seja, não terão direito a mexer em qualquer pedido ao INSS do segurado que morreu.

Isso vale para requerimentos em fase de recurso como desistência de benefício para obter outro mais vantajoso, além de complementação de contribuições ou reafirmação de Data de Entrada do Requerimento (DER) para também conseguir o melhor benefício.
G1
+ VEJA TAMBEM

Assassinatos no Brasil têm queda nos primeiros três meses de 2022

País teve 10,2 mil mortes violentas no primeiro trimestre do ano, contra 10,8 mil no mesmo período do ano passado. Queda segue tendência de 2021, quando país registrou baixa de 7% no número de mortes violentas intencionais.

Doria anuncia desistência de disputar eleições presidenciais

Ex-governador de São Paulo enfrentou nos últimos meses resistência interna no PSDB e de partidos aliados da terceira via. 'Para as eleições deste ano me retiro da disputa com o coração ferido, mas com a alma leve', disse Doria em pronunciamento.

Enem 2022: prazo de inscrição termina neste sábado; saiba como se inscrever

Versões impressa e digital serão aplicadas em 13 e 20 de novembro. Taxa é de R$ 85 e pode ser paga via boleto, cartão de crédito ou PIX. Quem obteve isenção da taxa também precisa se inscrever

Autoescola pode deixar de ser obrigatória para tirar a CNH

O projeto de lei está em análise no senado

Jovem que descobriu novo asteroide vai fazer curso da Nasa e pode se tornar 1ª mulher brasileira no espaço

O início da 'jornada nas estrelas' será no dia 24 de maio. Em agosto do ano passado, Laysa Peixoto Sena Lage descobriu um asteroide analisando imagens do computador de casa.

Bebê cai de cabeça após parto, leva 11 pontos e mãe aponta negligência do hospital em MG

"Entre o estouro da bolsa e ela nascer, foi um minuto. E aí, bateu no chão. É uma cena que nunca vou esquecer", disse a mãe da criança.

- Veja a lista completa