03 de Março de 2021
20º/30º
Notícias - Brasil

SP deve anunciar fim de restrição para comércio à noite e no fim de semana

Anúncio será feito nesta quarta-feira

O governador de São Paulo, João Doria (PSDB), pretende anunciar nesta quarta-feira (3) a suspensão da determinação que colocou todo o estado na fase vermelha do Plano São Paulo nas noites e nos fins de semana. A medida pode passar a valer já no próximo fim de semana.

Segundo ele, a decisão será oficializada se os índices de internação e mortes por Covid-19 permanecerem estabilizados no estado.

"Com duas semanas consecutivas de retração no número de internações e, caso esse cenário se mantenha em queda, na próxima quarta-feira, vamos anunciar medidas de suspensão das medidas impostas pelo Plano São Paulo relativas aos horários de funcionamento do comércio, dos shoppings, bares e restaurantes, inclusive aos fins de semana", declarou Doria em coletiva de imprensa nesta segunda-feira (1º).

As "medidas complementares" do plano de flexibilização da quarentena passaram a valer em 25 de janeiro e tinham previsão de se estender até 8 de fevereiro, com a proibição da abertura de espaços considerados não essenciais após as 20h e nos sábados e domingos, o que inclui lojas, parques, espaços culturais e restaurantes, entre outros.

Os índices positivos que Doria destacou são as hospitalizações e os óbitos por Covid-19, que tiveram queda nas últimas duas semanas, mas seguem superiores aos registrados entre setembro e dezembro de 2020.

No caso de internações, por exemplo, a média foi de 1.545 por dia na última semana, taxa que foi de 1.685 na semana anterior, de 1.747 na segunda semana de janeiro e de 1.565 na primeira semana epidemiológica do mês. Ela é semelhante aos registros de agosto.

"Conseguimos regredir - pela segunda semana consecutiva - as taxas de ocupação, inicialmente em 4%, na terceira semana, e em 8%, na quarta semana", destacou o secretário estadual da Saúde, Jean Gorinchteyn. "Se nós não tivéssemos agido da maneira que foi feita, o sistema de saúde do estado teria, infelizmente, colapsado."

No caso dos óbitos, a média diária foi de 219 novos registros, semelhante à da semana anterior, que foi de 220. Na primeira e na segunda semana de janeiro, essa média foi de 227 e 220 mortes, respectivamente. Assim como nas internações, esses registros são superiores aos dos últimos quatro meses de 2020, assemelhando-se à média de agosto.

Ao contrário dos índices de internação e óbitos, houve um aumento no registro de novos casos na última semana, com uma média diária de 11.238, a segunda maior já registrada em toda a pandemia e 5% superior à da semana anterior, com média de 10.677.

"Isso faz com que nós tenhamos essa vigilância, essa austeridade, no registro e segmento desses dados", destacou o secretário.

Ao todo, o estado tem 1.779.722 casos e 53.090 óbitos pela Covid-19 confirmados. A taxa de ocupação de UTI é de 68,5%, média que é de 67,9% na Grande São Paulo. Há um total de 5.872 internados na UTI e 6.884 em leitos de enfermaria com suspeita ou confirmação da doença.

Questionado por um jornalista, Doria negou que a mudança nas restrições após uma semana confunda a população.

"Ao contrário, dá a capacidade de compreensão e atenção ao movimento do coronavírus. O pior dos mundos é a burocracia, fixar prazos e seguir prazos diante de uma circunstância que pode piorar ou melhorar", afirmou. "Não há porque penalizar qualquer setor, seja comércio, restaurantes, bares, setor de cultura, se não há necessidade para isso."

Na sexta-feira (5), o governo também anunciará a reclassificação das regiões do Plano São Paulo. Hoje, todas estão nas fases laranja e vermelha, as de maiores restrições.

divulgação

CNN
+ VEJA TAMBEM