25 de Novembro de 2020
20º/30º
ENTRETENIMENTO » COLUNISTAS

Água: qual a minha responsabilidade?

COLUNISTA - Thiago Hernandes

Que a água é um bem essencial à vida, todos sabemos. Entretanto, será que efetivamente sabemos usá-la com responsabilidade?

Segundo a Organização Mundial da Saúde – OMS/ONU, cada pessoa precisa em média de ao menos 200 litros de água diariamente para suprir suas demandas básicas – higienização pessoal, limpeza de ambiente, dessedentação e preparo de alimento. Vale ressaltar que este número é apenas um ponto de referência, sendo que o mesmo varia conforme padrões culturais, características climáticas, perfil econômico e afins.

Entretanto, um volume muito maior de água é por nós consumidos em uma modalidade chamada de água virtual ou invisível, ou seja, todo montante de água usada para produção de todos os itens que juntos integram nosso cotidiano de consumo – cultivo/criação de alimentos, vestimentas, construção civil, processos industriais em geral dentre outros.

Contextualizado o tema água ao nosso cotidiano local, é sabido e sentido por todos que o ano de 2020 vem sendo marcado por eventos atípicos, tais como a ocorrência de temperaturas acima das médias, longos períodos de estiagens e chuvas mal distribuídas.

Neste cenário, como forma de enfrentamento aos efeitos destas ondas de calor extremo, muitas pessoas acabam por razões variadas fazendo um uso maior de água.

E é exatamente neste ponto que os desafios emergem, visto que, para atender toda esta demanda, inúmeros desafios surgem, e vários fatores precisam ser considerados, dos quais citam-se:

- A água é um elemento natural renovável, mas cujo volume permanece o mesmo desde os primórdios;
- A demanda coletiva e individual cresce anualmente;
- A maior parte da água do mundo é salgada, e da água doce existente, sua concentração majoritária está nas geleiras;
- O volume de água limpa vem anualmente diminuindo em várias partes do mundo em razão do uso inadequado, poluição e assoreamentos;
- O processo de captação, tratamento e distribuição, bem como a coleta e destinação adequada do esgoto requerem uma cara e complexa tecnologia/logística;

Deste modo, cabe a pergunta: ante a tudo isso, o que posso fazer para contribuir positivamente à esta situação? As formas individuais e coletivas de colaboração são muitas, as quais citam-se:

- Redução do tempo do banho;
- Fechar a torneira ao lavar louça, escovar os dentes e se barbear;
- Não desperdiçar alimentos;
- Reutilizar água da máquina para lavagens de quintais;
- Não lavar veículos com muita frequência, e se fizer, buscar usar baldes;
- Não usar água da mangueira como "vassoura";
- Cobrar das autoridades competentes uma gestão eficaz/responsável;

Enfim, a vida em sociedade requer envolvimento, preparo, atitude e conhecimento. Assim, se cada um der sua cota de colaboração, certamente atravessaremos este período sem maiores sequelas e, sobretudo, mais fortes e unidos para superar outras demandas que nos envolve enquanto sociedade.
Divulgação
Prof. Me. Thiago Hernandes
graduado e mestre em geografia, professor de ensino médio e ensino superior. Dono do canal no youtube, GEOEXPLICA
+ VEJA TAMBÉM