24 de Outubro de 2020
20º/30º
ENTRETENIMENTO » COLUNISTAS

Assis: uma das melhores cidades de SP para se viver. E que continue assim

Colunista Arildo Almeida

No ano passado, uma pesquisa do Pnud – órgão das Nações Unidas –, em parceria com o Ipea (Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada) e a Fundação João Pinheiro, revelou que Assis é uma das 25 melhores cidades para se viver no estado de São Paulo. Na verdade, Assis ocupa a 16ª posição do ranking estadual, segundo o IDHM (Índice de Desenvolvimento Humano Municipal). Em agosto deste ano, o Instituto Sou da Paz divulgou os números de seu Índice de Exposição a Crimes Violentos (IECV) – estudo que mostra as 139 cidades com mais de 50 mil habitantes menos e mais violentas do estado de São Paulo – e Assis é a 34ª cidade MENOS violenta; em 2018, ocupava a posição de número 69. Atrás de nós, estão Ourinhos, Marília e Bauru.

O IDHM de cada cidade vai de 0 a 1 (quanto mais próximo de 1, maior o desenvolvimento humano), seguindo as mesmas três dimensões do IDH Global, mas vai além: usa a metodologia mundial (áreas de educação, renda e expectativa de vida), adequada ao contexto nacional, avaliando o desenvolvimento de cada cidade. O IDHM final de Assis é 0,805, enquanto a média do Brasil é 0,727. Para chegar a esse número, o Índice mede três das mais importantes dimensões do desenvolvimento humano: oportunidade de uma vida longa e saudável, de ter acesso ao conhecimento e ter um padrão de vida que garanta as necessidades básicas. O quesito vida longa e saudável se refere a expectativa de vida de cada pessoa, segundo o IBGE; no caso, esse número chegou a 0,865, ou seja, a expectativa de vida do assisense é de 76,9 anos. O padrão de vida é medido pela renda municipal per capita, que é a renda média de cada residente do município. Em Assis, a renda de cada cidadão é 0,771. Educação alcançou o número de 0,781. Já o IECV anualmente analisa os crimes contra a vida (taxas de homicídio e de latrocínio), crimes contra a dignidade sexual (casos de estupro) e contra o patrimônio (taxas de roubo, roubo de cargas e de veículos).

Esses números mostram que Assis é uma ótima cidade para se viver. E o que faz uma cidade ser melhor para se viver? Certamente, não é só o tamanho do PIB ou renda per capita. Morar numa cidade que ofereça serviços básicos de qualidade (saúde, educação e saneamento básico) impacta diretamente na vida dos cidadãos. Assis tem avançado nessas áreas. Nossa cidade tem mais de 40 escolas públicas, que atendem desde bebês até os adolescentes que cursam o Ensino Médio, mais escolas profissionalizantes, educação para jovens e adultos e escolas em penitenciárias, além das instituições de ensino superior que oferecem cursos nas mais diversas áreas. Na saúde não é diferente, já que tem serviços de emergência, preventivos e de tratamentos em todas as regiões da cidade e, cada vez mais, tem ampliado o atendimento público de saúde. Outros fatores ajudam a fazer a diferença na qualidade de vida do cidadão, como opções de lazer em espaços públicos, esporte e cultura.

Quero que Assis avance ainda mais nos diversos setores do município. Estamos no período eleitoral. É hora de refletir do que é melhor para a nossa cidade e para quem vive nela. Eu amo Assis, amo morar em Assis e quero alguém que ame e cuide da minha cidade. Eu quero que Assis continue sendo uma das melhores cidades do estado de São Paulo para se viver. Eu quero que Assis se torne uma das melhores cidades do Brasil para se viver.

Bom dia, Assis!!!

*Colaborou Andreia Alevato
Divulgação
Arildo Almeida
Arildo Almeida é arquiteto formado pela Universidade de Taubaté (UNITAU) e o atual presidente da Fundação Educacional do Município de Assis (FEMA).
+ VEJA TAMBÉM