08 de Agosto de 2020
20º/30º
ENTRETENIMENTO » COLUNISTAS

Lições da pandemia

Colunista - Arildo Almeida

Desde que chegou em terras brasileiras, a covid-19 já nos mostrou muitas coisas: novos modelos de trabalho e de estudo, novos hábitos e velhos valores que se tornaram novos. Se tem uma coisa que a pandemia vai nos deixar, quando ela nos deixar, são lições.

Março de 2020 foi um divisor de águas em nossas vidas. Com a chegada do coronavírus e todas as imposições trazidas por ele, nós aprendemos a valorizar mais a presença de família e amigos, a cuidar da nossa saúde física e mental, a cuidar mais da higiene pessoal, que é possível fazer home office e que devemos nos preocupar mais uns com os outros. Sim, tudo isso estava tão próximo de nós que quase que passava despercebido. Quem nunca pensou em arrumar o guarda-roupa e levar as coisas que não usa mais para quem precisa, mas deixou pra depois? Com a covid-19 nos rondando, sempre estamos pensando em como podemos ajudar o vizinho, o amigo ou a pessoa que não conhecemos, mas sabemos que precisa de ajuda nesse momento tão delicado. Diante das dificuldades, aprendemos a ser mais solidários e gentis, e descobrimos jeitos diferentes e criativos para formar uma grande rede de solidariedade. Lógico que os oportunistas aparecem e muita gente tenta tirar vantagem do momento. Mas o lado bom é muito maior que o mau. A maioria das pessoas pensou em alternativas para ajudar os que foram mais afetados. Os atos são individuais, em grupos ou em parcerias com entidades e órgãos, mas todas elas mostram que conseguimos nos identificar com as aflições do outro.

As ações variam entre doação material e de tempo. Tem gente que se propôs a fazer o mercado ou ir até a farmácia para quem é dos grupos de risco; outros doaram máscaras, kits de higiene, alimentos e roupas. A FEMA também fez parte dessa grande rede de solidariedade, sempre pensando no ser humano. Sem interromper seus trabalhos – os internos continuaram no home office, assim como as aulas no formato online – a Fundação realizou, também na linha virtual, o FEMA Cidadania: Edição Especial Enfrentamento ao Coronavírus, com 11 lives e um drive thru. Nas lives, professores de todos os cursos da instituição compartilharam temas de assuntos diversos com a comunidade. O Drive Thru Solidário arrecadou mais de 500 kg de alimentos, cestas básicas, roupas, cobertores e produtos de higiene pessoal e de limpeza em geral, tudo encaminhado ao Fundo Social de Solidariedade de Assis, que destinou para dezenas de famílias. E sabendo que uma parcela de seus alunos também passam pro dificuldades financeiras, a FEMA autorizou o parcelamento das mensalidades do primeiro semestre de 2020, sem juros ou multas, para que, assim, todos possam continuar suas jornadas e seus estudos.

As ações da FEMA, de outras entidades e empresas, ou individuais e pessoais fazem com que esse isolamento passe de forma mais suave para todos nós. Os trabalhos sociais com mais afinco e frequência devem virar hábito pós-pandemia, porque a covid-19 nos mostrou é que o brasileiro, apesar dos pesares, sabe enxergar e se movimentar para ajudar o próximo. E a maior lição que ele nos deixará é que momentos de grande estresse coletivo desencadeiam experiências altruístas e amorosas; e que a solidariedade é a principal arma contra a pandemia.


Bom dia, Assis!!!

*Colaborou Andreia Alevato

Divulgação
Arildo Almeida
Arildo Almeida é arquiteto formado pela Universidade de Taubaté (UNITAU) e o atual presidente da Fundação Educacional do Município de Assis (FEMA).
+ VEJA TAMBÉM