07 de Maio de 2021
20º/30º
Entretenimento - Colunistas

Obesidade e Saúde Bucal: riscos e desafios

Classificada como a doença epidêmica global do século 21, a obesidade é responsável pelo aparecimento, desenvolvimento e agravamento de doenças bastante sérias, como diabetes mellitus tipo 2, hipertensão arterial, dislipidemia, arteriosclerose, artrite, síndrome de apneia do sono, refluxo gastresofágico, infertilidade e incontinência urinária, disfunções endócrinas, disfunção da vesícula biliar, problemas pulmonares, alguns tipos de câncer, falta de habilidade para atividades diária, problemas psicossociais e econômicos.

De acordo com a Organização Mundial de Saúde (OMS), a obesidade é uma doença epidêmica, que apresenta alto índice na população infantil e suas implicações na saúde integral das pessoas por ela acometidas. A obesidade no Brasil ocupa a 77ª posição da obesidade mundial, sendo que a obesidade cresceu mais de quatro vezes entre os homens nos últimos 35 anos, de 2,8% migrou para 12,4% e mais de duas vezes entre as mulheres, de 8% para 16,9% .

O que pouca gente sabe é que diversos estudos já associam o excesso de peso ao surgimento de problemas bucais, como a periodontite, inflamação nas gengivas, ossos e ligamentos que dão sustentação aos dentes, erosão dentária relacionada ao refluxo gastresofágico, cárie dentária e xerostomia, falta de saliva que causa mau hálito.

Os indivíduos que buscam tratamento cirúrgico para a obesidade mórbida, como as cirurgias bariátricas ou até mesmo dietas controladas, apresentam tendência a perdas dentárias, precisando recorrer ao profissional para fazer uma reabilitação oral para o restabelecimento das funções estéticas, fonéticas e funcionais.

É importante que os profissionais da saúde estejam atualizados quanto aos problemas bucais que acometem os pacientes obesos e bariátricos, uma vez que esses pacientes podem apresentar problemas específicos e/ou mais graves nas condições bucais. Portanto, na primeira consulta deve ser realizado um histórico de saúde completo dos pacientes, examinar os problemas que indiquem as causas da obesidade e encaminhar o paciente a um médico para avaliação. Os dentistas devem também avaliar o estado da saúde bucal do paciente e propor um tratamento baseado no diagnóstico.

É preciso enfatizar a importância de reduzir a presença da placa bacteriana e a inflamação que ela provoca acima e abaixo da linha da gengiva. Além disso, é essencial reforçar os cuidados a serem tomados em casa e incentivar o paciente a usar regulamente o fio dental e a escovar os dentes pelo menos três vezes ao dia com um creme dental que ofereça proteção antibacteriana, principalmente após as refeições.
Patricia Sartori
É cirurgiã dentista formada na Faculdade de Odontologia de Bauru - USP. Atende na Clínica que fica na Rua: Avenida 9 de Julho, 1129 - Assis/SP. Tel:. (18) 3324 6090 // Vivo: 99701 8491
+ VEJA TAMBEM