01 de Dezembro de 2022
20º/30º
Entretenimento - Colunistas

Posso lhe dar um toque?

Olá!

Na coluna desta semana, resolvi usar uma gíria para chamar sua atenção.

Dar um toque, na linguagem popular, significa simplesmente avisar, lembrar, alertar.

O mês de outubro começou anteontem. Em todo mundo, é um período dedicado à conscientização contra uma doença séria que deve acometer mais de 66 mil mulheres brasileiras em 2022: o câncer de mama.

A cor rosa é símbolo da campanha Outubro Rosa, e começou a ser utilizada nos Estados Unidos, nos anos 1990, pela Fundação Susan G. Komen for the Cure, para demonstrar o cuidado e as informações que todos devemos ter.

Conscientização que vai além de usar lencinhos, roupas ou acessórios na cor. É mais do que campanhas publicitárias. É falar de prevenção.

Os sintomas do câncer de mama são variados e podem incluir nódulo palpável endurecido no seio (associado ou não à dor), nódulo palpável na axila (linfonodo), alterações na pele da mama (pele em "casca de laranja") e saída de secreção pelo mamilo.

Divulgação - Magali Nascimento - Podóloga
Magali Nascimento - Podóloga


O INCA, (Instituto Nacional do Câncer), afirma que são fatores de risco:

Obesidade e sobrepeso, após a menopausa

Atividade física insuficiente (menos de 150 minutos de atividade física moderada por semana)

Consumo de bebida alcoólica

Exposição frequente a radiações ionizantes (Raios-X, tomografia computadorizada, mamografia etc.)

História de tratamento prévio com radioterapia no tórax

Primeira menstruação (menarca) antes de 12 anos

Não ter filhos

Primeira gravidez após os 30 anos

Parar de menstruar (menopausa) após os 55 anos

Uso de contraceptivos hormonais (estrogênio-progesterona)

Ter feito terapia de reposição hormonal (estrogênio-progesterona), principalmente por mais de cinco anos

Histórico familiar de câncer de ovário; de câncer de mama em mulheres, principalmente antes dos 50 anos; e casos em homens (a incidência no sexomasculino é rara,mas pode ocorre)

Alterações genética, especialmente nos genes BRCA1 e BRCA2.

O auto-exame das mamas, consultas anuais com médico mastologista e exames de mamografia, anuais, para todas as mulheres acima dos 40 anos de idade, são as principais formas de prevenção.

O diagnóstico precoce do câncer de mama ainda é a maior arma na cura da doença. A correria da vida moderna não pode ser uma justificativa para a falta de cuidados próprios.

Você, leitora, precisa ter atenção a estas informações. Você, leitor, precisa ajudar a repassar, e também deve se cuidar. Vergonha ou preconceito precisam ser deixados de lado.

Um toque simples, que pode salvar sua vida. É este o toque que quero lhe dar.

Toque-se. Faça o auto-exame.

Beijos!
COLUNISTA - Magali Nascimento
Magali Nascimento
Podóloga há 10 anos. Técnica em Podologia, pelo SENAC Marília, graduanda em Tecnologia em Podologia pela Unicesumar. Certificada e especialista em knesiopodo, correção de unhas, onicomicose, laser aplicado à Podologia, ácidos e peeling e tratamento de pés diabéticos,
+ VEJA TAMBEM