17 de Agosto de 2022
20º/30º
Entretenimento - Colunistas

Você tem fome de que?

Colunista - Cláudia Bueno

Eu costumo ter fome emocional. Você já ouviu falar? Antigamente difícil de dizer, difícil de perceber, mas hoje muito relatado e estudado em várias áreas da saúde, e que pode nos prejudicar em algumas áreas da nossa vida.

A fome emocional, aqui compartilhada com vocês, é aquela fome insaciável de um vazio, não de um alimento específico, mas de qualquer um, um vazio literalmente por dentro, onde alimento nenhum sacia, e abrimos diversas vezes a geladeira, ou armários para suprir essa necessidade, ela advém de crises de insônia, estresse ou ansiedade, sendo por ocasiões específicas ou simplesmente pelo "nada a fazer".

Por que estou falando com vocês sobre isso? Além de sofrer desse "mal", quero compartilhar com vocês o quanto o exercício físico pode nos ajudar com esta situação que afeta milhares de pessoas no mundo todo.

Meu papel aqui é compartilhar os benefícios do exercício físico nesta fome específica, já que não sou nutricionista e não entrarei neste mérito alimentar, nem psicóloga, para focar no âmbito psicológico, aqui, quero compartilhar o diferencial do exercício, lembrando que é imprescindível procurar ajudar profissional em qualquer momento que você esteja passando, ele sim, será capaz de te ajudar, neste texto só quero dividir alguns insights que o ajudarão no dia a dia.

O exercício físico para combater o estresse, a ansiedade, a pressão do trabalho ou dos relacionamentos, o cansaço, o desânimo ou aquela tristeza da perda de alguém querido, ele atua no nosso cérebro, melhorando diretamente nosso sono, nossa estética, nossa disposição, nosso convívio social e especialmente nosso humor e autoconfiança.

Divulgação - Cláudia Bueno - educadora física - Foto: Divulgação
Cláudia Bueno - educadora física - Foto: Divulgação


Tão importante quanto praticar algum exercício é você também procurar perceber de onde vem os gatilhos que fazem despertar a fome emocional, e ao detectar tais gatilhos, agir com clareza e consciência contra eles, uma dica importante é colocar o exercício físico neste momento, para que as crises diminuam e você sofra desse mal com menor frequência, e ao tentar preencher esse vazio, você coloque o exercício no lugar da comida.

Assumir nossas fraquezas, nos enxergar com mais amor e paciência, realizar mudanças de hábitos ou criar um novo hábito requer muita coragem, então, como todo domingo, desejo que você tenha muita coragem para realizar o que deseja, e realizando que você tenha muita força para continuar, e tenho certeza que realizando jamais irá largar o exercício físico. Amanhã é segunda-feira: coragem e força para você!!!
Divulgação
Cláudia Bueno
Cláudia Bueno, Educadora Física - CREF/PR: 017404
+ VEJA TAMBEM