04 de Julho de 2022
20º/30º
Notícias - Local

Frio mais intenso deve perder força ao longo desta semana, afirmam meteorologistas

De acordo com o Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet), aos poucos essa massa começa a se dissipar

A massa de ar frio que atingiu o Brasil nesta semana ainda deixará as temperaturas em baixa, especialmente, nas regiões Sul e Sudeste do país neste fim de semana.

De acordo com o Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet), aos poucos essa massa começa a se dissipar, principalmente na porção centro-norte.

Olívio Bahia, meteorologista do Inmet, aponta que o frio mais intenso deve perder força ao longo da próxima semana, mas as madrugadas e manhãs geladas devem permanecer no centro-sul do país.

"É bem típico dessa época do ano [outono>. O Sol sai, dá aquela ligeira aquecidinha", explicou. As máximas devem chegar a 22ºC mais ao Sul. "As localidades que ficam com temperatura quente é parte do Centro-Oeste, Norte, Nordeste, que também é normal ficar ali na casa acima de 30ºC", pontuou.

A umidade também ficará baixa nas regiões mais frias. "Até o meio de semana, sem condição para chuva no centro-sul, pelo menos até quarta ou quinta-feira, então fica seco em parte do Brasil. A chuva fica concentrada mais no extremo norte do país, na faixa norte do Amazonas, do Pará, Amapá, Roraima, parte do Nordeste também, e no restante da área esse tempo seco, com umidade abaixo dos 30%", destacou Bahia.

O meteorologista explica que o outono é um período de transição, em que se espera temperaturas frias, o que faz com a chegada da massa de ar frio não seja atípica, mas incomum.

"Periodicamente, em algum momento, você tem uma entrada de ar frio, como foi o caso agora, parece que a estação fria mesmo começou mais cedo, o que a gente chama de variabilidade anual", esclareceu. No Distrito Federal, por exemplo, foi registrada a temperatura de 1,4ºC, a mais baixa desde 1977.

Bahia acrescenta que não é possível afirmar que o inverno deste ano será mais rigoroso, mas é certo que houve uma antecipação de temperaturas normalmente observadas a partir de junho. "O frio é mais para frente, mas ele parece que já veio para ficar, já chegou com força". Ele aponta que "a expectativa é que tenha periodicamente essas massas de ar frio entrando, de moderada a forte, até o final do inverno".

Entre os cuidados necessários neste período, o meteorologista do Inmet destaca a prevenção de queimadas, tendo em vista a antecipação do período seco, a atenção às doenças respiratórias e o acolhimento da população de rua. "Daqui até o final do inverno, as noites vão ser um pouco mais ou um pouco menos, mas sempre agressivas, principalmente para quem está em situação de rua", afirmou. Duas pessoas morreram na cidade de São Paulo nas noites mais frias desta semana.

Mais uma onda de frio para o outono?


De acordo com o Climatempo, essa ainda é uma previsão muito estendida, mas os modelos meteorológicos indicam que, em meados de junho, há previsão para a chegada de uma nova massa de ar polar, que resulta em uma onda de frio tão intensa quanto a observada nos últimos dias.
Agência Brasil
+ VEJA TAMBEM