06 de Agosto de 2020
20º/30º
NOTÍCIAS » REGIÃO

Apesar de rajadas de vento de 60 km/h na região de Assis, ciclone não atinge interior, explica meteorologista

Uma frente fria chegou à cidade nesta quarta-feira, e poderá provocar geadas nos próximos dias nas áreas mais baixas

Na noite desta terça-feira, 30 de junho, foram registrados ventos fortes com rajadas superiores à 60 km/h na região de Assis.

De acordo com Daniel Panobianco, que tem uma empresa especializada em meteorologia, os ventos fortes estavam atrelados ao Jato de Baixos Níveis (JBN), fluxo de ar quente que parte do interior da Amazônia.

"Já o ciclone extratropical, que se formou no Atlântico, na altura do litoral gaúcho, não afetou o interior de São Paulo. A instabilidade que passou por nós foi um cavado, que é uma região de baixa pressão atmosférica”, explica.

Daniel considera que nesta quarta-feira, 1º de junho, deve ocorrer a entrada de uma frente fria, mas que não deve trazer chuva e somente a queda acentuada de temperatura.

rede social - Os ventos fortes causaram quedas de árvores em Maracaí
Os ventos fortes causaram quedas de árvores em Maracaí


"Pode gear nas áreas de baixada da região de Assis nas madrugadas de quinta, sexta e sábado; na próxima semana, entre segunda e terça, teremos um cenário desenhado bem parecido com o desta terça-feira, intensas rajadas de vento secas (ventania), oriundas do JBN e logo após, a passagem de outra frente fria”, adianta.

Daniel, que explica ainda que há diferença entre ventania, de tempo seco, estável e vendaval, que acompanha chuva, trovoadas, granizo, em áreas com tempo instável.

"Então, o vento máximo desta terça-feira provocou ventania, pois estávamos com tempo seco. Já à noite, com a chegada da chuva, tivemos vendaval”, explicou.

O forte vendaval causou a queda de diversas árvores em Maracaí, que causaram danos materiais, sem atingir pessoas.

Redação AssisCity
+ VEJA TAMBÉM