06 de Outubro de 2022
20º/30º
Notícias - Região

Atleta Assisense é diagnosticado com doença de pele inflamatória aos 36 anos

"Por um estresse emocional, do dia pra noite placas profundas se espalharam pelo meu corpo", diz Camilo

Camilo de Sousa Vieira de 36 anos, morador de Assis e atleta profissional de futebol, descobriu recentemente uma doença que fez com que sua vida desse uma reviravolta e agora precisa de ajuda para manter tratamento.

Camilo de Sousa Vieira de 36 anos, morador de Assis e atleta profissional de futebol, descobriu recentemente uma doença chamada 'psoríase gutada'. E isso fez com que sua vida mudasse da noite para o dia.
O atleta foi diagnostico em maio deste ano, quando estava passando uma temporada em Juazeiro do Norte, no Ceará, onde fazia parte de um clube de futebol. Em entrevista ao Portal AssisCity, Camilo conta que a doença se manifestou em todo seu corpo, de forma grave surgindo placas e lesões bem profundas.

Divulgação - Lesões nas mãos de Camilo - Fotos cedidas pelo atleta
Lesões nas mãos de Camilo - Fotos cedidas pelo atleta


"Por um estresse emocional, do dia pra noite a doença se espalhou no corpo inteiro, do alto da cabeça até a planta dos meus pés", diz.

Divulgação - Camilo de Sousa Vieira de 36 anos, morador de Assis e atleta profissional de futebol - Foto: Divulgação
Camilo de Sousa Vieira de 36 anos, morador de Assis e atleta profissional de futebol - Foto: Divulgação


A Psoríase Gutata é uma doença inflamatória crônica e não contagiosa da pele. Sua principal característica é o aparecimento de leões avermelhadas e que descamam em algumas regiões extremas do corpo, como: cotovelos, joelhos e couro cabeludo. Seus sintomas surgem e ressurgem de tempos e tempos. Também pode ser desencadeada por fatores psicológicos e por estresse, como o caso de Camilo. Desta forma, os sintomas da psoríase podem impactar negativamente na qualidade de vida dos pacientes.

Divulgação - Leões avermelhadas que descamaram em algumas regiões - Fotos cedidas pelo atleta
Leões avermelhadas que descamaram em algumas regiões - Fotos cedidas pelo atleta



Sobre Camilo

Camilo é atleta há 20 anos e já passou por diversos clubes como, Grêmio Barueri, Sport Club do recife, Ponte Preta, Caldense e Mogi mirim. Ele também já jogou pelo Assisense. O atleta é casado e tem dois filhos. Ele conta que quando foi diagnosticado, estava longe de sua família e que foi uma das piores sensações de sua vida.

"Sempre fui muito saudável e a primeira vez que tive alguma coisa, me impossibilitou completamente de fazer aquilo que eu gostava e de dar o meu melhor no clube em que pertencia", comenta. Ele também reforça que foi muito bem tratado e acolhido pelo clube no Ceará tendo todo apoio necessário.

Divulgação - Região das coxas e pernas - Fotos cedidas por Camilo
Região das coxas e pernas - Fotos cedidas por Camilo


Ainda no Ceará, no ápice da doença, Camilo contou como conversava com a família e tentava passar que estava tudo bem. "Durante o dia não falava com minha família em chamada vídeo, pois meu rosto estava cheio de placas e muito inchado" comenta.

Só quando Camilo voltou para Assis que a família e ele mesmo teve a consciência de que a doença havia tomado conta de sua vida, mas que isso nunca o impediu de desistir.

Divulgação - Região dos pés - Fotos cedidas pelo atleta
Região dos pés - Fotos cedidas pelo atleta


"Minha esposa sofreu junto comigo, mas sempre me apoiou e incentivou. Sempre buscando a Deus e esperando o melhor dele. Meu filho mais novo quando me vê cuidando da pele, passando os cremes e medicamentos quer ajudar e passar, o meu mais velho sempre auxiliando. Minha família é uma benção", diz.

Divulgação - Camilo com sua esposa e seus dois filhos antes do diagnostico - Foto: Divulgação
Camilo com sua esposa e seus dois filhos antes do diagnostico - Foto: Divulgação


Camilo tem uma escolinha de futebol em Assis, com treinamentos específicos e melhora de performance para crianças, jovens e adultos de até 54 anos, das mais variadas posições, como goleiro e atacante. Porém, por conta da doença, além de ficar impossibilitado de praticar esporte, Camilo também não consegue dar mais os treinos. Segundo ele, o trabalho na escolinha não parou e segue com profissionais presentes que o ajudam manter o local aberto.

Tratamento

O atleta está em tratamento há exatamente três meses e contou na entrevista que o custo além de ser muito alto é semanal, fazendo com que ele tenha que investir cerca de R$ 1000 por semana.

Camilo depende de medicamentos, cremes, pomadas e sabonetes apropriados para sua pele. O atleta postou um vídeo pedindo ajuda, pois não tem condições necessárias para arcar com o tratamento.

O vídeo tem ganhado repercussão na cidade e na região e ele disse que está recebendo algumas ajudas e com isso tem contribuído grandemente para sua melhora.

"Tenho conseguido meios para comprar os medicamentos, e estou me recuperando melhor. Não tenho palavras para agradecer o que a população, amigos e familiares têm feito para me ajudar", agradece.

Camilo ainda citou a Secretaria de Saúde de Assis e sua médica Carla, que tem dado apoio e ajuda a ele nesse momento tão difícil. "Tenho aprendido muito nesses momentos, Deus está no controle e tem preparado tudo pra mim, levantando pessoas para me ajudar e abençoar. Agradeço muito a todos", diz.

Mesmo com tamanha dificuldade e ele ainda não poder fazer o que tanto ama, Camilo demonstra confiança e acima de tudo muita fé e força de vontade.

"Não é fácil se ver debilitado, mas quando Deus permite uma situação em nossas vidas, ele já tem tudo preparado e vai nos sustentar e providenciar os recursos para que o melhor dele aconteça", finaliza.

Como ajudar

Está sendo feita uma vaquinha solidária, onde toda ajuda é bem-vinda para Camilo continuar o tratamento dermatológico e comprar os medicamentos necessários.

Para quem tiver condições de ajudar e contribuir, pode fazer uma doação em pix através do número 18996747589.
Redação AssisCity
+ VEJA TAMBEM