30 de Setembro de 2020
20º/30º
NOTÍCIAS » REGIÃO

Queimadas preocupam moradores e bombeiros de Assis

Corpo de bombeiro de Assis orienta a população

As queimadas são anualmente um problema que a população e autoridades enfrentam entre os meses de maio a agosto, por causa do clima seco, sendo que muitas vezes ficam sem controle e rendem diversos prejuízos ambientais e também aos moradores próximos aos locais.

Segundo a moradora Rosemeire Aparecida Miranda da Cruz, frequentemente as pessoas colocam fogo em lixos e folhas secas em frente a sua casa, localizada no no residencial Santa Luzia, em Assis,fazendo as faíscas chegarem no mato e se alastrarem.

"Faz apenas um mês que moro aqui, mas as queimadas são frequentes. No domingo, 2 de agosto, o fogo ficou insuportável e a fumaça entrava dentro das casas", conta a moradora.



Além dos prejuízos à saúde, as queimadas trazem um grande prejuízo ambiental, conforme explica o capitão Ricardo Marçal, do Corpo de Bombeiros de Assis. "Além de ser configurado como crime ambiental, o Município de Assis tem uma Lei que rege notificação ao proprietário de terrenos que promovem limpeza de terrenos com fogo", alerta.

A equipe de Corpo de Bombeiros orienta que de forma alguma deve ser realizada a limpeza de quintal ou terrenos com fogo. "Uma simples faísca carregada pelo vento pode promover incêndios de grandes proporções em residências e pastos", adverte.

Na última semana um grande incêndio foi registrado pela população e moradores de Assis. A queimada ocorreu próximo ao antigo Frigorífico Cabral, e o fogo tomou proporções grandes e deixou todos preocupados.



A equipe de Bombeiro foi chamada para conter as chamas, e segundo o Capitão, ocorrências de fogo em mato são sempre complexas para a equipe e de difícil contenção.

"Fogo em mato nunca é fácil de conter, os lugares sempre são de difícil acesso, nossas mangueiras muitas vezes não alcançam e então precisamos fazer a ocorrência corpo a corpo, usando ferramentas manuais. Além de se alastrar muito rápido, o sistema corpo a corpo coloca a vida dos bombeiros em risco", conta o Capitão.

Divulgação - Incêndio próximo ao Cabral gera mais de 40 ligações ao Corpo de Bombeiros de Assis
Incêndio próximo ao Cabral gera mais de 40 ligações ao Corpo de Bombeiros de Assis


Ainda no domingo, a cidade de Curitiba no Paraná, registrou um acidente na BR 277, que deixou 26 feridos e 8 mortos, após a fumaça de um incêndio às margens da pista impedir a visão dos motoristas que passavam por ali.

O Capitão dá instruções para acidente como esses. "A fumaça e a neblina prejudicam muito a visão dos motoristas, por isso é importante que em qualquer situação de quebra de veículos ou acidente, o motorista sinalize devidamente o local e saia de perto, para evitar acidentes maiores", orienta

Para os proprietários rurais a orientação é que entre a divisa da propriedade sejam feitos aceiros para evitar que o fogo passe do mato para a propriedade. "Os aceiros são espaços entre as divisas de propriedades que ficam apenas na terra, em caso de incêndio, pelo fato de naquele espaço não ter mato, fica mais difícil o fogo invadir o lote", informa.

Para finalizar, capitão Marçal pede a toda população para que não façam fogo em quintais e terrenos. "É perigoso para todos. Um fogo em mato tem que ser primeiramente isolado, contido e depois apagado. Por isso, é importante que a população não jogue lixo e terrenos, não faça limpeza com fogo, providencie aceiros e não jogue bitucas de cigarros em matos. A conscientização é a principal forma de evitar acidentes com fogo", finaliza o Capitão.

Redação AssisCity
+ VEJA TAMBÉM