06 de Maio de 2021
20º/30º
Notícias - Região

Suspeito de arremessar filha de três meses contra carrinho diz à polícia que derrubou bebê por acidente

Segundo a polícia, homem foi detido após levar filha com braço quebrado em unidade de saúde de Tarumã; ele foi liberado pela Justiça e não poderá se aproximar da criança enquanto as investigações estiverem em andamento

O homem que foi preso em flagrante no sábado (1º) suspeito de arremessar a filha de três meses contra um carrinho de bebê foi liberado neste domingo (2), em Tarumã (SP), após decisão da Justiça. Ele está sendo investigado pelo crime de maus-tratos, do qual decorreu uma lesão de natureza grave.

De acordo com o delegado Bruno Delfino Sentone, a polícia ouviu o depoimento do suspeito, que alegou ter derrubado a criança de forma acidental. O homem relatou aos policiais que a menina caiu das mãos dele e se chocou contra o carrinho de bebê.

"As investigações continuam. Tem que aguardar o laudo pericial e fazer os trâmites investigatórios para tentar elucidar a versão dele de que teria sido um acidente, mas está sob suspeita em razão da gravidade das lesões", explica o delegado.

A Justiça também proibiu o homem de se aproximar da bebê enquanto as investigações estiverem em andamento. A Polícia Civil informou que a menina teve alta do hospital e foi abrigada pelo Conselho Tutelar.

divulgação - Raio-X mostra braço de bebê de três meses com fraturas
Raio-X mostra braço de bebê de três meses com fraturas


Prisão

O caso começou a ser investigado pela Polícia Civil depois que a bebê de três meses deu entrada no complexo de saúde de Tarumã neste sábado (1º).

Segundo a PM, a equipe foi acionada por volta das 14h15 pela unidade onde a criança deu entrada com os pais, com fratura em duas partes de um dos braços.

A PM havia informado que o pai da bebê admitiu a agressão, revelando que teria jogado a filha contra o carrinho. No entanto, essa versão ainda está sendo apurada.

O caso foi comunicado para a Polícia Civil, que ratificou a prisão em flagrante do homem, e o Conselho Tutelar também foi ao local. Ele foi levado para uma unidade prisional da região, mas liberado pela Justiça neste domingo (2).
G1
+ VEJA TAMBEM