29 de Outubro de 2020
20º/30º
NOTÍCIAS » SAÚDE

Especialista em saúde do idoso fala sobre Alzheimer

Confira uma série de perguntas e respostas da doutora Isadora Paião para entender melhor o assunto

Nesta segunda-feira, 21 de setembro, foi comemorado o Dia Mundial de Conscientização do Alzheimer, e as dúvidas sobre o tratamento e medicamentos da doença ainda são muitas, por isso a Doutora Isadora Paião, especialista em saúde do idoso, explica um pouco mais sobre o tema.

Qual é o objetivo de usar medicações no Alzheimer?

Não é curar!! Foram feitos muitos estudos, e nesses estudos, os pacientes com Alzheimer que usaram esses remédios apresentaram a doença estável por mais tempo, alguma melhora na memória e também na capacidade de realizar atividades de vida diária: limpar a casa, escrever, fazer compras, tomar banho, dentre outras.

Quais são esses remédios?

1- Anticolinesterásicos. No Alzheimer, ocorre perda de neurônios que liberam esse neurotransmissor: acetilcolina, sendo assim, esses medicamentos reduzem a degradação desse neurotransmissor. Exemplos: Donepezila, Rivastigmina e Galantamina.

2- Memantina: um medicamento que serve para antagonizar alguns receptores de glutamato, evitando assim seu excesso, que pode ser neurotóxico. É importante saber que a memantina tem o melhor nível de evidência científica ao ser recomendada associada aos anticolinesterásicos, e não sozinha.

Divulgação - Dra. Isadora Paião
Dra. Isadora Paião


Essas medicações serão benéficas para todos os pacientes com Alzheimer?

Não! Alguns pacientes podem apresentar piora do quadro geral com o uso das medicações, devido a efeitos colaterais como diarreia, vômitos, perda de apetite, de peso, insônia, cãibras, tontura, dor de cabeça, sonolência e alucinações.

O que dizer de Ômega 3, Ginko Biloba, suplementação com Vitamina B, Vitamina E, dentre outras?

Muitos estudos sérios foram conduzidos e ainda não há resultados consistentes que nos façam indicar esses como tratamento para Alzheimer.

Quando suspender essas medicações?

Se houver efeitos colaterais importantes.

Qual é o melhor tratamento para alguém que acabou de receber o diagnóstico de Alzheimer?

O melhor tratamento vai bem além das medicações! Envolve o controle das doenças que o paciente tem, como diabetes, depressão e hipertensão, assim como interromper o uso de álcool e tabaco, receber cuidados e orientações de vários profissionais, além de mudanças no estilo de vida: alimentação saudável, prática de exercícios físicos e atividades que estimulam a mente. Ainda sobre o melhor tratamento, uma série de outros fatores também devem ser avaliados, como a capacidade do paciente de mastigar e engolir alimentos, como está o seu jeito de andar, a dinâmica familiar, bem como sua ocupação durante o dia, as adaptações em sua residência, sua higiene pessoal e algo muito importante: as emoções tanto do paciente quanto de quem o cerca.

Por que algumas vezes um médico diz uma coisa e outro médico diz outra?

Existem muitos estudos sendo feitos em todo mundo sobre cada doença e seus tratamentos. Um exemplo: alguns estudos são feitos com 15 pacientes, muitas limitações, outros estudos são feitos com 500 pacientes, e com mais organização, e por aí vai. Precisamos basear a nossa prática clínica na confiabilidade de características dos estudos e ver o nível de evidência científica daquela recomendação (o estudo foi realmente confiável? O que a comunidade científica acha disso?)
Divulgação
+ VEJA TAMBÉM