25 de Junho de 2019
17º/33º
NOTÍCIAS » BRASIL

Presidente Bolsonaro e relações com países que se destacam na América do Sul

As relações poderão mudar e evoluir durante os próximos anos sob a presidência de Bolsonaro

O Bolsonaro ganhou a corrida presidencial de 2018 contra Haddad e foi eleito presidente do
Brasil, depois de ter atuado na política brasileira desde 1989, primeiro como vereador, e
depois como Deputado Federal, ambos pelo estado do Rio de Janeiro. O seu novo cargo tem
início no dia 01 de janeiro de 2019 e ele será o 38º Presidente do Brasil, com o seu vice-
presidente Hamilton Mourão. Bolsonaro tem 63 anos de idade e tem diversos desafios para
enfrentar em frente ao governo do Brasil. Esses desafios são tanto internos como também
externos.

Na política externa, o Brasil tem estado cada vez mais distante dos seus vizinhos, virando
ainda mais as costas principalmente para Argentina, Chile, Colômbia, Equador, Peru, Bolívia,
Venezuela, Uruguai e Paraguai, mas todas essas relações poderão mudar e evoluir durante os
próximos anos sob a presidência de Bolsonaro. Vamos analisar cada uma das ações que
Bolsonaro poderá tomar com esses 9 países que se destacam dentro da América do Sul:

Bolsonaro e Argentina

O presidente Mauricio Macri virá para a posse do presidente. Os dois presidentes querem se unir para fazer um acordo comercial entre o Mercosul e a União Europeia. Ou seja, os dois países querem reforçar a cooperação e focar no aumento exportação para a Europa.

Bolsonaro e Bolívia

A Bolívia de Evo Morales está cautelosa com Bolsonaro, já que os governos diferem em valores importantes, sendo um de esquerda e outro de direita. A Bolívia mesmo sendo o país mais pobre da América do Sul está crescendo devido aos planos de redução de gastos do governo, e por sua vez o Brasil ainda recebe imigrantes bolivianos pelo que o diálogo entre os dois governos será importante

Bolsonaro e Paraguai

Os dois países são bem próximos e antes de Bolsonaro ser eleito ele fez uma vídeo
conferência com Mario Abdo Benítez, presidente do Paraguai. Bolsonaro e Mario têm várias
semelhanças em relação ao posicionamento relativamente às forças militares, e em vários
pontos econômicos. No Paraguai, os jogos de apostas são legalizados e uma imporante fonte
de receita, e Bolsonaro já apontou abertura para fazer o mesmo no Brasil.

Bolsonaro e Chile

A primeira viagem externa de Bolsonaro será para o Chile. Bolsonaro quer ter como principal aliado na América do Sul o país, já que o Chile é a economia mais dinâmica do continente e tem um acordo de livre comércio com mais de 60 países, entre eles os gigantes Estados Unidos e China. O Chile também tem um governo de direita com o presidente Sebastián Piñera, e será um importante aliado na região para o novo presidente do Brasil.

Bolsonaro e Colômbia

A Colômbia assim como o Brasil sofre bastante com a crise política e econômica da
Venezuela, e quer se unir ao Bolsonaro para poderem juntos derrubar Maduro. Ivan Duque, presidente da Colômbia, está disposto a fazer o máximo para mudar a situação da Venezuela.

Bolsonaro e Uruguai

O Uruguai é visto com um país diferenciado dentro da América do Sul, principalmente pela
legalização da maconha e do aborto. Por isso, Bolsonaro, provavelmente, não terá uma
relação muito próxima, mas muito cordial, respeitando o aliado comercial do Mercosul.
Vários Brasileiros se mudaram para o Uruguai depois da legalização da maconha.

Bolsonaro e Peru

O Bolsonaro quer ter uma boa relação comercial com o Peru e já se encontrou com o ministro de políticas externas do Peru. Os dois países querem ter uma boa relação para simplificar a exportação e importação entre os países.

Bolsonaro e Equador

O presidente do Equador, Lenín Moreno, quer manter uma boa relação com o Brasil,
principalmente econômica. Lenín quer estreitar ainda mais os laços entre os dois países, mas
Bolsonaro não se posicionou sobre isso, já que anos antes estava insatisfeito com a importação de bananas vindas do Equador quando elas poderia ser produzidas internamente.

Bolsonaro e Venezuela

O Brasil recebeu e recebe grande parte dos refugiados da Venezuela, o que é uma das
questões externas mais importantes para Bolsonaro. Nada está definido, mas há fontes que
afirmam que o Brasil pode usar da força armada para lutar contra a ditadura de Maduro.

Em geral, Bolsonaro quer realizar diversas mudanças no Brasil e pretende olhar para os
vizinhos do Brasil para fazê-las contemplando várias leis que já são aprovadas e ações que já
são realizadas nos outros países da América do Sul. Vamos esperar para ver quais serão os
avanços no setor de política externa.

Divulgação/ Foto: Agência Brasil - Marcelo Camargo
+ VEJA TAMBÉM