25 de Abril de 2018
17º/33º
ENTRETENIMENTO » BLOG

Plano de saúde para pets: vale a pena ter?

Esse investimento representa economia e tranquilidade, mas não é essencial para garantir a saúde do seu pet

A saúde do seu animal de estimação é uma prioridade para você? Se não é, deveria ser, pois um pet doente pode gerar altos gastos, deixar a família toda triste e, dependendo do problema, transmitir a doença para animais e seres humanos.

Para solucionar essa preocupação, já existe uma novidade: são os planos de saúde para pets.

Esse tipo de serviço funciona de uma forma muito parecida com o que é usado por nós: o seu peludo terá atendimento veterinário garantido, mas sem que você precise pagar um alto valor para isso.

Além disso, no pacote, o pet (e seu tutor) pode utilizar serviços como consultas veterinárias, exames em laboratórios credenciados, cobertura de parto, implantação de microchip e até mesmo auxílio funeral.

Por que aderir?

Há duas principais razões para fazer um plano de saúde para seus animais de estimação: economia e tranquilidade.

As despesas veterinárias são periódicas e não costumam ser baratas. Em um ano, os custos com animais de estimação ultrapassam R$ 2 mil, segundo pesquisa realizada pelo Serviço de Proteção ao Crédito (SPC Brasil) e pela Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas (CNDL).

Enquanto os animais são filhotes, eles devem comparecer à clínica para as vacinações. Após, precisam realizar um check-up e doses de reforço das vacinas todos os anos. Já a castração é altamente recomendada para evitar doenças e gestações.

E ainda, se o pet tiver tendência a desenvolver uma doença, é necessário gastar com prevenção. Se ele tiver uma enfermidade crônica, você terá que providenciar o tratamento. Em caso de acidentes ou surgimento de alguma doença, a ida ao veterinário será de extrema urgência.

Ao longo da vida de um cão ou gato – em torno de 10 a 15 anos –, todos esses gastos representam uma boa somatória de dinheiro, principalmente aqueles que não estavam previstos, como cirurgias, medicamentos e internações.

Hoje em dia, os animais de estimação são tratados e considerados verdadeiros membros da família. Na mesma pesquisa citada anteriormente, 61% dos donos afirmam que seus pets despertam sentimentos de amor e alegria.

Por isso, ninguém quer ver o peludo desprotegido, sofrendo e correndo risco de morte. O plano de saúde animal também existe para sanar essa lacuna, pois, ao pagar um valor mensal para o serviço, a saúde do seu pet fica totalmente assegurada.

Dicas para escolher o melhor plano

O serviço de plano de saúde para pets está crescendo, com cada vez mais operadoras oferecendo pacotes diversos para o seu animal de estimação. Saiba como fazer a escolha certa para a saúde do seu peludo:

Entenda a necessidade do seu pet

Um animal jovem e saudável provavelmente precisa de menos cuidados veterinários, e, consequentemente, pode ser atendido por um plano de saúde básico. Já um animal idoso ou aqueles que tendem a adoecer com facilidade podem precisar de um pacote mais robusto.

Procure se lembrar do histórico do seu pet para avaliar qual tipo de cuidado ele necessita e qual é o plano mais adequado para ele.

Realize mais de um orçamento

Como já existem diversas operadoras de planos de saúde no mercado, é essencial avaliar a proposta e os valores de algumas delas, priorizando o melhor custo para o seu bolso e o melhor benefício para o seu pet.

Verifique a cobertura do pacote

É muito importante analisar toda a cobertura oferecida pelo plano que você deseja fechar, confirmando se os procedimentos que o seu pet mais utiliza ou que pode vir a usar estão cobertos.

Uma internação, por exemplo, não é um procedimento que você pode prever o uso ou não, mas é uma boa cobertura para se ter em caso de emergências e que pode ter um alto custo até a recuperação do animal.

Além disso, considere que o veterinário que você sempre leva o pet pode não fazer parte da rede credenciada da operadora. Nesse caso, avalie se vale a pena trocar de profissional, garantindo a mesma qualidade de atendimento, ou adquirir um plano que realize reembolso.

Fique atento ao período de carência

Assim como os planos de saúde comercializados para humanos, os planos para pets contam com um período de carência que, para alguns procedimentos, pode chegar a até um ano!

Se o seu pet tem chances de necessitar do serviço com antecedência, procure uma seguradora que o forneça dentro de um prazo razoável ou tente realizar uma negociação para fechar um contrato vantajoso.

E se eu não puder pagar?

É claro que o seu pet não precisa ter um plano de saúde, desde que você não deixe de proporcionar todos os cuidados veterinários que ele eventualmente necessite ao longo da vida.

A vantagem do serviço é oferecer economia e segurança para os tutores de animais, porém, acrescentar o plano de saúde do animal no orçamento mensal nem sempre é possível. Se esse é o seu caso, não se preocupe.

Você deve continuar a frequentar o veterinário de confiança que você já está acostumado, conforme a periodicidade recomendada. Sempre é possível negociar o valor da consulta, a forma de pagamento e o parcelamento de dívidas para garantir a saúde do seu amigo.

Se a situação estiver muito apertada, procure uma clínica veterinária que ofereça serviços a preços populares e acessíveis. Ou até mesmo hospitais veterinários públicos, que providenciam atendimentos totalmente gratuitos para o seu animal de estimação.

O mais importante é não deixar o seu pet sem nenhum tipo de assistência. Só assim que ele vai poder viver ao seu lado por muitos anos!

Renato Piovan

Possível candidatura de Joaquim Barbosa embaralha o jogo eleitoral

CHARGE - Por Renato Piovan

Recente pesquisa eleitoral apontou a queda de votos do ex-presidente Lula e a estagnação dos demais candidatos à Presidência nas eleições de outubro. Porém, fato que chamou a atenção foram os 10% de eleitores que declararam voto a Joaquim Barbosa sem sequer o ex-ministro do STF ter lançado candidatura.

Barbosa se filiou recentemente ao PSB, partido que segue extremamente dividido quanto o caminho a seguir na disputa presidencial. Uma ala do partido defende levar adiante a aliança com o ex-governador de São Paulo Geraldo Alckmin. Outra ala defende uma aliança pela esquerda, em particular com o PT. E há os que defendem o lançamento de Joaquim Barbosa, costurando até uma aliança com a Rede de Marina Silva.

Joaquim Barbosa participou pela primeira vez de uma reunião da executiva nacional da legenda na quinta-feira (19 de abril) em Brasília. Apesar dos inúmeros agrados, elogios e das flores recebidas, o ex-ministro não saiu com a candidatura confirmada pelo comando partidário.



Ter um gato é realmente simples?

Primeiro, é importante saber que o felino é, por natureza, caçador; e, como tal, precisa de duas coisas



*Por René Rodrigues Junior


Atualmente vivemos em ambientes cada vez menores, passamos cada vez menos tempo em casa e, mesmo em meio à correria, sentimos falta da companhia de um animal de estimação. Esses bichinhos costumam ser a alegria da casa, o momento de descontração e, principalmente, o parceiro ideal para bons anos de vida juntos. No entanto, criar um animal não é tarefa fácil. Eles exigem cuidados diversos, inclusive os gatos, que têm fama de independentes, mas possuem características bem peculiares. Por isso, é fundamental conhecer o comportamento e as necessidades destes bichinhos antes de levá-los para casa.

Primeiro, é importante saber que o felino é, por natureza, caçador; e, como tal, precisa de duas coisas: buscar seu próprio alimento e descansar. Em relação a este último item, o gato se torna um bom parceiro para pessoas que ficam fora de casa por período maiores, pois eles dormem em média 16 horas por dia. Cabe a nós, humanos, aprender a respeitar esse horário de sono e dar-lhes o sossego merecido. Por questões práticas, é muito comum deixarmos a ração sempre disponível para os gatos; e, por se tratar de um animal instintivamente caçador, é importante criar uma "dificuldade” para que ele se alimente. Um recurso interessante são os comedouros inteligentes, que se movimentam ao toque do animal e estimulam a curiosidade e o instinto selvagem. O momento das refeições torna-se, então, mais instigante e divertido.

Segurança também é um item de extrema importância, por isso é necessário fazer algumas adaptações para receber um gato em casa. Telas de proteção, por exemplo, são fundamentais para que eles não fujam. Os gatos se adaptam bem a pequenos espaços – aliás, esse é um dos principais motivos pelos quais a popularidade desses felinos vem aumentando. Ainda assim, é preciso manter o ambiente atrativo com brinquedos e arranhadores, por exemplo, e impedir que eles vão para a rua.

Permitir que o gato saia para dar uma voltinha não é proibido; aliás, é muito interessante que ele conheça novos ambientes. Todavia, vale ressaltar a importância de estar sempre acompanhado. Fora de casa, os animais estão suscetíveis a contrair ou desenvolver doenças sérias como FIV (também conhecida como AIDS felina) e leucemia, além da exposição a pulgas e ectoparasitas que também podem transmitir doenças aos donos – as chamadas zoonoses. Outra questão que merece atenção é o fato de os gatos possuírem um comportamento territorialista, e nas ruas, as brigas entre os animais são comuns. Em situações assim, o seu bichinho pode se machucar, além de estar exposto a diversas situações perigosas e, em alguns casos ainda mais tristes, não voltar para casa

Assim, podemos concluir que gatos também necessitam e merecem cuidados especiais. Esses bichanos adoram receber e doar amor e carinho e quando são bem-tratados, se tornam uma excelente companhia para a vida.

*René Rodrigues Junior é médico veterinário da Magnus, fabricante de alimentos para cães e gatos.



Renato Piovan

Aécio se torna réu no STF por corrupção e obstrução de Justiça

CHARGE por Renato Piovan

A Primeira Turma do Supremo Tribunal Federal (STF) decidiu na terça-feira (17) receber denúncia da Procuradoria Geral da República contra o senador Aécio Neves por suposta prática de corrupção passiva e obstrução de Justiça. Com a aceitação da denúncia, Aécio passa a responder ao processo penal na condição de réu e poderá contestar a acusação com novas provas.

A decisão não afeta diretamente seu o mandato, pois ele mantém as prerrogativas e imunidades do cargo. Ele só poderá ser preso, antes de uma eventual condenação, se for pego em flagrante cometendo um crime inafiançável e com o aval do Senado.

Ao final deste ano, Aécio Neves termina o mandato de oito anos e, se não for reeleito, perde o foro privilegiado no STF. Sem cargo político, o processo a que ele responde como réu será enviado à primeira instância.



Tutor busca calopsita perdida em Assis

Ave desapareceu nas proximidades da Vila Operária

Uma calopsita macho está desaparecida nas proximidades da Vila Operária, em Assis. De acordo com seu tutor, a ave atende pelo nome de Bily e desapareceu na Rua São Sebastião, em frente à Praça São Benedito.

Bily sumiu na manhã do dia 14, sábado, e formava um casal juntamente com Nina. As aves foram criadas juntas e a fêmea tem sentido a falta do companheiro, assim como as crianças da família.

Segundo o tutor, o pássaro estava com as asas cortadas e deve estar pela vizinhança, pois não consegue voar direito. Ele tem uma anilha de registro com numeração de identificação, a pelagem branca, com detalhes mais escuros na região da asa.

Caso alguém tenha informações, pode entrar em contato pelos telefones (18) 98145-5051 ou (18) 3323-5029 ou (18) 3022-2272.


Calopsita atende pelo nome de Bily e tem anilha de identificação


Bem-Estar

Estudo aponta potencial de cura para diabetes tipo 1; droga experimental regenera células produtoras de insulina

Pesquisa em cobaias publicada na 'Nature Communications' nesta segunda-feira (16) mostra que substância BL001 pode regenerar células que produzem hormônio envolvido na metabolização da glicose.

A diabetes tipo 1 é uma forma genética de diabetes que tem uma causa curiosa: o sistema imunológico entende células do pâncreas como "invasoras" e, por isso, as ataca. Um dos grandes desafios da ciência na área, assim, é tentar descobrir que tipo de tratamento pode prevenir esse ataque indevido.

Muitas iniciativas estão em curso. Uma delas foi publicada na "Nature Communications" nesta segunda-feira (16) e mostrou potencial para, de fato, prevenir os sintomas da doença em cobaias e apontar para uma possível cura da condição. O estudo teve a coordenação do Centro Andaluz de Biologia Molecular e Medicina Regenerativa, em Sevilha (Espanha).

Pesquisadores desenvolveram uma droga que impede que o sistema imune ataque as células beta do pâncreas, responsáveis pela produção de insulina. A insulina, por sua vez, é um hormônio envolvido no aproveitamento da glicose pelas células. Sem a insulina, pacientes ficam com muito açúcar no sangue, condição tóxica para o organismo, que pode levar à cegueira e a amputação das pernas.

Trata-se de uma pesquisa experimental, feita em animais. A chegada desse tratamento aos pacientes pode levar alguns anos e é possível também que cientistas não observe os mesmos efeitos benéficos em pessoas.

A droga usada pelos cientistas utiliza a BL001, uma substância similar a outra do fígado que combate a inflamação em órgãos digestivos e protege células de morte precoce. Em cobaias, a droga foi capaz de impedir a hiperglicemia (aumento do açúcar no sangue) e regenerar as células beta do pâncreas -- aumentando, assim, a secreção de insulina.

Isso significa que, em vez de de injetar insulina constantemente, pacientes que utilizarem a droga no futuro poderiam secretar insulina naturalmente, já que a substância impede a morte de células que produzem o hormônio.

A pesquisa pontua que a maioria das iniciativas que tentaram tratamentos do tipo não sustentaram a produção de insulina ao longo do tempo - mas que, agora, cientistas conseguiram "reverter" a diabetes tipo 1 em ratos.

"Nós mostramos que, com a BL001, prevenimos e revertemos a diabetes em três tipos diferentes de modelos animais com diabetes tipo 1", escreveram os autores no estudo.
Os cientistas acompanharam as cobaias e demonstraram que os exames de sangue não apontavam substâncias consistentes com a presença da diabetes tipo 1. Agora, o próximo passo da pesquisa é o desenvolvimento de uma molécula mais estável da BL001, que poderá ser testada em seres humanos.

No canto acima à esquerda, célula sem tratamento é infiltrada por células do sistema imune; já a célula do lado direito, está sob ação do fármaco e tem diminuída as células do sistema imune (pontos escuros). Abaixo, no canto inferior esquerdo, está célula sem a terapia; já no lado inferior à direita, nota-se maior presença de células produtoras de insulina ( pontos em vermelho) (Foto: NADIA COBO-VUILLEUMIER ET AL)


Bem-Estar

Quatro dicas para manter a saúde bucal em dia

Dentista fala sobre a importância da escovação regular e alimentação balanceada

Muitas pessoas não sabem, mas cuidar da saúde bucal é essencial para ter uma vida saudável, já que a boca é responsável por funções que afetam o funcionamento de todo o organismo, além de estar conectada a diversos órgãos do corpo humano.

Pensando nisso, Isabella Mendes, dentista e parceira da GUM®, marca mais inovadora de cuidados bucais no Brasil e presente em 90 países, dá algumas dicas sobre como manter a saúde bucal em dia. Segundo ela, além de visitar o dentista regularmente, existem outros diversos hábitos que podem ser incorporados à rotina de quem busca uma melhor higiene bucal.

Confira abaixo.

1- Invista na limpeza interdental – Limpar o espaço entre os dentes com produtos específicos é fundamental para quem busca uma rotina mais saudável, pois são lugares de difícil alcance para escovas regulares, o que facilita o surgimento de placas e de inflamação gengival. "As gengivas são importantes para suportar e nutrir os dentes, ou seja, qualquer doença na região compromete a arcada dentária, o maxilar e a mastigação, além de refletir no bom funcionamento do corpo humano”, explica Isabella.

2- Escove os dentes três vezes por dia – Realizar a escovação dental regular é a base para uma boa saúde bucal. "O ideal é escovar os dentes durante dois minutos, três vezes por dia, com uma escova macia e de cabeça arredondada, que seja capaz de remover a placa e não machucar os dentes e gengivas”, explica Isabella. Para esta dica, a profissional orienta ter sempre um kit de cuidados bucais à mão, pronto para ser usado a qualquer hora do dia.

3- Higienize a língua – A limpeza do órgão é igualmente importante em uma rotina de cuidados bucais. "A língua auxilia na mastigação dos alimentos e, por isso, concentra certa quantidade de detritos, além de bactérias que podem causar mau hálito”, comenta a dentista.

4- Tenha alimentação balanceada - Não é segredo para ninguém que doces e guloseimas em geral não fazem bem aos dentes, causando cáries, que são incômodas e, se permanentes, tornam-se difíceis de tratar. "Nossa recomendação profissional é que os pacientes se acostumem a substituir alimentos com muito açúcar por outros ricos em fibras, além de frutas, verduras e legumes. Assim, é possível garantir não só uma saúde bucal de qualidade, como também uma vida mais saudável e equilibrada”, finaliza a especialista.

Bem-Estar

A importância da química verde para a indústria de beleza


* Marianna Cyrillo




Em busca de formulações eficientes e sustentáveis, a indústria de beleza investe, cada vez mais, em soluções provenientes de uma cadeia produtiva limpa e 100% rastreável. Essa preocupação está alinhada a um comportamento do consumidor, que está mais exigente e com uma consciência mais verde.



Uma prova disso está na análise realizada pela empresa alemã especializada em estudos de mercado GFK, ao apontar que 40% dos consumidores brasileiros acreditam que as empresas devem ser ambientalmente responsáveis; e 48% afirmam ler o rótulo antes de comprar qualquer produto. O estudo ainda mostra que, entre 2011 e 2016, a preocupação com a responsabilidade social dos produtos, em relação a como e onde são feitos, cresceu 5%. Todos esses dados nos mostram que as pessoas não querem mais saber apenas dos benefícios que um produto proporciona, elas buscam também informações a respeito dos impactos socioambientais de toda a cadeia produtiva.



Nesse sentido, vale destacar também o resultado da pesquisa Barômetro da Biodiversidade 2017, liderada pela União para o BioComércio Ético (UEBT), que ouviu cerca de 16 mil pessoas de diferentes países do mundo, inclusive do Brasil, e apontou que 73% dos entrevistados se sentem bem quando compram um produto que respeita a biodiversidade. Além disso, 72% disseram que estão mais interessados em comprar produtos de empresas que dão atenção à biodiversidade.



Diante desse cenário, é possível afirmar que a química verde ganha força! Mas o que é a química verde? A transformação dos insumos naturais, as funcionalidades das matérias-primas somadas a diferentes processos e tecnologias, que além de eliminar da formulação substâncias nocivas às pessoas e ao meio ambiente, dão origem à ingredientes inovadores e altamente eficazes, proporcionando benefícios diretos na saúde do consumidor.



Vale destacar também a importância da rastreabilidade da cadeia produtiva, pois é necessário que todo o processo de desenvolvimento e fabricação seja rastreado e transparente, com impactos positivos em todos os elos da cadeia. Nesse sentido, uma matéria-prima natural, produzida por meio do trabalho de cooperados e agricultores familiares, que, em vez de desmatarem, preservam os recursos da natureza e comercializam seus frutos e sementes de forma responsável, fomenta diretamente uma economia circular e a conservação da floresta em pé. Esse tipo de iniciativa promove o desenvolvimento socioeconômico, garante o respeito à biodiversidade e estimula os investimentos na utilização consciente dos recursos.



Assim como nos exemplos citados na indústria de beleza, é importante ressaltar que todos os setores da economia precisam ter a mesma consciência diante do tema. Afinal, as empresas que buscam o fortalecimento no mercado precisam estar alinhadas às necessidades de consumo da população e engajadas em desenvolver produtos obtidos por meio de sistemas de produção totalmente transparentes e livres de substâncias sintéticas.



Portanto, diante da questão, é importante entender que a química verde tem um papel essencial no mercado global, pois surgiu para promover o equilíbrio econômico, social e ambiental. Hoje, podemos afirmar que o tema é muito mais que uma tendência, tornou-se uma realidade e, por conta disso, as empresas que apostam nesse conceito, estão à frente e prontas para liderar esse movimento em prol do desenvolvimento de produtos mais limpos, com rotulagens cada vez mais claras, seguros e altamente eficazes.

* Marianna Cyrillo é gerente de Marketing da Beraca, líder global no fornecimento de ingredientes naturais provenientes da biodiversidade brasileira para as indústrias de cosméticos, produtos farmacêuticos e cuidados pessoais.

Homeopatia para pets ainda enfrenta preconceitos, mas ganha adeptos

Método que usa estímulos energéticos para reequilibrar o organismo é disciplina na graduação há mais de 20 anos, mas tem poucos veterinários especialistas. Resultados positivos animam profissionais e donos de pets

Um post nas redes sociais comentando a divulgação que um médico veterinário de Bauru (SP) fez sobre a prestação de serviços de homeopatia para pets dá bem uma noção dos desafios que esta terapia, criada no final do século 18 pelo médico alemão Samuel Hahnemann, ainda enfrenta.

Formado pela UEL (Universidade Estadual de Londrina), com especialização em homeopatia veterinária concluída há mais de 15 anos, o médico veterinário Paulo Zanardi nem se surpreendeu com o comentário irônico de um internauta que afirmou que o anúncio era uma proposta de se tratar pets com "superstição e pseudociência em pleno século 21”.

Mas segundo Zanardi, a homeopatia não só não é uma "superstição”, como tem apresentado respostas de cura surpreendentes. Com o advento das redes sociais, os resultados positivos são divulgados pelos donos de animais, o que tem atraído cada vez mais adeptos.

"A homeopatia vem se mostrando muito eficiente no trato de doenças de origem fisiológica, como transtornos digestivos, atropelamentos, alergias e problemas de pele, além dos controles de questões comportamentais dos pets”, explica o veterinário.
Mesmo assim, a homeopatia ainda conta com poucos profissionais habilitados a ministrar a especialidade que é reconhecida pelo Conselho Federal de Medicina Veterinária desde 1995.

Segundo Stelio Pacca Loureiro Luna, professor titular do Departamento de Cirurgia e Anestesiologia da Faculdade de Medicina Veterinária e Zootecnia da Unesp de Botucatu, ainda há poucos profissionais realmente habilitados a ministrar o método terapêutico.

Responsável pela disciplina de homeopatia que está na grade do curso de veterinária da Unesp há mais de 20 anos, Stelio Pacca admite que a formação oferecida na graduação serve apenas para apresentar o método aos futuros médicos veterinários.

"A disciplina [na graduação> é bastante básica e não é suficiente para o seu exercício. Para isso, o veterinário terá de se especializar, estudar muito, investir nessa especialização, e nem todos estão muito dispostos”, admite Pacca.

Além disso, explica o professor, como a proposta da homeopatia é de tratamentos muito individualizados, há pouca publicação científica nessa área, o que a torna igualmente pouco difundida.

Como funciona

Segundo Stelio Pacca, a homeopatia, seja para humanos ou para pets, tem como base o princípio de que "semelhante cura semelhante”.

Ou seja, a terapia consiste em oferecer a um doente, de forma diluída e em pequenas doses, uma substância que, em doses elevadas, produziria sintomas semelhantes aos da doença que está sendo combatida.

Segundo o professor da Unesp de Botucatu, a grande diluição da substância faz com que não haja efeito adverso. Ele explica que a homeopatia provoca uma resposta do próprio organismo contra o fármaco ministrado.

O veterinário Paulo Zanardi explica que a homeopatia é indicada a praticamente todo tipo de doença ou sintoma, desde os quadros respiratórios aos digestivos (gastrite diarreia), passando pelos problemas dermatológicos e os comportamentais.

"Esses [problemas comportamentais> representam o principal motivos que atrai as pessoas a levar seus pets a um veterinário homeopata, mas a homeopatia não muda o caráter do animal. A gente se baseia em sintomas mentais e em comportamentais para achar o medicamento de fundo para cada caso”, explica Zanardi.

Por isso, completa o veterinário, a consulta precisa ser muita detalhada, uma verdadeira entrevista com o dono do pet para se levantar informações sobre os hábitos e comportamento do animal.

Segundo o Zanardi, há poucos casos em que a homeopatia veterinária não é indicada, como para doenças endócrinas, que requerem reposição de hormônios. Ou então, no caso de uma infecção já instalada, quando o uso de um antibiótico é imprescindível.

Nesse sentido, Stelio Pacca defende o princípio da medicina integrativa, aquela que lança mão de todas as especialidades possíveis para a saúde do animal.

"O profissional precisa ter bom senso para escolher a melhor terapêutica para cada caso. Boa parte das doenças é tratável com homeopatia, mas o bom profissional não deve deixar de usar a medicina tradicional. Ou seja, um veterinário homeopata pode e deve normalmente prescrever um antibiótico, por exemplo”, conclui o professor da Unesp de Botucatu.


Médico veterinário Paulo Zanardi ministra gotas para a gata Lucy: resultados surpreendentes e muitas vezes rápidos (Foto: Sérgio Pais)


Renato Piovan

Os novos alvos da Operação Lava-Jato

CHARGE - Por Renato Piovan

A primeira turma do Supremo Tribunal Federal agendou para a próxima terça-feira o julgamento que pode aceitar denúncia contra o senador Aécio Neves no caso em que é acusado de corrupção passiva e obstrução de Justiça com base na delação do grupo J&F.

A força-tarefa da Operação Lava-Jato também pediu que as investigações sobre supostas propinas a Geraldo Alckmin passem a ser tocadas em primeira instância. Alckmin deixou o cargo de governador e, com isso, perdeu foro privilegiado.

O MDB e o presidente Michel Temer também voltaram à ribalta. Em nova denúncia apresentada, o Ministério Público Federal acusa o advogado José Yunes e o coronel da reserva João Baptista de Lima Filho arrecadavam propina para o partido, especialmente para Temer.

O inquérito inclui outros emedebistas próximos ao presidente, como Moreira Franco (empossado no ministério de Minas e Energia) e Eliseu Padilha (ministro da Casa Civil).



Bem-Estar

Estresse e ansiedade provocam a dor de cabeça tensional

Se a dor persistir, pode ficar crônica, durante 15 dias ou mais. Às vezes, nem o remédio dá conta! Para evitar a cefaleia tensional é preciso quebrar a rotina, desestressar. Exercício físico também ajuda.

Existem mais de 200 tipos de dor de cabeça, mas na prática, a imensa maioria, cerca de 90%, tem a ver com tensão e enxaqueca. As mulheres sofrem mais com este problema, como explicou o neurologista Antônio Cezar Ribeiro Galvão no Bem Estar desta quarta-feira (11). A fisioterapeuta Mirca Ocanhas deu dicas para acabar com a dor de cabeça e também o bruxismo.

A cefaleia tensional atinge mais quem tem entre 20 e 40 anos e é mais comum em mulheres do que em homens. As causas da dor são o estresse e a ansiedade. Ela vai de leve a moderada e incomoda bastante. A sensação é que uma faixa está apertando a cabeça, fazendo pressão. Normalmente, essa é uma dor que passa com repouso ou analgésico.

Se a dor persistir, pode ficar crônica, durante 15 dias ou mais. Às vezes, nem o remédio dá conta! Para evitar a cefaleia tensional é preciso quebrar a rotina, desestressar. Exercício físico também ajuda.

A percepção de dor é diferente para cada pessoa. A intensidade da dor de cabeça pode ser aceitável para uma pessoa e insuportável para outra.

Bruxismo

Sabe quando a pessoa range e aperta os dentes de forma involuntária? Isso é o bruxismo. Ele provoca desgaste nos dentes, dor na musculatura ao abrir e fechar a boca, hipertrofia dos músculos, dores de cabeça constantes e até doenças periodontais.

Na maioria dos casos, está relacionado a tensão muscular. Soltar a musculatura ajuda a aliviar essa pressão. Placa de proteção entre os dentes é a primeira alternativa. Outros métodos são a fisioterapia, estímulos elétricos e até uso de toxina botulínica.



Renato Piovan

STF nega recurso de Lula contra prisão em 2ª instância

Por um placar de 6 votos a 5, o STF (Supremo Tribunal Federal) negou na madrugada de quinta-feira (5) o recurso do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva contra sua prisão na Operação Lava Jato.

Com a derrota no Supremo, Lula poderá ser preso depois de esgotados os recursos ao TRF-4 (Tribunal Regional Federal da 4ª Região). A defesa do petista tem até a próxima terça-feira (10) para decidir se apresenta recurso ao tribunal de Porto Alegre.

Com os recursos esgotados no TRF-4, Lula será enquadrado na Lei da Ficha Limpa. Mas, mesmo que o ex-presidente esteja inelegível, isso não o impede de solicitar o registro de candidatura. E a Lei Eleitoral diz que, com a solicitação do pedido de candidatura, o candidato está autorizado a realizar atos de campanha até a decisão definitiva sobre o registro no Tribunal Superior Eleitoral (TSE).



Bem-Estar

Adaptados ao ambiente urbano, escorpiões se proliferam e picam cada vez mais

Ministério da Saúde diz que número de mortes por picadas saltou de 13 para 124 de 2000 a 2016; veja como se prevenir.

Eles são pequenos, entre 10 e 12 cm, discretos, noturnos e tímidos, preferindo se esconder em lugares escuros e úmidos, como pilhas de entulhos, frestas em casas, roupas e calçados. Mas quem pisar neles terá uma experiência muito dolorosa e desagradável. Os escorpiões são aracnídeos, que compreendem cerca de 2 mil espécies no mundo e 130 no Brasil, das quais apenas quatro são responsáveis pela maior parte dos ataques a humanos no país - que não são poucos e vêm crescendo.

Segundo o Ministério da Saúde, entre 2000 e 2016 o número de vítimas de picadas desses animais cresceu 628,8%, passando de 12.552 para 91.485. O aumento do número de mortes foi maior ainda, 853,8%, saltando de 13 para 124, geralmente crianças ou idosos, no mesmo período.

A quase totalidade desses acidentes é causada pelas quatro espécies mais conhecidas: escorpião-amarelo (Tityus serrulatus), escorpião-amarelo-do-nordeste ou escorpião-do-nordeste (Tityus stigmurus), escorpião-preto (Tityus bahiensis) e escorpião-grande (Tityus obscurus). Segundo a bióloga Denise Candido, do Laboratório de Artrópodes do Instituto Butantan, entre e 80% e 90% das picadas registradas no Brasil são das duas primeiras dessas quatro espécies.

As causas para o aumento do número de acidades envolvendo escorpiões são bem conhecidas. "Isso certamente está relacionado ao crescimento populacional desse artrópode, que se adaptou muito bem ao ambiente urbano, onde encontra abrigo, alimento, e pouco inimigos naturais", explica o biólogo Antonio Carlos Lofego, do Departamento de Zoologia e Botânica da Universidade Estadual Paulista (Unesp) em São José do Rio Preto.

Denise diz que esse aumento do número de escorpiões e, consequentemente, dos acidentes, se deve ao crescimento urbano desordenado, com as cidades se expandindo a custa de desmatamentos. "Esses animais estão onde sempre estiveram, onde eles ocorrem naturalmente", explica. "Além de abrigo, eles encontram no nosso lixo muitas baratas, que são suas presas. Nessas condições, eles podem se reproduzir com muita facilidade."

Além disso, o escorpião-amarelo e escorpião-amarelo-do-nordeste têm como característica peculiar a reprodução por partenogênese, ou seja, sem machos, sem a necessidade de que os óvulos das fêmeas seja fecundados pelo esperma de um indivíduo do sexo masculino. "Isso aumenta muito a capacidade de crescimento populacional, pois cerca de 90% dos indivíduos de uma população são fêmeas, com capacidade para produzir descendentes", diz Denise Candido.



Veneno
De acordo com ela, os escorpiões são animais de hábitos noturnos, que procuram esconderijos durante o dia. Nas cidades, pode ser, por exemplo, sob um pano úmido, dentro de um calçado, embaixo ou atrás de uma estante ou numa fresta. "A pessoa não vê o animal e acaba tocando-o com a mão ou pisando nele", diz. "Para se defender, ele pica."

Ao fazer isso, ele injeta na vítima um veneno neurotóxico, que age no sistema nervoso e provoca sempre muita dor, a princípio no local da picada, e que, na sequência, vai se espalhando para todo corpo. "Em muitas pessoas, geralmente adultas, esse pode ser o único sintoma", informa Lofego. "Mas o quadro pode evoluir para complicações maiores."

Na verdade, diz Lofego, os sintomas dos pacientes pode ser dividido em três categorias: leve (dor local suportável, queimação, formigamento), moderado (dor muito forte, náuseas, vômitos às vezes, respiração acelerada, taquicardia, salivação e sudorese), e grave (sintomas mais intensos, prostração, convulsão, coma, insuficiência cardíaca, edema pulmonar).

Segundo Lofego, a evolução para um quadro mais grave pode ser muito rápida - algo como uma ou duas horas. "Por isso, o atendimento imediato é fundamental, principalmente para crianças, que são as vítimas que geralmente apresentam o terceiro quadro de sintomas (grave) e podem morrer", alerta.

"Não ocorrendo a morte, normalmente a vítima se recupera sem sequelas."

Prevenção
Para evitar contato com escorpiões e o consequente risco de picadas, o recomendável é manter esses animais longe das residências.

"Para isso, deve-se evitar o acúmulo de lixo e mantê-lo bem armazenado e fechado, além de vedar ralos, frestas, soleiras de portas, afastar as camas das paredes e evitar que cobertas, lençóis e colchas encostem no chão, porque eles podem subir por elas", avisa Candido.

Depois que ocorre a picada, a solução é o soro contra o veneno, que neutraliza sua ação. Um dos centros de pesquisa que produz esse medicamento no Brasil é o Instituto Butantan, que possui um viveiro com cerca de 10 mil escorpiões.

Além disso, a instituição realiza pesquisas, com o objetivo de aumentar o conhecimento sobre a peçonha desses animais, para entender melhor seus efeitos no organismo humano.

Há ainda outras linhas de pesquisa no país, que buscam desenvolver novos medicamentos a partir do veneno dos escorpiões.

"Como ele é muito complexo em sua composição e apresenta ação biológica bastante variada e intensa sobre o corpo humano, tornou-se objeto de vários estudos de biotecnologia no Brasil e em outros países do mundo", conta o biólogo Claudio Maurício Vieira de Souza, da Divisão de Artrópodes do Instituto Vital Brazil, no Rio de Janeiro, no qual também são realizados estudos sobre esses animais.

Há inciativas, segundo ele, para desenvolver medicamentos imunomoduladores (que modificam a resposta do sistema imunológico e são usados, por exemplo, em pessoas que tiveram órgãos transplantados), de combate à hipertensão, de tratamento de tumores, antimicrobianos e produtos inseticidas, entre outros.

'Mutirões sem nenhum preparo'
Mas há algo mais urgente do que o desenvolvimento de novas drogas. "Tendo em vista a gravidade da situação, e com a perspectiva de que possa aumentar ainda mais a incidência de acidentes, as autoridade devem se mobilizar para desenvolver planos de ação, visando o controle desses animais com base em informações técnicas e pesquisas", recomenda Lofego. "Ainda falta muito estudo para entender melhor esse fenômeno, que é recente."

Ele conta que tem visto muitas ações extremamente amadoras em relação ao combate ao escorpião.

"Muitas vezes, são mutirões de pessoas sem nenhum preparo, procurando pelo animal desordenadamente, depois de alguns acidentes mais graves", critica. "Tudo é feito sem um plano estratégico, que inclua ações escalonadas de curto, médio e longo prazo, envolvendo as comunidades e campanhas educativas."

Lofego revela que na sua própria região, de São José do Rio Preto, a cerca de 450 km de São Paulo, por exemplo, a incidência de picadas é altíssima. "Mesmo assim, nós aqui da Unesp nunca fomos procurados pelos representantes públicos competentes para colaborar em um plano de controle desses aracnídeos", reclama. "Aliás, até sinalizamos com uma intenção de colaboração e não recebemos nenhum retorno."

Bem-Estar

Os perigos para a saúde que moram no seu banheiro

Desde germes em sabonetes e toalhas até riscos de acidentes, veja que precauções são indispensáveis nesse cômodo da casa

Alguns itens que parecem inofensivos no nosso banheiro podem trazer sérios riscos à saúde, segundo novos estudos. Desde as toalhas molhadas estendidas e compartilhadas, até o próprio sabonete ou os brinquedos de borracha para as crianças, todos podem acabar sendo transmissores de doenças para crianças e adultos.

"O banheiro é um lugar bastante complicado quando o assunto é higiene", disse John Oxford, professor emérito de virologia da Universidade Queen Mary, em Londres.

"As pessoas passam muito tempo limpando a privada, mas seria bom se todos prestassem mais atenção ao banheiro como um todo e usassem sprays desinfetantes para limpá-lo".

A segurança é outra questão importante no que diz respeito aos banheiros. Veja a seguir preocupações e dicas de especialistas:

Patos de borracha e brinquedos
Em estudo reportado pela imprensa britânica, o Instituto Federal Suíço de Ciência e Tecnologia Aquática e a Universidade de Illinois analisaram 19 brinquedos de banheira e identificaram fungos em 58% deles.

O líder do estudo aconselhou a não esguichar água do pato no rosto de uma criança, pois isso poderia causar "infecções nos olhos, ouvidos ou mesmo problemas gastrintestinais".

Cadeirinhas de banho
Como você dá banho em um recém-nascido? Os pais sabem que um bebê é delicado demais para sentar em uma banheira normal, então é comum usarem cadeirinhas especiais para mantê-los ali.

No entanto, essas cadeirinhas não oferecem 100% de proteção.

Um porta-voz da Sociedade Real pela Prevenção de Acidentes britânica disse à BBC que as "cadeirinhas de banho normalmente trazem uma falsa sensação de segurança, já que os bebês podem se afogar em apenas alguns centímetros de água. Isso pode acontecer em questão de segundos, e silenciosamente".

"É importante manter o bebê ao alcance do braço o tempo todo para você conseguir segurá-lo se ele escorregar na água, uma vez que ele não conseguirá se endireitar sozinho."


Sabão
O propósito de um sabonete é justamente limpar suas mãos e seu corpo - então esse é o último lugar onde você imaginaria encontrar germes.

Mas "a bactéria pode ficar no sabonete e passar de pessoa para pessoa", disse o professor John Oxford.

"O banheiro é o lugar ideal para um vírus permanecer e se espalhar pelos moradores da casa."

Oxford aconselha, nesses casos, a utilizar sabonete líquido em dispensador para reduzir os riscos.

O Instituto Nacional de Saúde britânico recomenda, também, que equipes de saúde pública usem sabão líquido e água morna para lavar as mãos.

Toalhas
A boa e velha toalha de secar a mão ou o corpo após o banho também pode abrigar germes. Por isso, especialistas orientam que elas não sejam emprestadas para ninguém.

Mas e quanto à toalha de mão que fica no banheiro compartilhado por todo mundo, inclusive pelas visitas? "Eu evitaria até isso. Os germes podem ficar na toalha por horas. Na verdade, uma toalha é um ótimo lugar para eles ficarem, já que é uma atmosfera úmida e propícia", afirmou.

"Meu conselho seria usar toalhas de papel descartáveis ou então toalhas (de uso) individual."

Superfícies escorregadias
A combinação de chão molhado e sabão cria o perigo de quedas graves no banheiro, que podem resultar em fraturas, cortes e hematomas - sendo os idosos os mais suscetíveis.

Uma estratégia para evitar isso pode ser forrar o chão com tapetes de borracha e antiderrapantes, além de instalar barras de apoio para as mãos em locais estratégicos.


As toalhas acumulam células mortas e secreções do corpo e, se forem usadas para secar o suor, acumulam uma quantidade ainda maior de resíduos (Foto: CDC/Amanda Mills)


Cuidados especiais para cachorros idosos

Assim como os seres humanos, os peludos também envelhecem. É preciso saber identificar estes sinais e oferecer mais conforto para o pet durante a melhor idade

Quem tem um cãozinho sabe que, em um determinado momento da vida, os sinais da idade começam a aparecer. Quando estão mais velhos, os cães tendem a ficar mais quietinhos e menos ativos. Apesar desta mudança ser comum, é importante estar atento aos detalhes para garantir ao cachorro os melhores cuidados nessa fase da vida.

O primeiro ponto a levar em consideração é que a velhice dos cães pode variar de acordo com o seu tamanho. Por isso, é importante prestar atenção ao porte do seu melhor amigo, já que este fator influenciará o momento em que seu pet precisará de cuidados especiais.

A lista abaixo aponta qual é a expectativa média de vida de acordo com os diferentes portes dos cães.

- Cães de porte pequeno, que pesam até 10 quilos, podem ser considerados idosos a partir dos oito anos. Esses cachorros podem viver até entre 13 e 16 anos de vida.

- Cães de porte médio, aqueles que pesam entre 11 e 25 quilos, normalmente têm uma expectativa de vida de 13 anos. São considerados idosos a partir dos 7 anos de idade.

- Cães de porte grande que pesam entre 26 e 40 quilos. Esses peludos têm uma expectativa de vida média de 10 anos. Considera-se que entraram na fase idosa aos 6 anos de idade.

- Cães de porte gigante são aqueles que pesam mais de 41 quilos. A expectativa de vida aproximada é de 9 anos de idade e são considerados idosos a partir dos 5 anos.

Apesar de ser um dos principais fatores para acompanhamento da idade do cão, o porte não é o único que deve ser considerado para oferecer o melhor tratamento para o seu animal de estimação. Fatores como raça, cuidados durante o crescimento, alimentação e atividade física também afetam como seu pet será na fase idosa.

Se o seu amigo peludo está entrando nessa fase de vida, que tal se preparar para os cuidados especiais que ele merece? Confira nossas dicas e aproveite a melhor idade do seu cãozinho:

Faça visitas periódicas ao médico veterinário

Ao atingir a terceira idade, seu cão precisará de maior frequência no acompanhamento com o veterinário.

Cachorros jovens e saudáveis costumam visitar a clínica veterinária uma vez a cada ano. Quando identificar sinais de velhice em seu cãozinho, garanta avaliações semestrais com o médico de sua confiança. Se for preciso de mais consultas, o veterinário irá indicar.

Fique atento aos sinais de doenças mais comuns em cães idosos

Há quatro problemas mais frequentes em cães idosos. Ao identificá-los com antecedência, é possível preveni-los ou, pelo menos, evitar que avancem ao diagnosticá-las cedo.

As alterações cardíacas podem acontecer em cães idosos. Uma rotina saudável de atividades físicas e passeios durante toda a vida pode ajudar a evitar esse quadro na velhice. Mas fique atento a sinais como tosse ou respiração ofegante, que indicam doenças no peito.

Cães de médio ou grande porte costumam ter problemas ortopédicos, como dificuldade para se levantar, subir escadas ou se locomover. Já cães de pequeno porte podem ter problemas de insuficiência renal. Fique atento caso o peludo perca o apetite, emagreça muito rápido, passe a beber muita água e fizer xixi a todo momento.

Cachorros com idade avançada também pode sofrer de disfunção cognitiva, que é uma degeneração similar ao Mal de Alzheimer. Neste caso, eles podem se tornar lentos e distantes, além de haver um regresso no aprendizado que receberam ao longo da vida.

Atenção à alimentação

Quando seu cachorro entrar na fase idosa, é importante dar uma atenção maior à alimentação e garantir que atenda às necessidades nutricionais que existem nesta fase. Por isso, opte pelas chamadas rações sêniores, que são ricas em ômega-3, zinco, proteínas e fibras.

Respeite os limites do seu cãozinho

Apesar de estar mais velho, é importante manter uma rotina saudável com seu pet. Não deixe de passear com ele - mas dê preferência para os horários em que o clima estiver mais fresco e sempre respeite os limites do seu amigão - não prolongue os exercícios para além do que ele aguenta.

Diminuição nos sentidos e na energia

Ao ficar mais velho, seu cão tende a ficar mais quietinho. Por isso, proporcione locais confortáveis e frescos, fora do sol e vento, para que ele possa se deitar tranquilamente.

Muitos cachorros também ficam desorientados na velhice pois perdem a visão, a audição e até mesmo o olfato. Não confunda essa fase com desobediência e, se preciso, faça adaptações na sua casa para acomodar melhor o animal.

Cuide da higiene

A higiene nos cães mais velhos é fundamental para evitar que eles desenvolvam problemas na pele e nos dentes.

Dê banhos em dias ensolarados e seque-o muito bem logo na sequência, para evitar doenças respiratórias. Incontinência urinária também pode ser comum. Por isso, mantenha a região genital limpa, assim como o local onde seu cão dorme.

Castração

A castração é recomendada para cães em todas as idades, mas há cuidados especiais quando estão na fase idosa. Em castração de cachorros em São Paulo tem se tornado cada vez mais recomendada, e há médicos veterinários que podem ajudar com o tratamento de cães idosos que serão castrados.

Chocolate pode causar danos graves nos pets, alerta veterinária

Cerca de 110gs de chocolate já são suficientes para dar intoxicação alimentar em cães de 3kg

A Páscoa está chegando e fazer um agrado para seu cachorro ou gato pode ter um efeito prejudicial a saúde do animal. Segundo a médica-veterinária da La Pet Cuisine e parceira da Pet Model Brasil, Dra. Juliana Fernandes, o chocolate é um dos principais alimentos que estão proibidos de serem consumidos pelos animais.

Além de serem ricos em gorduras e açucares, os chocolates – principalmente os mais puros, amargos e meio amargos, possuem cafeína e uma substância chamada teobromina, que pode causar intoxicação em cães. "Em grandes quantidades no organismo do animal, a teobromina vai causar excitação, aumento da pressão arterial, arritmias cardíacas, tremores e incontinência urinária. Já a cafeína vai levar ao aumento da frequência cardíaca e respiratória, hiperexcitabilidade, tremores e por vezes convulsões. Em casos mais graves, a ingestão de chocolate pode levar a convulsões e morte”, explica Dra. Juliana.

Para a médica-veterinária, até pequenas quantidades podem ser prejudiciais principalmente para cães de pequeno porte. "Não há doses seguras recomendadas para ingestão dessas substâncias. Estima-se que um cão de 3kg já apresenta sinais de intoxicação grave com aproximadamente 110gs de chocolate”, ressalta.

Embora o chocolate seja o grande vilão para os animais nesta Páscoa, Dra. Juliana também faz um alerta para outros tipos de alimentos que estão proibidos para consumo, como: cebola, uvas, carambola, macadâmias, alimentos com açúcar refinado e farinha branca. "Alguns dos ingredientes citados são perigosos apenas em longo prazo, enquanto outros podem causar reações adversas imediatamente após o consumo”, explica.

Petiscos são seguros?


Para Dra. Juliana a resposta é sim, mas desde que seja em pequenas quantidades e calculados por um veterinário nutrólogo ou zootecnista. "No geral, indicamos que a quantidade diária não ultrapasse 10% da ingestão calórica do dia, que deve ser reduzida do consumo de alimento do animal”, sugere.

Para a diretora da Pet Model Brasil, Deborah Zeigelboim, que diariamente acompanha pets em produções publicitárias, o bem-estar do animal faz diferença para desempenhar suas atividades de rotina. "Sempre orientamos e nos preocupamos sobre a alimentação saudável dos pets que trabalham conosco. A qualidade de vida deles deve estar em primeiro lugar”, afirma.

Atualmente, já existem pesquisas que comprovam que uma nutrição adequada pode reduzir o aparecimento de problemas de saúde, melhorar a disposição e até mesmo aumentar a expectativa de vida dos animais. "Procure um profissional para orientar sobre a melhor forma de alimentar o seu pet”, sugere Dra. Juliana.



Bem-Estar

Como identificar o que é fome e o que é gula?

Não existe uma dieta melhor que a outra. A dieta é uma escolha individual.

Qual a melhor dieta? Cortar o carboidrato? Cortar a gordura? Estudos mostram o que muita gente está cansada de saber: o importante é manter uma dieta equilibrada. O endocrinologista Bruno Halpern e a nutricionista Patricia Bertolucci falaram sobre o estudo no Bem Estar desta segunda-feira (26).

O estudo comprova que não existe uma dieta melhor que a outra, é uma escolha individual. Uma dieta que funciona para uma pessoa, não necessariamente funcionará para outra. O segredo está na saciedade.

E como identificar o que é fome e o que é gula? A repórter Nilessa Tait mostrou em mais um episódio do ‘Bem na fita’. "É preciso entender o que é vontade passageira e o que é vontade verdadeira e programada”.

Ficar sentado aumenta o apetite, diz estudo

Quando carregamos peso, o cérebro pode entender que estamos muito gordos e mandar sinais para diminuir o apetite. Cientistas estrangeiros descobriram que isso só é possível graças a um sensor até então desconhecido no nosso corpo e que detecta alterações de peso.

Os testes foram feitos em ratos, divididos em dois grupos. No primeiro, os pesquisadores implantaram capsulas com um peso 15% maior do que o corpo dos animais. No segundo grupo, os ratos receberam cápsulas vazias. Catorze dias depois, os ratos que ficaram mais pesados emagreceram. Já o outro grupo não perdeu peso.

Para os pesquisadores, a explicação está nas células do osso. Essa descoberta é uma comprovação a mais de como o sedentarismo leva à obesidade. Quando ficamos em pé, os ossos da perna sentem o peso do corpo e avisam o cérebro para comer menos. Já quando estamos sentados, os ossos não sentem a mesma carga e aí deixam de alertar o cérebro. Mas os médicos alertam: nada de colocar peso nas costas!



Bem-Estar

Depressão é a doença que mais rouba anos saudáveis dos brasileiros

Ninguém imagina que por trás de um bom emprego, da convivência tranquila com família e amigos, pode ter uma depressão.

Hoje, no mundo inteiro, mais de 300 milhões de pessoas sofrem com a depressão. Por isso, é muito importante conhecer os remédios e tratamentos que podem ajudar quem está sofrendo com a doença. Um estudo comprovou a eficácia dos medicamentos em casos graves, como mostrou o Bem Estar desta terça-feira (27).

E como identificar os casos? Os psiquiatras Daniel Barros e Fabio Martins Fonseca explicaram porque é importante entender os sinais que a depressão manda ao longo da vida.

Ninguém imagina que por trás de um bom emprego, da convivência tranquila com família e amigos, pode ter uma depressão. A doença tira a vaidade, o ânimo, até levar ao isolamento e a perda completa da vontade de viver.

O remédio é parte do tratamento. Para quem tem depressão é importante fazer terapia e atividade física.

Cada paciente tem um tratamento diferente para a depressão. Depende de quanto as atividades rotineiras são afetadas e o grau de sofrimento para executar aquilo que é necessário e/ou prazeroso. O remédio é ainda mais individual. Se o paciente tem excesso de sono, ele precisará de uma droga mais estimulante. Se for insone, uma que cause sonolência.

Casos mais leves podem ser tratados com exercícios e alterações ambientais. Eles podem ser mais eficientes e trazerem mais benefícios do que os remédios. Se o caso for grave, além dos remédios é preciso investir também em melhora dos outros fatores.

Renato Piovan

Decisão do Supremo Tribunal Federal dá 'fôlego' a Lula

Apesar de ter sido suspensa a sessão do Supremo Tribunal Federal (STF) que analisaria o mérito do habeas corpus preventivo apresentado pelo ex-presidente Lula, a maioria dos ministros decidiu conceder uma liminar que impede a prisão do petista até que seja retomado o julgamento pela corte. A decisão vale até o dia 4 de abril.

Essa decisão do STF não impede o julgamento do último recurso de Lula no Tribunal Regional Federal da 4ª Região (TRF4), previsto para segunda-feira, dia 26 de março. É o último recurso de Lula contra a condenação a 12 anos e um mês de prisão na ação penal do triplex do Guarujá (SP), no âmbito da operação Lava Jato, da Polícia Federal.



Como alimentar corretamente os seus filhotes?

*Por René Rodrigues Junior

Cuidar de um pet é uma grande responsabilidade e exige uma série de cuidados. Os principais estão relacionados à alimentação, afinal, a nutrição do animal influencia diretamente a sua saúde. Quando se leva um cão ou gato filhote para casa, é natural que surjam algumas dúvidas sobre a melhor maneira de alimentá-lo, e nesse período ideias equivocadas são comuns.

Muitos pensam, por exemplo, que nos primeiros meses a ração é "dura demais” para os animais, ainda pequenos e frágeis. Para "poupá-los”, então, os donos costumam umedecer a ração e fazer "papinhas”, o que não traz nenhum benefício ao bichinho. O processo de mastigação é necessário e muito importante para o desenvolvimento, e não deve ser evitado. Se isso acontecer, é provável que seu pet comece a morder as cadeiras, o pé da mesa e da sua cama – o que, certamente, não é nada agradável.

Hoje, o mercado dispõe de diversos tipos de alimentos para cães e gatos, entre secos, semiúmidos e úmidos. Para não errar em meio a tantas opções, o ideal é buscar alimentos específicos para filhotes, que devem ser a base de suas refeições até que se tornem adultos.

Um grande erro cometido pelos donos é oferecer aos pets comidas indicadas para seres humanos, como bolachinhas, torradinhas e pães. Isso não pode ser feito! O ideal é sempre dar a eles um alimento próprio, que, no processo de industrialização, recebe os nutrientes necessários para se tornar completo e balanceado para os bichos. O mercado conta, também, com diversos tipos de petiscos que têm os nutrientes ideais para o seu bichinho.

Em outros casos, o dono adota um pet que já tinha hábitos alimentares definidos, mas inadequados. O que fazer nessa situação? É importante ressaltar que as mudanças na alimentação sempre devem ser feitas de maneira gradativa, para facilitar a adaptação do cão ou gato.

Outra dúvida comum em relação às refeições dos animais diz respeito à quantidade oferecida. Atente-se às informações das embalagens, que geralmente contêm uma tabela a ser seguida. Para fazer a medição, a melhor forma é usar um copo com indicação de peso ou uma balancinha, para garantir que a quantidade certa seja dada. O ideal é dividir a porção diária recomendada para o seu animal em três refeições, equivalentes ao café da manhã, almoço e jantar.

* René Rodrigues Junior é médico veterinário da Magnus, fabricante de alimentos para cães e gatos.



Renato Piovan

Governo Federal quer liberar até 40% da carga horária do Ensino Médio para ser realizada a distância

O Governo Federal quer liberar até 40% da carga horária total do Ensino Médio para ser realizada a distância. Para a Educação de Jovens e Adultos (EJA), a proposta é permitir que 100% do curso seja fora da escola. A reforma do Ensino Médio, aprovada em 2017, abriu a brecha ao ensino online (possibilidade vetada anteriormente). Agora, resolução que atualiza as Diretrizes Curriculares Nacionais do Ensino Médio prevê essa regulamentação da carga horária.

O texto já teve uma primeira discussão no Conselho Nacional de Educação. Após a definição das diretrizes, caberá a cada rede pública ou escola privada regulamentar formatos e ferramentas do ensino. As regras debatidas autorizam que qualquer conteúdo escolar previsto no currículo possa ser dado a distância. Se aprovado, os alunos podem ter dois dias de aulas por semana fora da sala.



Páscoa se aproxima; chocolate é veneno para os cães

Substância presente no cacau pode afetar os sistemas cardíaco, nervoso e respiratório

A Páscoa está chegando e, com ela, surgem as versões mais irresistíveis de chocolate. Nem mesmo os cães estão imunes a tamanha tentação, mas cuidado: essa guloseima pode ser um veneno para seu pet. A teobromina, presente no cacau, é uma substância altamente tóxica para os animais, afetando os sistemas cardíaco, nervoso e respiratório. Quanto maior a quantidade de cacau, maior o dano.

Esse fato, no entanto, não libera o chocolate branco. Feito de manteiga de cacau, o doce contém menos teobromina que os escuros, mas a substância fica acumulada e permanece no organismo do bichinho por vários dias. Quanto menor o pet, maior o efeito sobre ele. Estima-se que a dose tóxica para um pug com 9 kg, por exemplo, seja em torno de 150 g de chocolate. Para um golden retriever com 34 kg, a quantidade considerada tóxica é cerca de 400 g.

O vômito é o sintoma mais comum da intoxicação, seguido de agitação e aumento da frequência cardíaca. Os animais ainda podem apresentar incontinência urinária e aumento da temperatura corpórea. Se o dono do animal notar qualquer um deles, deve procurar um veterinário imediatamente. Quanto mais tempo demorar o atendimento, maior o risco para o cão.

O tratamento pode variar, incluindo a aplicação de um medicamento para induzir o vômito ou de carvão ativado para impedir a absorção de teobromina pelo organismo. "Há casos em que é necessário interná-los para controlar os sintomas", explica Ricardo Cabral, veterinário da Virbac, especialista em saúde animal. "Em situações extremas, o animal pode sofrer uma hemorragia intestinal que, se não for tratada a tempo, pode ser fatal", alerta.

Para evitar que os pets comam chocolate, a primeira medida é mantê-los longe dos doces. Outra dica é recorrer aos similares desenvolvidos especialmente para eles. Livres da substância tóxica, esses produtos podem ser encontrados em pet shops de todo o país.

'Pet book' ganha cada vez mais adeptos e faz sucesso entre os tutores

Confira as dicas de um fotógrafo e prepare seu pet

s animais se tornam cada vez mais integrantes das famílias. Eles são considerados grandes amigos e as vezes são tratados até como filhos pelos tutores. Se você também é assim, já pensou em registrar imagens desses companheiros em um ensaio fotográfico profissional? O "pet book", que são fotos produzidas com cães, tem conquistado cada vez mais pessoas, como o fotógrafo Guilherme Soares. Ele, que trabalha há 10 anos com fotografia profissional, resolveu investir neste setor.

"O objetivo de quem procura por este tipo de trabalho é ter um registro à altura do sentimento da pessoa por seu pet. Afinal, eles merecem um belo retrato. A procura, com certeza, está bem maior que antigamente. As pessoas estão querendo ter um bom registro de um ser que, com certeza, faz parte da família. Ter um pet é um dos maiores atos de amor puro que um ser humano pode vivenciar. É uma relação simples, porém intensa"

Mesmo na correria do dia a dia, o assistente social João Paulo Fonseca, de 30 anos, conta que ele e o Boris, um rottweiler de três anos, se tornaram companheiros inseparáveis. Ele conta que sempre dá um jeito de conseguir um tempo para curtir o grande amigo e encontrou no registro das fotos uma m"Eu tenho uma história de carinho muito grande com animais. Sempre gostei, desde pequeno, de cães, mas nunca tive como registrar esses momentos. E foi na fotografia que encontrei uma maneira de guardar esse amor que tenho pelo meu Boris”.

João Paulo ainda explica que apesar do tamanho, Boris é um rottweiler tranquilo e sociável, e tinha certeza de que ele se sairia bem no ensaio. Tudo foi planejado para ser algo natural e confortável para o pet, desde o local escolhido para as fotos. "Como eu queria algo natural, retratar mesmo o meu cotidiano e a rotina com o meu cão, resolvi fazer as fotos durante o meu treino, já que fazemos isso todos os dias com o propósito de propiciar uma qualidade de vida para ele”.aneira divertida de marcar para sempre o carinho ao pet.

Dicas para belas fotos

Tirar fotos de cachorro é sempre um desafio, já que os bichinhos dificilmente param quietos. E os ensaios são personalizados de acordo com os desejos do dono e podem durar de minutos a horas, dependendo da complexidade das fotos, do número de participantes e da locação escolhida. O fotógrafo Guilherme Soares dá algumas dicas para que durante o ensaio ocorra tudo bem.

"Cada ensaio é diferente. Geralmente traçamos um roteiro para nos guiar, mas o acaso sempre traz boas fotos. Fazemos um briefing antes do ensaio, perguntando como e onde o pet se sente melhor. Durante o ensaio devemos tentar ganhar a confiança do pet, tentar dizer que não somos uma ameaça e brincar como amigos. Após o ensaio carinho e muitas lembranças para harmonizar tudo”, explica o profissional.

Uma outra maneira de fazer com que os animais se sintam mais à vontade é procurar por ambientes mais naturais. Mas não importa o local escolhido, levar biscoitinhos, brinquedos e outros recursos para chamar a atenção do bichinho são necessários. "Petiscos de agradecimentos são sempre bem-vindos. Se você quer algo deles deve dar alguma coisa em troca. Se ele tiver algum brinquedo favorito vai ser útil para a ambientação. Não leve má vontade, os pets são sensíveis, e se você não estiver em sintonia com ele nada sairá bem”, comenta Guilherme.

Como todo cão de raça, os shih tzu também têm suas doenças típicas. No caso do Thor, de três anos, uma doença crônica chamada displasia renal. E devido a isso, sua tutora, a médica Déborah Maria Araújo, de 29 anos, planejou fazer o ensaio para ter para sempre uma lembrança do amigão.

"Thor é minha paixão divina; como gosto de chamá-lo. Há um ano descobri que ele tem uma doença crônica, e infelizmente essa doença em algum momento irá tirá-lo de mim. E eu não queria que nossa relação fosse esquecida. Apesar de ter um milhão de fotos dele no meu celular, queria algo que eu pudesse olhar e lembrar de como somos, de como ele é”, relata Déborah Maria.

Cães, modelos...
O resultado das fotos pode ser surpreendente. Como é o caso do ensaio realizado pelo publicitário Frederico Cordeiro Oliveira, de 25 anos, junto com o Charlie. A espontaneidade de certas poses, e o figurino do animal, gera graça e naturalidade às fotos.

"Eu fiquei sabendo do projeto, em que os pets são os modelos principais e decidi participar junto com o Charlie. Eu achei muito legal porque sempre sonhei em ter fotos profissionais com meu cachorro porque eu gosto demais dele, ele pra mim é como se fosse um filho. Nós fizemos o ensaio no centro de Montes Claros, no Quarteirão do Povo. Devido ao nosso estilo, queríamos algo mais urbano; gastamos menos de duas horas para finalizar o ensaio", conta o publicitário.

Bem-Estar

Menopausa: mudanças e sinais

Muitas das mudanças no corpo ocorrem por causa das alterações hormonais

Quando a mulher entra na menopausa, ela passa por algumas mudanças – aumento de peso, a fome aumenta, o gasto energético diminui e a composição do corpo também muda, e isso aumenta o risco cardíaco em até 15%. Quais sinais as mulheres devem prestar atenção? Convidamos a endocrinologista Cintia Cercato e o cardiologista e consultor do Bem Estar Roberto Kalil para falar sobre o assunto.

Muitas das mudanças no corpo ocorrem por causa das alterações hormonais. Os ovários deixam de funcionar e com isso há uma queda acentuada na formação de estrogênio (hormônio feminino).

O estrogênio tem um papel importante no balanço enérgico, relacionado com o aumento de apetite e redução do gasto de energia. Durante o período da menopausa, essa queda contribui para o aumento de dois a cinco quilos na mulher. O hormônio também contribui para o HDL, ou seja, sem ele, há aumento de colesterol.

Com a queda do estrogênio e o acúmulo da gordura abdominal, o risco cardiovascular aumenta de 10% a 15% durante a menopausa. Fatores de risco como estresse, sedentarismo, tabagismo, hipertensão, obesidade e características familiares aumentam o risco de doença cardiovascular em todas as idades.

Existe prevenção? A melhor forma de se preparar é manter os hábitos saudáveis, conversar com seu médico sobre indicação ou não da reposição hormonal e fazer um check-up para se prevenir de fatores de risco como hipertensão, diabetes e obesidade.

Renato Piovan

STF é a última alternativa para que Lula evite prisão

CHARGE por Renato Piovan

Depois de ver um habeas corpus ser negado por unanimidade pelo Superior Tribunal de Justiça (STJ), a última esperança da defesa do ex-presidente Lula contra a prisão reside no Supremo Tribunal Federal (STF).

O petista poderá ser obrigado a cumprir, em breve, a pena de 12 anos e um mês, a que foi condenado pelos crimes de corrupção e lavagem de dinheiro, no caso do triplex.

A expectativa é que o TRF-4, que condenou Lula em segunda instância, julgue a apelação da defesa ainda este mês, logo após o fim das férias do desembargador Victor Laus, que volta ao trabalho no próximo dia 23.



Entidade faz rifa e pede doações para cachorra que precisa de cirurgia urgente, em Assis

O valor total dos custos da cirurgia é de aproximadamente R$2 mil

A entidade Coisa de Bicho está realizando uma campanha para conseguir ajuda para uma cachorra que precisa passar urgentemente por uma cirurgia, em Assis.

Lívia, como foi apelidada, foi encontrada após ter sido atropelada. Ela foi socorrida por uma voluntária da entidade e encaminhada ao veterinário.

O diagnóstico mostrou que a cachorrinha poderá voltar a andar caso faça a cirurgia até esta terça-feira, 6. O valor de todo o procedimento terá um custo de aproximadamente R$2 mil e por isso a entidade pede ajuda aos assisenses.

Os interessados em ajudar podem adquirir rifas, juntamente com os voluntários, ou podem ir diretamente até o Hospital Veterinário de Assis e fazerem a sua contribuição.

Os telefones de contato são (18) 99608-3418 ou (18) 99726-2181. Para mais informações, acesse a página.


Cachorrinha Lívia precisa de doações para cirurgia


Renato Piovan

Neymar inicia recuperação após cirurgia e será reavaliado em seis semanas

CHARGE por Renato Piovan

Crise política no Brasil? Eleições? Oscar 2018? Vídeo no celular na horizontal ou vertical? Nada disso. Não se falou em outra coisa no país nesta semana que não fosse a tal da cirurgia do quinto metatarso do craque e grande esperança da seleção na Copa 2018, Neymar. O tal do quinto metatarso é conhecido, popularmente, como dedinho.

A cirurgia ganhou até plantões especiais ao vivo nos canais esportivos e grandes explanações nos telejornais da TV aberta. Nada de intervenção no Rio de Janeiro. O povo precisa saber como está o dedinho do pé do namorado da Marquezine.

Os mais exaltados (ou desocupados?) criaram até a campanha "Força Neymar”, na torcida para que o craque de R$ 820 milhões esteja inteiro para a Copa do Mundo na Rússia, que começa em junho.

Mas se existe alguém que deve estar empenhado na campanha "Força Neymar” é o senhor Adenor Tite. Além de não ter o seu mais importante jogador justo no reencontro amistoso com a Alemanha (aquela do 7 a 1), a grande preocupação do treinador da Seleção não está apenas na contusão e na recuperação. Neymar já terá de voltar a jogar em maio e muito bem tanto fisicamente, tecnicamente e, fundamental, psicologicamente (o que, convenhamos, não é o ponto forte dele).

Fiquemos na torcida. Força Neymar! Força Tite!



Sufoco na hora do remédio? Confira dicas de como medicar corretamente os pets

Saiba o que fazer e, principalmente, o que não fazer na hora de dar algum remédio para o seu bichinho

Quem tem animal de estimação sabe o sufoco que é na hora de dar algum remédio. Alguns são mais tranquilos, mas outros dão "um baile" na hora de engolir um comprimido ou tomar algum outro remédio.

Mas, afinal, existe algum jeito "infalível" de fazer isso? Uma das técnicas mais usadas é esconder o comprimido dentro de alguma comida. A Patrícia Muniz, dona do Cisquinho, diz que é a solução que mais dá certo. "Costumo misturar no meio dos sachês e eles adoram”, garante.

Dona da Brenda, da Pretinha e da Meg, a empresária Cyndi Rosa diz que o método também funciona muito bem com as cachorrinhas. "Dou um pedacinho de alguma coisa que elas gostem muito. Aí logo em seguida, dou outro pedaço com o comprimido dentro. Elas nem percebem.”

No entanto, é preciso ter atenção, pois, além do disfarce não ser sempre eficiente, se o animal perceber que está sendo "enganado” e não ingerir todo o alimento, ele receberá uma subdosagem do medicamento.

Segundo o médico veterinário Juliano Caçador, não são todos os medicamentos que podem ser dados junto a alimentos e, por isso, é extremamente recomendado checar com um profissional antes. "É importante ficar atento também para a doença que está sendo tratada. Em alguns casos, existem certos alimentos que o animal não pode ingerir", diz.

O veterinário também alerta para os riscos de diluir o remédio. "Diluir não é a opção mais indicada, pois cada medicamento tem suas particularidades. Quando diluímos, podemos causar alterações no tempo de ação no organismo", afirma.

A médica veterinária Thais Helena Desjardins Bergonso enfatiza, ainda, que, diluir pode deixar o medicamento com um gosto amargo, o que pode causar vômitos.

A fotógrafa Carolina Rohwedder, dona dos gatos Renoir, Amora e Mia, usa o método de colocar o comprimido diretamente na boca.

"Às vezes, costumo usar aquela técnica de pegar por trás do pescoço e colocar o comprimido no cantinho da boca. Com o Renoir e a Amora deu certo, mas a Mia... Nem com reza vai!”, diz.

A técnica é muito utilizada com gatos, mas é preciso realizar o procedimento da forma correta. "É preciso colocar o comprimido bem no fundo da garganta, acessando pela lateral da boca", explica o veterinário. Não é recomendado tampar a boca do animal, pois pode fazer com que ele se apavore para respirar.

A dica nesse caso, segundo Thaís Bergonso, é esfregar levemente o focinho ou passar a mão na região da garganta, para estimular o animal a engolir. Após o procedimento, o dono deve se certificar de que todo o medicamento foi engolido.

Uma das opções disponíveis no mercado para auxiliar nesta técnica são os aplicadores de comprimidos. Eles possuem a ponta de silicone e evitam que o dono precise colocar os dedos dentro da boca do animal.

É importante que o aplicador seja de plástico e com ponta de silicone, caso contrário, pode ferir a boca do bichinho.

"Para os medicamentos líquidos, a forma mais recomendada e segura é utilizar uma seringa", afirma Thaís.

Gosto ruim

O principal motivo dos pets se recusarem a ingerir os medicamentos é por causa do gosto. "Alguns deles costumam salivar, ter náuseas e até vomitar depois de tomarem algum remédio", afirma a dra. Thaís Bergonso. Uma alternativa são os remédios com sabores, que são mastigáveis e possuem um cheiro mais agradável.

Uma farmácia especializada em medicamentos veterinários, com unidades na região de Bauru (SP), Sorocaba (SP) e São José do Rio Preto (SP), oferece, por exemplo, um produto chamado "Hamburguito", que segue essa proposta.

O produto é uma forma farmacêutica palatável com o sabor de carne similar ao hambúrguer. Ele tem como finalidade mascarar o odor e sabor amargo dos medicamentos garantindo a adesão ao tratamento.

"Em testes realizados com Silimarina e outros ativos com gosto mais amargo, a aceitação foi 100% já que sua é composição diferente do biscoito medicamentoso, produto que nem todos aceitam”, afirma Renata Piazera, farmacêutica responsável.

Renato Piovan

Reforma da Previdência x Reeleição

CHARGE - por Renato Piovan

No tabuleiro da sucessão, pelo que tudo indica o presidento Michel Temer vai sacrificar a reforma da Previdência por uma possível candidatura à reeleição. Temer voltou a cogitar a reeleição porque nenhum candidato do centro para a direita decolou, após o ex-presidente Lula tornar-se inelegível pela Lei da Ficha Limpa. Sem ele nas pesquisas, apenas Bolsonaro se manteve na casa dos dois dígitos, ainda assim no mesmo patamar a que chegou no meio do ano passado.

O atual governo decidiu ser protagonista na eleição e, dentre as várias medidas que vem adotando, a mais popular (e de mais alto risco) é a intervenção na segurança pública do Rio. Enquetes feitas na internet mostram que, pelo menos no primeiro momento, a população aprovou.



Renato Piovan

Intervenção militar na segurança do Rio de Janeiro

CHARGE por Renato Piovan

O presidento e destaque de Escola de Samba, Michel Temer, assinou na sexta-feira o decreto de intervenção federal na segurança pública no estado do Rio de Janeiro. A medida prevê que o general do Exército, Walter Souza Braga Netto (do Comando Militar do Leste), será o interventor no estado. Ele assume até o dia 31 de dezembro de 2018 a responsabilidade do comando da Secretaria de Segurança, Polícias Civil e Militar, Corpo de Bombeiros e do sistema carcerário no estado do Rio.

A intervenção já está em vigor, mas o decreto precisa ser aprovado pelo Congresso Nacional para continuar valendo. Na prática, com a intervenção, o governo federal assume o comando da segurança pública do estado, com a prerrogativa, inclusive de reestruturar as instituições e demitir e contratar pessoa para atuarem na segurança.



Renato Piovan

Presidento Temer onipresente na programação de TV

Confira a charge de Renato Piovan

Tentando emplacar a lenga lenga de sua reforma da Previdência, o presidento Michel Temer marcou presença nesta semana em diversos programas da TV brasileira que, como todos sabem, não prima pela qualidade de seu conteúdo.

Ele foi aos programas comandados por Amaury Jr. (que certamente ninguém viu), Silvio Santos e Ratinho. O presidento e Silvio Santos travaram um diálogo mais bem ensaiado que as tabelas Pelé/Coutinho e no programa do pequeno rato ele respondeu a perguntas dos "telespectadores" (aham).

Informações dão conta de que Temer também será a próxima atração da Tela Quente, na Rede Globo, estrelando o filme "O Exterminador do Futuro".



Como aplicar papel de parede

O papel de parede é uma excelente solução para deixar o ambiente com a sua cara! Para garantir um ótimo resultado na hora da instalação, é só seguir as dicas que preparamos para você.

Você irá precisar de:
Papel de parede - confira a nossa variedade de modelos para deixar a sua casa mais bonita!

Materiais
Cola universal.

Ferramentas
Esponja, tesoura, estilete, trena, régua de aço com 2 metros, fio de prumo, balde para cola, pincel e trincha (ou rolo), escova, espátula lisa, rolinho, escada.

Siga o passo a passo do vídeo para instalar o seu papel de parede!



Bem-Estar

Aprenda a fazer o suco que combate a celulite

Ingredientes
1/2 abacaxi;
Folhas de hortelã;
1 litro de chá verde;
Gengibre a gosto.
Modo de preparo
1 - Basta bater no liquidificador abacaxi, hortelã, chá verde e gengibre.

2 - Beber imediatamente com bastante gelo e sem adoçante ou açúcar. (Caso quira adoçar, pode colocar uma colher de mel).

Dicas:
Ele é um suco com fortes propriedades diuréticas, graças à combinação do chá com o abacaxi.
A hortelã tem propriedades desintoxicantes e o gengibre, a capacidade de acelerar o metabolismo e queimar gordura.


Renato Piovan

Tribunal condena Lula em segunda instância

CHARGE POR RENATO PIOVAN

O Tribunal Regional Federal da 4ª Região condenou o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, mantendo a sentença imposta a ele pelo juiz federal Sergio Moro. Os três desembargadores consideraram o petista culpado pelos crimes de corrupção passiva e obstrução de justiça no caso do triplex em Guarujá. Eles também aumentaram a pena: de nove anos e seis meses para doze anos e um mês. A defesa, no entanto, ainda poderá tentar inocentar Lula nas instâncias superiores (Superior Tribunal de Justiça e Supremo Tribunal Federal). Mas, após o julgamento dos embargos no TRF-4, poderá ser expedida ordem de execução de sentença. Nesse caso, enquanto recorre ao STJ e depois ao STF, Lula já poderá estar preso.



Bem-Estar

Cuidado com água no ouvido; casos de otite são comuns em crianças durante o verão

Um dos sintomas que mais incomodam os pequenos é a dor

A inflamação do ouvido, conhecida também como otite, pode se tornar um pesadelo nas férias da criançada. Isso por que o período de recesso escolar coincide com o verão e a alta temporada de piscinas, clubes e praias. Os resquícios de água na orelha após a diversão criam um ambiente úmido propício para o crescimento de bactérias ou fungos, podendo causar a otite externa.

Sofrer com a dor é uma das partes mais difíceis para as crianças quando são acometidas pela otite. Além da vermelhidão na área, a dor é intensa e pode ser agravada até mesmo ao encostar ou apertar a orelha, o que resulta frequentemente em choro e um grande incômodo para os pequenos.

Em crianças menores pode ser um pouco mais difícil identificar a otite, já que elas não conseguem falar que sentem dor. "Os pais devem observar o comportamento. Por exemplo, quando for mamar ou comer, em um quadro de otite, na hora de engolir pode doer e a criança exprimir isto chorando, principalmente nos casos de otite média – que é da timpânica para dentro", explica o médico Jairo Barros do Instituto Brasiliense de Otorrinolaringologia (IBORL).

Nos casos de otite externa, os pais vão notar vermelhidão e inchaço na orelha, acompanhados de muita dor quando tocada mesmo que levemente. Além disso, a criança passa a levar a mão ao ouvido várias vezes, como se algo estivesse errado. Antes de ir ao médico, para amenizar a dor, pode-se fazer uma compressa morna e colocá-la no ouvido externamente.

Quando percebido o incômodo na orelha, um dos erros comuns é usar cotonetes para limpar dentro do ouvido no intuito de melhorar. Porém, esta ação é altamente contraindicada, já que, tanto em crianças quanto em adultos, isto pode causar perfuração da membrana timpânica. "Cotonetes, grampos, pontas de caneta... nada disso deve ser introduzido no ouvido. Além de ferir, pode ser porta de entrada para diversas infecções", alerta.

Como não há prevenção para a inflamação, a orientação médica é cuidar do ouvido após o contato com a água. "Às vezes, no consultório, quando examinamos a orelha da criança é comum encontrarmos grãos de areia dentro. Esses corpos estranhos podem machucar o ouvido e trazer infecções", explica o otorrinolaringologista. Por isso, depois da brincadeira na água, durante o banho, é importante lavar a parte externa da orelha com água corrente para tirar o excesso de areia ou até mesmo de cloro, geralmente encontrado em piscinas.

Identificados os sintomas, os pais devem procurar imediatamente um pronto-socorro pois, se não tratada, a otite pode comprometer até mesmo a audição. Uma vez com otite, as crianças não podem ter nenhum contato do ouvido com a água até serem examinadas adequadamente por um médico para que o tratamento seja iniciado corretamente.

Mas calma! Não precisa privar os pequenos da diversão. "Algumas crianças são mais propensas a terem otite, outras não. Caso ela não apresente nenhum sintoma e não haja nenhum outro motivo que impeça a brincadeira, ele não deve ser afastado das atividades comuns das férias", finaliza o doutor Jairo.

Cachorro da raça Shitzu está desaparecido desde sexta-feira, 12, no Centro de Assis

Beethoven, como é chamado, tem a pelagem preta e branca

Um cachorro da raça Shitzu está desaparecido desde sexta-feira, 12, nas imediações da Rua Sebastião da Silva Leite, no Centro de Assis.

Segundo a sua tutora, Beethoven, como é chamado, fugiu enquanto a moradora recebia uma encomenda no portão e desde então não foi mais visto.

Ele tem a pelagem branca e preta, é de pequeno porte e muito dócil. Ele não usava coleira e está com os pêlos do corpo mais curtos, enquanto a orelha está mais comprida.

Caso alguém tenha informações sobre o seu paradeiro, pode entrar em contato pelo telefone (18) 99628-2182.


Beethoven


Vira-lata é o cão preferido dos brasileiros, segundo pesquisa

Entre os entrevistados que têm animais em casa, 79% dos pesquisados são responsáveis por cães; 39%, por gatos; 19%, por aves; e, 10%, por peixes

Você já parou para pensar sobre qual a raça de cães mais querida pelos brasileiros? De acordo com uma pesquisa online realizada pelo Instituto Qualibest, os vira-latas são os preferidos por 41% dos entrevistados.

Entre os entrevistados que têm animais em casa, 79% dos pesquisados são responsáveis por cães; 39%, por gatos; 19%, por aves; e, 10%, por peixes.

A pesquisa mostrou que 41% dos brasileiros preferem os vira-latas. Em seguida, estão os da raça Poodle, com 11% de preferência; Pinscher, com 7%; Labrador, 5%; e, Pit Bull e Lhasa Apso, com 3% cada.

O estudo revelou outros dados sobre os animais domésticos. A grande maioria dos entrevistados (72%) afirmam que o cão de casa é tratado como um membro da família. Outros 27% dos pesquisados admitem que comemoram os aniversários dos bichinhos.

Além disso, 28% dividem a cama com seus companheiros, e outros 61% dizem sentir falta de algum produto ou serviço no segmento de PETs.

A pesquisa foi feita com homens e mulheres, de 18 anos ou mais, entre todas as classes sociais.

Filhotes abandonados no dia do Ano Novo precisam de um novo lar, em Assis

Eles estão disponíveis para adoção responsável

Na tarde do dia 1° de janeiro, Ano Novo, os filhos da assisense Edna Furtado passavam por uma estrada rural de Assis, quando avistaram seis filhotinhos de cachorro abandonados.

Segundo Edna, chovia muito e eles estavam todos desprotegidos, além de não terem água nem ração.

"Isso aconteceu no dia de Ano Novo, mas eu acredito que já fazia uns dias que eles estavam por ali. A estrada é muito movimentada e eles corriam risco até de serem atropelados, sem dizer que estavam na chuva, com frio, sem água e sem comida. Meus filhos viram a situação e trouxeram aqui para casa. Nós acolhemos e desde então estamos cuidando deles, mas já tenho outros três cachorros e não posso ficar com mais esses, infelizmente", afirma.

Os filhotinhos são quatro machos e duas fêmeas, sendo que um dos machos tem um problema no olho e Edna acredita que ele seja cego.

"Não sabemos se ele nasceu assim ou se machucou, mas precisava de alguma forma de ajuda, nem que seja um veterinário para avaliá-los. Nós gostaríamos que as pessoas pudessem adotá-los de forma responsável. Eles são de porte pequeno para médio, acredito que uma mistura entre Fox Paulistinha e Pinscher", salienta.

Os filhotinhos já comem ração e se alguém puder adotá-los, pode entrar em contato com Edna pelo telefone (18) 99618-7211.

Confira as fotos:








Eles estavam abandonados em uma estrada rural de Assis


18 cuidados para os cães no verão

O zootecnista e especialista em comportamento animal, Renato Zanetti indica alguns cuidados para aproveitar o verão na companhia do pet

Começou o verão está chegando e este é o momento ideal para praticar atividades ao ar livre com o animal de estimação. Passeios no parque, na rua, na praia é sempre uma boa pedida para garantir o bem estar dos pets.

Pensando nisso, o zootecnista e especialista em comportamento animal, Renato Zanetti, listou 18 cuidados para aproveitar a estação de maneira segura com o seu cão. Confira:

SOL

1. Não passeie em horários de sol forte (entre 10h e 16h) quando, tanto o ambiente quanto o chão, estão muito quentes. Nestes horários, é real o risco de o cão queimar as patas (coxim) ao andar no asfalto ou calçada (mesmo para curtos passeios). O raio do sol que incide sobre o cão é tão prejudicial quanto ao raio de sol que reflete no chão e incide no cão. Pense nisto.

2. Cães com focinho curto sofrem ainda mais com os dias quentes, pois a troca de ar para regular a temperatura é prejudicada pela sua anatomia. Passeie apenas nos horários mais frescos.

3. Garanta água fresca em abundância, tanto durante os passeios, quanto em casa.

ÁGUA

4. Cuidado com as primeiras vezes do cão em contato com o mar, pois ele pode se sentir desconfortável com a novidade (barulho, movimentação das ondas, espuma da água, muitas pessoas por perto, etc.).

5. Não force o cão a nadar por longas distâncias se ele não estiver acostumado. Atividade física num novo ambiente precisa ser prazerosa e, não, um suplício.

6. Na piscina, garanta que o ele consiga sair da água para evitar problemas caso entre sem supervisão humana. Certifique-se se há escada ou rampa de fácil e livre acesso.

7. O acúmulo de sal do mar ou cloro da piscina pode ser irritante à pele do seu cão. Assim, o excesso deve ser removido com água doce.

8. Seque o cão após atividades aquáticas para evitar fungos e outras dermatites.

TERRA

9. Escove diariamente o pelo do seu cão quando ele tiver contato com areia e terra. O acúmulo na pele do cão de areia da praia ou terra do campo pode ser irritante e seu excesso pode ser removido.

PELOS & PELE

10. Atividades ao ar livre expõem o cão ao vento, água do mar, piscina, areia, grama, etc. Desta forma, é importante ter atenção especial para minimizar os efeitos do acúmulo de sujeira. Assim, dê banhos regulares e realize escovação diária.

11. Pelos longos merecem cuidados maiores, pois o risco de embaraçar é maior, comparando com os pelos curtos. Mas ambos os casos merecem atenção redobrada após atividades ao ar livre.

12. Proteja com bloqueador solar áreas claras ou sem pigmentação. O risco de câncer de pele é real.

DOENÇAS TÍPICAS

13. Atenção especial à prevenção contra pulgas e carrapatos, pois áreas ao ar livre podem receber outros cães e outras espécies (como cavalos ou animais nativos, por exemplo) aumentando-se o risco de infestação.

14. Observe casos de diarreia e vômitos (provenientes de viroses, ou por ingestão de água do mar ou da piscina, com cloro). Ambos os casos devem ser tratados pelo médico veterinário.

CARRO

15. Em qualquer estação, mas pior ainda no verão, NÃO deixe seu cão dentro do carro com os vidros fechados e sem ventilação. Aquela rápida ‘corridinha’ até o mercado pode ser fatal. O cão produz calor, o ambiente externo produz calor, não há troca de ar que está dentro do carro e a consequência, caso a situação fique crítica dentro do carro, é fatal.

16. Em viagens longas, vale realizar paradas periódicas para seu amigo esticar as pernas, hidratar-se e fazer suas necessidades.

VETERINÁRIO

17. Antes de pegar a estrada com seu cão, leve-o para uma consulta com seu médico veterinário de confiança.

18. Algumas regiões do país precisam que o cão esteja protegido contra certas doenças. Aproveite esta consulta veterinária, atualize a carteirinha de vacinação do seu amigo e viaje com segurança.



15 piscinas para inspirar o seu verão

Nada como um mergulho na piscina para aplacar o calor na estação mais quente do ano! Pensando nisso, reunimos mais de uma dezena de projetos com diferentes dimensões e visuais exclusivos, promessas de bons momentos dentro d’água. Clique aqui e confira as dicas da revista.