06 de Agosto de 2020
20º/30º
NOTÍCIAS » BRASIL

Uruguai vai diversificar a oferta do turismo LGBT

No último dia 28 de junho, o Ministério de Turismo do Uruguai iniciou uma das suas metas para a promoção do turismo LGBT no país. Com uma festa online, comandada por Mario Pacheco e Loli Arana a live teve mais de 15 mil interações e mostrou a esse segmento que estarão na lista de prioridades do órgão de turismo do país.

Uma das metas da Secretaria de Turismo para o quinquênio será "desenvolver e promover produtos e serviços turísticos para o coletivo LGBT+”, adiantou o Ministro de Turismo, Germán Cardoso. Desde o Ministério de Turismo "apostaremos a ampliação e diversificação da oferta a esse segmento: necessitamos estimular o desenvolvimento de propostas especializadas que nos permita fortalecer o posicionamento regional e crescer o mercado internacional”, acrescentou o assessor do Ministério, Oscar Iroldi.

O estímulo e o trabalho relacionados com privados para a diversificação da oferta de entretenimento, como a especialização no turismo de bodas ou até o desenvolvimento de Festas do Orgulho, formam parte da agenda. "Necessitamos trabalhar com todo o setor turístico que aposta no crescimento do mercado LGBT no país”, enfatizou Iroldi.

Uruguai é um exemplo pela atenção e respeito a todas as pessoas e seus direitos, elementos que valeram o reconhecimento internacional e sua capacidade de atração como o destino turístico LBGT latino-americano melhor ranqueado.

Desde suas raízes o Uruguai é uma nação com forte vocação democrática, aberta, antidiscriminatória e integradora. Desde o começo do século XX Uruguai promulgou uma legislação avançada em reconhecimento dos direitos laborais e sociais. Na atualidade conta com leis contra o preconceito, mudança de sexo registral, de união concubinária, adoção, matrimonio igualitário e de inclusão da população trans.



Posicionamento mundial


No informe anual de 2020 de Spartacus Traveler, o guia de turismo LBGT mais importante do mundo, Uruguai ocupou o 5º lugar no ranking global como destino friendly e seguro para esse segmento devido ao trato e sua avançada normativa contra a discriminação.

Já em abril de 2015, Montevidéu foi considerada a cidade mais amistosamente gay do continente, daí por diante outros destinos como Buenos Aires, Rio de Janeiro, Cidade do México e Guadalajara, segundo a publicação especializada Sentido G.

No Uruguai vivem mais de 300 mil pessoas aproximadamente da coletividade LGBT e no mundo se espera que o segmento ajude a recuperar a reativação do setor. "Desde a International Gay and Lesbian Travel Association (IGLTA), asseguram que os turistas da comunidade são leais e com uma alta predisposição a viajar, ainda depois do COVID-19, expressou o CEO”, John Tanzella.





Predisposição para viajar

Segundo a pesquisa realizada pela IGLTA com 14.658 pessoas identificadas como membros da comunidade confirma-se a tendência. Dois terços (66%) dos pesquisados globais disseram que se sentiriam cômodos de viajar novamente por prazer antes do final de 2020 - entre setembro e outubro, enquanto 34% o fariam em 2021. Do total de pesquisado quase a metade (46%) disse que os tipos de destinos que ele escolhe visitar não mudariam depois que a situação do coronavírus fosse resolvida, refletindo um alto grau de lealdade ao destino em meio às incertezas.

Enquanto 25% indicou que ainda estavam indecisos, somente ao redor de 29% disseram que poderiam mudar suas opções de destino.

Quanto as projeções para os próximo seis meses os pesquisados mencionaram realizar certas atividades e em alguns casos escolhem mais de uma opção: 57% gostaria de fazer uma viagem nacional de ócio, enquanto 29% planeja uma viagem internacional. No entanto, 34% permaneceria em casa e 48% iria a um hotel ou resort nacional.

Dos que decidem sair de casa, o fariam para assistir algum evento particular ou um festival da comunidade (33%) ou fariam viagem em excursão (21%), visitariam um parque (20%) ou fariam um cruzeiro (13%).

Divulgação
+ VEJA TAMBÉM