04 de Junho de 2020
14º/27º
NOTÍCIAS » SAÚDE

Isolamento social pode impactar na saúde mental dos idosos

Os idosos se sentem mais ameaçados pois fazem parte do grupo de risco

divulgação


A população acima de 60 anos é mais vulnerável aos impactos emocionais causados pela pandemia do COVID-19. Um dos principais motivos é que eles se sentem muito ameaçados, pois compõem um grupo de risco e geralmente possuem outras doenças associadas, como diabetes ou hipertensão arterial; preocupam-se muito com os filhos e familiares que estão longe e não podem mais visitá-los, além de preocupações com prejuízo econômico e desemprego deles e de pessoas amadas.

A médica Isadora Alkmim Paião, especialista em Saúde do Idoso, explica que é importante lembrar que tristeza, ansiedade e desânimo são sentimentos inerentes ao ser humano, e faz parte da vida se sentir assim algumas vezes.

"Ficar triste por algum motivo deve ser ‘coisa de momento’, e passar logo. Já quando ocorre a depressão, devemos lembrar que os sintomas persistem por mais de duas semanas. Além disso, na depressão existem outras manifestações que podem passar despercebidas mas afetam a qualidade de vida, como perda ou ganho de apetite, sonolência ou agitação, dificuldade de concentração e sentimento de inutilidade ou culpa”, considera.

divulgação - Dra Isadora Alkmim Paião, especialista em Saúde do Idoso
Dra Isadora Alkmim Paião, especialista em Saúde do Idoso


"Ao longo dos anos eu tive a oportunidade de atender vários pacientes que não só se auto diagnosticaram com depressão mas também iniciaram o tratamento com a medicação de alguém. Isso é muito perigoso! Primeiro devido às contraindicações de medicações para algumas pessoas e também por uma razão importante: nem sempre a fraqueza, o desanimo e a tristeza podem ser depressão. Algumas vezes, podem ser sinais de outras doenças, como anemia, hipotireoidismo, cardiopatia, dentre outras. Tais sintomas podem até mesmo ser efeitos colaterais de outra medicação que o idoso esteja em uso. Sendo assim, se tiver esses sintomas, procure ajuda médica: seja por telemedicina, por consulta domiciliar e, em caso de sintomas agudos, até mesmo o hospital”, ressalta a médica.

A médica compartilha algumas dicas que podem aliviar o impacto do estresse emocional durante a pandemia, baseadas no guia com cuidados para saúde mental divulgado pela OMS (Organização Mundial de Saúde).

• Higiene mental. Atualizar-se sobre a pandemia apenas às vezes. Evitar grupos e noticiários insistentes apenas no tema Covid-19.

• Crie uma rotina que faça sentido para você, com atividades prazerosas, que tragam aprendizado, que inclua exercícios físicos e eventos religiosos, mesmo que seja online.

• Mantenha contato social com outras pessoas a distância.

• Invista em um bom padrão de sono.

• Se preciso, procure ajuda médica.

• Tenha um olhar otimista: entenda que tudo isso é só uma fase, vai passar.

divulgação


Divulgação
+ VEJA TAMBÉM