25 de Setembro de 2020
20º/30º
NOTÍCIAS » SAÚDE

Ricardo Filippo, oftalmologista, fala sobre cirurgias estéticas e os riscos que elas podem trazer à saúde ocular

Cirurgias estéticas nos olhos podem causar prejuízo da função visual, perda de visão, entre outros problemas

O olho é uma das partes mais sensíveis do nosso corpo, mas isso não impede que ele fique de fora da lista de procedimentos. Por mais estranhamento que isso possa causar, a busca de cirurgia estética ocular tem crescido a cada ano.

O problema é que a maioria desses procedimentos não são testados com amplitude. Alguns, inclusive, não são feitos por profissionais qualificados, o que coloca o paciente em riscos maiores ainda.

Procedimentos estéticos oculares mais procurados nos últimos anos

Um dos procedimentos estéticos mais procurados é a cirurgia de blefaroplastia, que consiste na retirada do excesso de pele das pálpebras superior e inferior. O entrópio e o ectrópio, que corrigem as alterações anatômicas da pálpebra também estão nessa lista.

A ptose palpebral, que consiste na queda da pálpebra superior causada principalmente pelo envelhecimento está entre as cirurgias estéticas oculares mais cobiçadas por pessoas com faixa etária acima dos 40 anos de idade.

Recentemente, tem aumentado a procura pela troca de cor da íris. Esse procedimento é realizado por meio de laser nessa estrutura, causando a despigmentação dela e a consequente mudança de cor.

Esse procedimento sempre está ligado a motivações estéticas, podendo causar inclusive cegueira irreversível. É importante mencionar que essa técnica não é legalizada no Brasil, pelos órgãos regulatórios, justamente pelo seu risco a saúde ocular.

Uma das tendências de moda entre os jovens é a eye ball tatto. Trata-se de uma técnica de tatuagem que altera a parte branca do olho. Como médico oftalmologista, eu não indico esse procedimento, que pode gerar infecções graves e até mesmo cegueira.

Há também aqueles procedimentos estéticos que já são velhas conhecidas, como a aplicação de botox e preenchimentos em volta dos olhos. Uma técnica que tem sido muito procurada é a fox eyes, ou olhos de raposa.

Ela consiste no levantamento do canto externo da pálpebra superior. No local, são aplicados fios de sustentação que elevam a cauda da sobrancelha e deixam os olhos parecidos com os de uma raposa.

Principais riscos das cirurgias estéticas para a saúde ocular

Antes de falar sobre os riscos que as cirurgias estéticas podem causar nos olhos, é importante mencionar que, dependendo do caso, elas são necessárias. É o caso dos procedimentos que além de estéticos, são também funcionais.

Eles servem para melhorar a saúde ocular do paciente que passou por algum tipo de trauma na região ou foi acometido por doenças que afetam a estrutura e a funcionalidade dos olhos.

No entanto, como já dissemos, com os procedimentos estéticos, a situação é bem diferente. Seu objetivo é apenas melhorar a aparência do rosto e, em alguns casos, o resultado pode ser completamente diferente do esperado.

Como já disse, estamos falando de um órgão sensível e, mesmo aqueles procedimentos que são feitos junto ou próximo dos olhos podem gerar prejuízos. Um deles diz respeito à síndrome do olho seco, em que há produção de lágrimas é diminuída.

O contrário também pode ocorrer, quando há o aumento da produção lacrimal. Alguns pacientes podem desenvolver úlceras de córnea e, dependendo da cirurgia estética, podem até ficar cegos.

Como determinados procedimentos são realizados por médicos de distintas áreas, os riscos podem aumentar, principalmente quando não há um trabalho em conjunto com o oftalmologista.

É fundamental que esse profissional propicie uma avaliação detalhada da situação ocular do paciente antes de qualquer tipo de cirurgia estética.

Vale lembrar que nem todas as sequelas oriundas de cirurgias nos olhos são reversíveis. Mesmo diante da possibilidade de reparos, é importante o paciente considerar que será preciso passar por reparações técnicas e, na maioria dos casos, cirúrgicas.

Diante de todas as informações apresentadas aqui, eu sempre aconselho meus pacientes a pensarem sobre os limites da aparência física e da indústria da beleza. Os riscos existem e devem ser sempre ponderados.
Divulgação
+ VEJA TAMBÉM